#Venezuela, #Nicaragua

La OEA en el rol del Ju­das Iscariote de América

É hora de os povos da região acordarem e proporem desmascarar o ataque contra a Venezuela e a Nicarágua

OEA

Eu me pergunto: para que serve a OEA? Vale a pena pertencer a ela? Por que não fazer uma frente comum latino-americana e caribenha e desmascará-la junto com seu atual Secretário Geral, Luis Almagro?
O que está acontecendo hoje contra a Venezuela e a Nicarágua me lembra o ano de 1960, 12 meses depois do triunfo da Revolução Cubana, a mesma OEA de nossos dias, conivente e servil aos ditames dos Estados Unidos, se comprometeu contra Cuba.

Foi nessa data, na VII Reunião de Consulta dos Ministros das Relações Exteriores, convocada para San José, Costa Rica, quando se instou a condenar a ilha em uma ação em que o governo dos EUA pretendia criar um contexto político e diplomático favorável. para isolar nosso país e assim mascarar os planos de agressão militar preparados pela CIA, segundo o Programa de Ação Secreta contra o regime de Castro, contidos na diretriz secreta aprovada em 17 de março de 1960.

Como não lembrar nestes dias, quando Washington criou o mesmo cenário, desta vez acompanhado por uma feroz campanha midiática, contra nações latino-americanas como Venezuela e Nicarágua, a posição cubana presente na reunião da OEA na Costa Rica em 1960, em tom de voz. do chanceler da dignidade, Raúl Roa García. Como esquecer as exclamações de toda uma cidade «com a OEA e sem a OEA vamos vencer a luta».

Sobre a decisão de isolar Cuba, o comandante-em-chefe Fidel Castro disse que a reunião na Costa Rica foi uma lição para os povos da América, que nunca perdoarão a traição daqueles que, em uma bandeja de prata, foram trazer ao império os direitos da nação cubana.

Aqueles que assinaram o documento “ficarão na história como Judas Iscariotes da América”, disse Fidel referindo-se ao Judas que, segundo os Evangelhos canônicos, era o apóstolo traidor.

Exemplos abundam, o mesmo para demonstrar que o oea é apenas um instrumento imperial, que age de forma intervencionista contra os povos da região, que desmascarar um traidor como Luis Almagro, transformado no inimigo mais furioso da América Latina, ao tempo o mais submissa dos servidores dos governos americanos.

A última dessas campanhas das mais desacreditadas de todas as instituições tem sido o trabalho intervencionista contra dois governos democraticamente eleitos na região: o da Venezuela e o da Nicarágua.

Contra a nação bolivariana eles superaram qualquer prognóstico, eles ditaram resoluções desrespeitosas e grosseiras, eles lideraram uma guerra de mídia para desestabilizar o país e criar um verdadeiro caos na região.

O último, já completamente nu, o Sr. Luis Almagro escreveu em um tweet: “Congratulamo-nos com a suposição de Guaidó como presidente interino da Venezuela, nos termos do artigo 233 da Constituição. Tem o nosso apoio, o da comunidade internacional e o do povo venezuelano “.

Esta é a primeira reação da OEA e seu secretário geral às declarações do chefe da Assembléia Nacional da Venezuela (em desacato), Juan Guaidó, para assumir a presidência do país bolivariano, depois de descrever o presidente legítimo como “usurpador” , Nicolás Maduro.

É, sem dúvida, uma guerra cambaleante contra aquela nação e, por sua vez, uma maneira desavergonhada de interferir nos assuntos internos de um país.

CONTRA A NICARÁGUA

Quanto a outro estado soberano da região, a Nicarágua, a OEA empreendeu a aplicação da Carta Democrática, o que pode levar à suspensão da adesão do país centro-americano, segundo os relatórios.
O discurso Luis Almagro na última reunião da OEA, bem como de comprimento e intrometido, retratou-o como mentiroso é e, como fizeram há 60 anos contra Cuba, agora eles fizeram uma farsa intervencionista que que “a democracia não Pode haver repressão, nem violação dos direitos humanos a opositores, estudantes, políticos, camponeses, civis e menores “.

A coisa interessante sobre tudo isso é que lá, na sala onde é reciclado para uma falta de credibilidade da OEA, estavam representantes de países como Chile, Argentina, Brasil, Colômbia e outros, cenas diárias de repressão contra os estudantes, trabalhadores, professores, indígenas e onde centenas de líderes sociais morrem. Tudo isso é feito em nome de uma democracia como a defendida por Judas, de Luis Almagro.
Nossos povos, em alguns casos, confuso com a atual ofensiva reacionária montado a partir de Washington e apoiado pela OEA, sabe desmascarar os traidores que hoje voto contra Venezuela e Nicarágua, como fez contra Cuba, e tenho certeza que eles vão, no futuro, enquanto não agirmos a tempo e nos unirmos, desqualificaremos o mar, Luis Almagro e o autoproclamado Grupo de Lima.

Tirado de Granma

Categories: #Venezuela, #Nicaragua, OEA, Revolução Cubana, Secretário Geral, Luis Almagro, Uncategorized, VII Reunião de Consulta dos Ministros das Relações Exteriores, | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: