Vladimir Putin manteve conversações com o seu homólogo cubano Miguel Díaz-Canel.

#Rusia #Cuba #Política

Os presidentes de Cuba e da Rússia inauguram monumento a Fidel Castro em Moscovo.

#Cuba #Rusia #PorSiempreFidel

O Presidente cubano Miguel Díaz-Canel e o seu homólogo russo Vladimir Putin participaram na cerimónia de inauguração de um monumento ao falecido líder cubano Fidel Castro em Moscovo, na terça-feira.

O líder russo acrescentou que Castro “é justamente considerado um dos líderes mais famosos e carismáticos do século XX, uma personalidade verdadeiramente lendária”.

Numa cerimónia emocionante, o monumento em Moscovo em homenagem ao Comandante-Chefe Fidel Castro Ruz foi inaugurado na presença dos Presidentes Vladimir Putin e @DiazCanelB | Foto: Cancillerìa Cuba

Putin observou que o monumento está a ser inaugurado na praça que já leva o nome de Fidel Castro, a quem se referiu como “um notável estadista e político, o fundador do estado cubano moderno”.

Toda a sua vida foi dedicada “à luta abnegada pelo triunfo das ideias de bem, paz e justiça, pela liberdade dos povos oprimidos, por uma vida digna para o povo comum e pela igualdade social”, recordou Putin.

É um monumento de bronze de três metros de altura, que representa Fidel em uniforme militar com a sua boina tradicional, de pé sobre um bloco de pedra com um mapa de Cuba.

Segundo os materiais do serviço de imprensa do Kremlin, o monumento representa o caminho heróico de um homem que defendeu os direitos do povo no seu país.

A cada dia que passa, Fidel está mais e mais presente.

#FidelPorSiempre #CubaViveEnSuHistoria #FidelCastro

Por Domingo Pérez

Os inimigos da Revolução Cubana e os seus lacaios fizeram e fazem tudo o que é possível para a destruir. Acontece que hoje em dia tudo é mais visível, graças à magia da Internet e das redes sociais. Basta analisar o discurso actual dos detratores para perceber que se tem mantido inalterado ao longo do tempo. A diferença é o meio através do qual destilam o seu veneno. O público receptor é transformado, tanto na sua composição como na quantidade e imediatismo com que recebe mensagens subversivas.

Imagen de Razones de Cuba

Quando se aprofunda no conteúdo, é fácil compreender hoje as suas reacções desequilibradas e irracionais. Há décadas que tentam eliminá-lo fisicamente e, após a sua morte, o pensamento do Comandante-Chefe Fidel Castro e a sua obra revolucionária criativa estão mais vivos a cada dia que passa.

Eles, inimigos e lacaios, odeiam todos, sabem disso e sofrem com isso, daí as suas reacções histéricas e ataques contra o nosso Primeiro Secretário do Comité Central do Partido Comunista de Cuba e Presidente da República de Cuba Miguel Díaz-Canel Bermúdez, porque identificam nele o discípulo, o continuador do seu legado.

É por isso que, quando vemos o camarada Díaz-Canel a trocar com centenas de cubanos, de todos os sectores da população e de diferentes estratos sociais, estamos a ver Fidel.

É verdade que estes são tempos difíceis, mas, para dizer a verdade, desde o seu triunfo, terá a Revolução tido um único minuto de descanso? Foi isto que Fidel advertiu desde o início. Face à sua ausência física e aos impactos prejudiciais da crise mundial, alimentados pelo aperto do bloqueio, acreditam que chegou o momento e que, mais uma vez, os dias da Revolução estão contados. Mas, sem dúvida, sairemos desta situação mais fortes e eles terão de desfazer as suas malas.

Eles não aprenderam apenas que um povo unido nunca será derrotado!

Ideias para uma luta que não pode ser adiada. Por Miguel Díaz-Canel.

#Cuba #Economía #DiazCanel #SociedadCubana

 DE LA PUPILA INSOMNE

A 26 de Outubro, o Presidente Miguel Díaz Canel dirigiu-se ao Conselho de Ministros sobre as directivas para o “confronto contra os ilegais, velhacos, preguiçosos e corruptos, a favor do nosso povo e pela tranquilidade e desenvolvimento honesto da nossa sociedade”. Aqui estão algumas das ideias apresentadas pelo Presidente:

“Nem o Partido nem o Governo podem estar à margem dos problemas que estão a acontecer na sociedade, por isso, não podemos ser contemplativos e não podemos ser imóveis na actuação face a cenários extremamente complexos”.
“O que não podemos permitir é que aqueles que não trabalham, não contribuem e estão na ilegalidade, ganhem mais e tenham mais possibilidades de viver do que aqueles que realmente contribuem; lá estamos nós de cabeça para baixo, estamos a quebrar os conceitos de Socialismo”.
que não podemos permitir é que aqueles que não trabalham, não contribuem e estão na ilegalidade, ganhem mais e tenham mais possibilidades de vida do que aqueles que realmente contribuem; lá estamos nós de cabeça para baixo, estamos a quebrar os conceitos de Socialismo”.
“Muitas destas coisas acontecem porque não agimos a partir dos poderes e responsabilidades que as nossas instituições têm”.
“Acontecem à plena vista dos núcleos do Partido, das instituições administrativas e dos conselhos de liderança, que nem sempre tiveram o controlo da gestão e dos recursos para evitar todas estas anomalias”.
“Temos de inverter esta situação, não podemos deixar que o problema continue a acumular-se a nível social, e para isso precisamos de um papel de liderança dos núcleos, da militância, das instituições do governo, dos órgãos administrativos, das organizações de massas e dos órgãos do Poder Popular. Ninguém tem um sistema político como o nosso que possa enfrentar coerentemente estas manifestações”.
“Quem é que a tolerância da ilegalidade favorece? Será que favorece o povo? Será que aqueles que vendem ilegalmente com preços abusivos favorecem o povo ou o que geram é mais irritação entre o povo? Haverá mais abundância porque permitimos isto?”
“Não queremos que haja menos, pelo contrário, queremos ordenar para que tudo seja distribuído de uma forma melhor e sobretudo legal, sem dar espaço a malandrices e abusos”.
“Por Decreto Presidencial, mesmo apenas com as Directivas que estão a ser apresentadas hoje, as coisas não serão resolvidas, se não agirmos de forma consistente nos municípios, nos nossos bairros, que é onde as ilegalidades estão a ocorrer”.
“Poucas pessoas podem pagar o preço do que está a ser vendido ilegalmente”. Portanto, o que nos está a acontecer, que um grupo de pessoas está a vender, muitas vezes sem quaisquer laços de trabalho; e quem pode pagar, aqueles que também não trabalham e estão empenhados na mesma coisa”.
“Fomos criados uma casta dentro da qual se realiza uma troca mercantil ilegal e corrupta, com uma economia submersa e ilegal E é isso o Socialismo, é isso que queremos? É isso que traz o desenvolvimento? Não, não é. O conceito de nós tem de ser “crescimento económico com desenvolvimento social”.
“A Revolução, definiu ele, não foi feita para isso e deu todas as oportunidades para os jovens estudarem e terem emprego”.
“Aquele que ganha mais tem de contribuir mais para aqueles que têm menos: isto é Socialismo. Aqui os impostos não são cobrados para que os mais ricos sejam mais ricos e os mais pobres tenham menos, aqui os impostos são cobrados para que aqueles que têm mais desistam de uma parte e aqueles que têm menos fiquem melhor”.
Uma pessoa que pode trabalhar e não está a trabalhar não é vulnerável. Os primeiros socorros não podem ser sociais, temos de lhes proporcionar um emprego para que possam melhorar as suas condições de vida. Temos de mudar estas coisas agora.
“A construção do Socialismo não se faz de uma forma assistencialista, o que temos de procurar é a transformação social”.
“Todos estes elementos têm de ser resolvidos pouco a pouco, com convicção, explicação, argumentação, com políticas governamentais e políticas públicas adequadas, porque de outra forma a sociedade torna-se desordenada e nós não fazemos os progressos de que necessitamos.
“O que estamos a propor hoje, disse ele, tem de se tornar um sistema funcional. Vamos trabalhar de uma forma sistémica. As pessoas exigem sistematização, abrangência e que nós vamos até ao fim. E temos de cumprir com isso.

Não se metam com o meu presidente.

#CubaPorLaPaz #CubaEsAmor #MejorSinBloqueo #PorLaFamiliaCubana

Por Yoandi González

Ultimamente, os memes tornaram-se um método e uma forma de descrever acontecimentos ou de gozar com eles para fins de distracção ou subversão política.

De tal forma que tudo o que é dito nos meios de comunicação social é rapidamente transferido para este meio. Muitos são aqueles que são habilidosos na matéria.

Nos últimos tempos, o nosso presidente, Miguel Díaz Canel Bermúdez, tem sido sujeito a campanhas para desacreditar a sua liderança ou simplesmente para ofuscar a sua figura pública nas redes sociais, um assunto que creio que deve ser punido, uma vez que ele é uma figura pública que goza de prestígio entre o povo e que luta todos os dias para que o nosso país avance.

A imagem do presidente cubano é o alvo de ataques constantes.

Não viu o seu rosto com olheiras, mostrando os seus esforços para inverter a actual crise económica que está a afectar todos os sectores do nosso país? Mas ele não pára e não vai parar, nem vai vender a nossa pátria a um mecanismo ianque que sonhou durante muitos anos em assumir a nossa história.

O nosso presidente não é um vendido. Ele carrega nos seus ombros uma tradição de luta histórica e o exemplo vivo de continuidade. Ele é o filho de Fidel e o sobrinho de Raúl, que, através dos ensinamentos de Martí, aprendeu a transformar os reveses em vitórias para avançar neste mundo desigual e turbulento.

Não compreendo porque é que as pessoas falam mal dele, muito menos do meu país. Embora eu seja jovem, estudei a nossa história. Eu sei de onde venho e para onde vou. Quero, como milhares de cubanos, ver o meu país ter sucesso, inverter a situação actual e viver, como sempre, em liberdade, lutando para ser mais justo, próspero e sustentável a cada dia.

É por isso que vos digo, se é isso que fazem, que não se metam com o meu presidente. Há muitos cubanos que querem uma Cuba socialista e nós estamos prontos a dar o nosso sangue para continuar a respirar num país de liberdade.

Um lugar no coração do povo .

#CubaViveYTrabaja #CubaEsAmor #MejorSinBloqueo

Por: Abel Prieto Jiménez

Alpidio, o nosso Ministro da Cultura, acaba de explicar no seu perfil no Twitter, num brilhante resumo, porque é que os inimigos da Revolução Cubana atacam Díaz-Canel de forma tão violenta, obsessiva e perversa. Estão exasperados pela sua liderança, a sua coragem, a sua inteligência, a sua honestidade, a sua simplicidade, a sua firmeza, a sua transparência, a sua capacidade de comunicar com o povo e de construir unidade nos momentos mais difíceis.

Aqueles que hoje atacam o Presidente Díaz Canel não estão apenas a atacá-lo, mas também os valores revolucionários que ele encarna e representa. O que realmente os magoa é que sabem que com ele Fidel ainda está vivo, a Revolução é renovada, e continua a avançar com o povo.

Com ele como Primeiro Secretário do Partido e como Presidente da República, a continuidade está verdadeiramente garantida. Fidel ainda está vivo, ele ainda está connosco, como diz Alpidio. As esperanças do Império de que, após a Geração Moncada e a Serra, Cuba se renderia, foram dissolvidas face ao desempenho de Díaz-Canel. Não vão tolerar isto e estão a utilizar a maquinaria de fabricar infâmia, calúnias, mentiras e insultos para tentar prejudicar a imagem de um líder excepcional, admirável de todos os pontos de vista, essencialmente estranho ao populismo, dogma, demagogia e vaidade.

O inimigo pode não estar ciente disto, mas Díaz-Canel já ganhou um lugar no coração do nosso povo para sempre. Um povo que nenhuma campanha vai confundir.

Riem-se de Biden! Viagem histórica do povo cubano!

#CodigoSi #MejorSinBloqueo #EEUUBloquea #CubaPorLaVida #CubaPorLaFamilia

Cuba nos sorrisos dos seus filhos.

#CubaPorLaPaz #DiaDeLosNiños #CubaPorLaSalud #VacunasCubanas

Autor: Mailenys Oliva Ferrales | internet@granma.cu

Na cara de uma criança há lugar para todas as verdades do mundo. É por isso que, quando Cuba se vestiu de festas e cores este domingo para dar aos seus filhos o melhor das celebrações num dia especial, eles “deram” muito mais com as suas risadas.

Eles deram, por exemplo, a certeza de que a infância continua a vir em primeiro lugar numa nação ferida pela escassez material, mas reforçada na sua resistência humana e criativa.

Também deram o presente de risadinhas e espanto com o malabarismo dos palhaços, os truques dos mágicos, espectáculos ao ar livre ou em teatros; no “assalto” de canções e presentes em hospitais; ou no meio de um mergulho em água doce e salgada.

Foto: Alfonso Sosa, Oscar

E havia jogos e competições, dança e correrias; havia alegria e tranquilidade. E isso, sem dúvida, foi um belo presente. O dom da vida, o dom da vida que se tornou o sonho de uma ilha que, após a sua campanha de vacinação pediátrica contra a COVID-19, não teve de lamentar a perda de nenhuma criança devido à doença.

Esta felicidade, repetida de cidade em cidade, de cidade em cidade e de bairro em bairro, foi também um presente para um país que este ano pretende subscrever um novo Código de Família, no qual crianças e adolescentes são considerados sujeitos plenos de direitos e responsabilidades.

O mesmo jacaré barbado que, numa batalha permanente contra o ódio e limitações de todo o tipo, continua o projecto de desenvolver vacinas antialérgicas, de cuidar de programas oncológicos em pediatria, e de cuidar de crianças sem protecção familiar.

A partir da sua conta no Twitter, Díaz-Canel apelou a todos para transformarem o Dia da Criança num domingo de esperança para o mundo. “Que não faltem ideias e apoio aos nossos filhos nas praias, nos parques, nos bairros ou em casa”. Nada é mais importante do que a sua felicidade”, sublinhou ele.

E embora entre os infectados pela raiva não faltem pessoas que dizem que um dia não é um reflexo diário da nossa economia agredida, e que as compotas não são um privilégio de um dia, isso irá prejudicá-los muito mais do que, enquanto o mundo continua a ser um lugar injusto para cerca de 160 milhões de crianças obrigadas a trabalhar por causa da fome, este domingo – de mãos dadas com os seus pequenos – toda a Cuba foi um sorriso.

The Washington Post lo reconoció!

#CubaSalva #CubaPorLaSalud #VacunasCubanas #ElBloqueoEsReal #SancionesMadeInUSA

%d bloggers gostam disto: