CNN, com sede em Atlanta, na Geórgia, faz uma análise sobre aspectos controversos do atual governo dos EUA.

Hasan Rohani: “O Irã mostra que não volta para os EUA”

Em um novo dia de tensão no Oriente Médio, o presidente do Irã, Hasan Rohani, alertou que haverá uma “resposta muito firme” se Washington “cometer outro erro”. Ele acrescentou que a vingança do Irã, após o assassinato do chefe da Guarda Revolucionária do Irã, Qasem Soleimani, “cortará os pés dos Estados Unidos da região”. Na mesma linha, um alto comando militar iraniano garantiu que o ataque aos alvos militares dos EUA no Iraque era apenas uma amostra de seu poder defensivo. Por seu lado, o governo iraquiano exigiu novamente que tropas estrangeiras deixassem o território. Em declarações à imprensa, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse que Washington matou Soleimani porque o general iraniano planejava pilotar a Embaixada dos EUA em Bagdá. O presidente também disse que a Otan deve expandir e incluir os países do Oriente Médio.

O presidente do Irã, Hasan Rohani, disse que o Irã “mostra que não voltará para os Estados Unidos”. Se os Estados Unidos “querem cometer outro crime, devem saber que receberão uma resposta ainda mais forte”, disse Rohani em um conselho de ministros. “Mas se tiverem cuidado, não farão mais nada”, acrescentou.

“Nossa resposta final ao assassinato será expulsar as forças americanas da região”, acrescentou. “Eles cortaram a mão do querido general Soleimani nesta atrocidade. Nossa vingança será cortar os pés dos Estados Unidos nesta região”, disse Rohani.

Em resposta à morte de Soleimani, o Irã atacou duas bases militares localizadas no Iraque na quarta-feira nas quais soldados americanos estão posicionados, uma ação que o líder supremo do Irã Ali Khamenei descreveu como “dar um tapa” em Washington.

Horas depois, o subcomandante da Guarda Revolucionária Iraniana, Ali Fadavi, disse na mesma linha que o ataque a alvos militares dos EUA no Iraque era apenas uma amostra do poder de defesa do país persa.

Em um discurso da cidade de Isfahan, Fadavi enfatizou que esse bombardeio contra a base de Ain al Asad é “uma das manifestações sem paralelo do poder e capacidade do Irã no campo da defesa militar”. Pouco depois e no centro do Iraque, um novo foguete atingiu sem causar vítimas nas imediações de uma área de base na qual as tropas americanas operam.

“Nós capturamos um monstro”
“O Irã nos atingiu com mísseis. Eles não deveriam ter feito isso. Felizmente para eles, ninguém foi atingido, ninguém foi morto”, disse Trump em uma reunião com a mídia na Casa Branca. “Eles são muito afetados pelas sanções”, disse ele em relação aos iranianos. “Eles podem fortalecer a economia de seu país muito rapidamente, se quiserem. Vamos ver se eles negociam ou não”, acrescentou mais tarde.

Além disso, o presidente dos Estados Unidos disse que Washington matou o chefe da Guarda Revolucionária do Irã, Qasem Soleimani, para interromper seus planos de voar na Embaixada dos EUA em Bagdá. “Capturamos um monstro total e o retiramos. Isso deveria ter acontecido há muito tempo. Fizemo-lo porque eles queriam explodir nossa embaixada”, disse Trump.

O presidente também disse que a Otan deve considerar uma expansão para incluir os países do Oriente Médio. O presidente disse que havia comentado anteriormente com o secretário geral da aliança militar, Jens Stoltenberg.

“Acho que fiquei realmente empolgado com isso”, disse Trump, acrescentando que ele sugeriu que o nome fosse estendido para “Natome” pelas iniciais em inglês da aliança e a soma do Oriente Médio (OTAN + Oriente Médio) “Que nome bonito Natome. Eu sou bom com nomes, certo? “, Disse o presidente, tentando colocar roupas frias nas questões difíceis que ele tocou em seu contato com a imprensa.

Na quarta-feira em seu discurso oficial, Trump sugeriu que os aliados da OTAN se envolvessem mais no Oriente Médio. Stoltenberg recebeu o conselho e disse que refletirá sobre como transformar sua missão naquela região, basicamente através de missões de treinamento. Ele também esclareceu que essa reorganização não implica aumentar o número de tropas de combate no local, mas “treinar as forças locais para combater por conta própria o terrorismo”.

Finalmente, e quando perguntado sobre as sanções impostas ao Irã, ele disse: “Isso já foi feito. Nós as aumentamos. Elas eram muito severas, mas agora aumentaram substancialmente. Aprovei isso há um tempo atrás com o Tesouro”, disse Trump a repórteres. a casa Branca. O presidente prometeu na quarta-feira, em seu discurso à nação, “sanções econômicas adicionais” em retaliação ao ataque iraniano.

Finalmente, o governo iraquiano exigiu novamente a retirada de tropas do território. Depois de se encontrar com seu par turco, Mevlüt Cavusoglu, ministro das Relações Exteriores do Iraque, Mohamed Ali Al Hakim insistiu que “todas as tropas estrangeiras precisam sair” do país. De qualquer forma, ele disse que a saída deve ser acordada por meio de canais diplomáticos e diálogo.

Por sua parte, Cavusoglu disse que “o Iraque não está sozinho” e Ancara trabalhará ao lado dele nesses “dias difíceis”, enquanto pede que o território iraquiano “não se torne um campo de batalha para forças estrangeiras”. Ambos os países concordaram em trabalhar para aliviar a escalada de tensão na região. O Parlamento iraquiano aprovou uma moção no domingo passado pedindo ao Executivo que acabe com a presença de qualquer força estrangeira no Iraque.

Categories: #China#EEUU#Iran#Nicaragua.barco hospital naval Arca de la Paz, #Conspiracion, #Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos EUA?, 70 bases nos EUA. em toda a América Latina, ações intervencionistas dos EUA, CNN, com sede em Atlanta, na Geórgia, faz uma análise sobre aspectos controversos do atual governo dos EUA., Conflicto en el Medio Oriente, Constituição dos EUA, Donald Trump, Donald Trump,, FORA TRUMP, interesses dos EUA, INTERVENÇÕES HUMANITÁRIAS DOS EUA, relações bilaterais, o governo Donald Trump, Trump Google, Trump procura reforçar o bloqueio, Um bom filho ... de Trump, Uncategorized | Etiquetas: , , , | Deixe um comentário

Irã denuncia os EUA por ataques na Síria e no Iraque

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohamad Yavad Zarif, criticou os Estados Unidos (EUA) na segunda-feira por matar iraquianos e sírios em suposta legítima defesa, durante uma reunião com seu colega russo Sergey Lavrov.

El jefe de la diplomacia iraní, destacó los esfuerzos de su país y de Rusia para buscar paz en la región.

O chefe da diplomacia iraniana destacou os esforços de seu país e da Rússia para buscar a paz na região. | Foto: EFE

“Milhares de quilômetros de suas próprias fronteiras, EUA. está causando derramamento de sangue e destruição contra o povo do Iraque e da Síria sob o pretexto de se defender ”, disse Zarif de Moscou, Rússia.

O ministro das Relações Exteriores do Irã disse os últimos ataques aéreos nos EUA. Contra as forças populares no oeste do Iraque, são os esforços de Washington para intensificar as tensões no Oriente Médio.

Assim, durante a reunião com Lavrov, o chefe da diplomacia no Irã destacou os esforços de seu país e da Rússia para buscar a paz na região.

A esse respeito, o ministro das Relações Exteriores da nação persa disse que Teerã e Moscou fizeram “propostas importantes” destinadas a acalmar as tensões regionais, incluindo a iniciativa Hormuz Peace e a iniciativa de conceito de segurança coletiva.

Zarif também mencionou as manobras navais conjuntas dos exércitos do Irã, Rússia e China no Oceano Índico e no Mar de Omã como um sinal de esforços para fortalecer a paz e a segurança na região da Ásia Ocidental.

Categories: #Al Qaeda, Associated Press, #CIA, #cuba, #EEUU, estados unidos, MSNBC, NBC,#Reino Unido, #Rusia, Universidad de Lincoln, William Arkin, #China#EEUU#Iran#Nicaragua.barco hospital naval Arca de la Paz, #Rússia, #Siria, #Trump, América Latina e do Caribe como Zona de Paz, antilatinoamericana agenda geopolítica belicista e Donad Trump alinhados, CNN, com sede em Atlanta, na Geórgia, faz uma análise sobre aspectos controversos do atual governo dos EUA., Constituição dos EUA, Donald Trump, Donald Trump,, Donald Trump, Estados Unidos, Donald Trump, Estados Unidos, militares, República Democrática del #Congo, eeuu, Estados Unidos, Nicolás Maduro Moros, Política, Rússia, Sociedade, Venezuela, EUA contra a América Latina, EUA unos de los países mais perigosos para as mulheres em 2018, FORA TRUMP, forças em favor da paz, instalar base militar dos EUA, no Brasil, interesses dos EUA, INTERVENÇÕES HUMANITÁRIAS DOS EUA, mobilização pela paz, presença militar suspeita dos EUA no Panamá, propaganda contra Cuba, Venezuela, Nicarágua, Irã, Rússia e China,, relações bilaterais, o governo Donald Trump, RUSSIA, secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo,, SIRIA, tirar a América Latina das garras dos #EUA, Trump procura reforçar o bloqueio, Um bom filho ... de Trump, Uncategorized | Etiquetas: , , , , , | Deixe um comentário

Belga de 9 anos deixa a Universidade

Laurent Simons, o prodígio belga, de apenas 9 anos, desistiu da universidade antes de completar o curso de Engenharia Electrónica.

Em causa, está uma desavença entre a Universidade de Eindhoven de Tecnologia, na Holanda, e a família da criança, que já tinha sido notícia por concluir o ensino secundário com 8 anos e esperava licenciar-se ainda antes de fazer os 10.
O curso de Laurent demora três anos, mas ele esperava completá-lo em apenas dez meses. Contudo, a universidade avisou que seria impossível cumprir o prazo, visto que ele ainda tinha muitos exames para fazer, sugerindo que poderia acabar o curso em meados de 2020.
Num comunicado citado pela BBC, a universidade indicou que apressar o final do curso não era compatível com o “discernimento, criatividade e a análise crítica” necessários e que isso iria reflectir-se no desenvolvimento académico da criança.
Além disso, a universidade alertou para a “pressão excessiva sobre o aluno, de 9 anos”, que reitera ter “um talento sem precedentes”.
À CNN, o pai de Laurent, Alexander Simons, disse que não tinha havido, até agora, qualquer problema com o acelerar do calendário de estudos. Sublinhou que a decisão de o filho sair da universidade sem acabar o curso prende-se com o facto de ele ter sido convidado a fazer um doutoramento numa universidade norte-americana e não poder desperdiçar a oportunidade.
“Às vezes, é preciso fazer escolhas”, disse Alexander. “Se ele deixar fugir esta oportunidade, não sabemos se terá outra igual”, acrescentou. Os pais são médicos, mas até agora não perceberam, nem obtiveram nenhuma explicação para a capacidade de o filho aprender tão rapidamente.

Categories: cnn, CNN, com sede em Atlanta, na Geórgia, faz uma análise sobre aspectos controversos do atual governo dos EUA., Tecnologias, Uncategorized | Etiquetas: , , | Deixe um comentário

O que assusta a administração Trump?

De Nicanor León Cotayo

O canal de notícias CNN, com sede em Atlanta, na Geórgia, faz uma análise sobre aspectos controversos do atual governo dos EUA. Continuar a ler

Categories: cnn, CNN, com sede em Atlanta, na Geórgia, faz uma análise sobre aspectos controversos do atual governo dos EUA., EE.UU., SIRIA, Trump, Uncategorized | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: