O chefe da diplomacia europeia pronunciou-se contra o bloqueio.

#CubaPorLaPaz #MejorSinBloqueo #CubaPorLaVida #UniónEuropea #InjerenciaDeEEUU #ElBloqueoEsReal #EliminaElBloqueo

Luanda acolhe 43.ª reunião dos países africanos produtores de petróleo.

#Angola #Petróleo #África

JA Online

Luanda acolhe na próxima sexta-feira, 4, a 43.ª Reunião do Conselho de Ministros da Associação dos Países Africanos Produtores de Petróleo (APPO), soube hoje o Jornal de Angola.

© Fotografia por: DR | Arquivo

De acordo com a agenda, o encontro vai analisar o grau de cumprimento das deliberações aprovadas durante a reunião precedente, a eleição da presidente da APPO para o ano de 2023, bem como a aprovação da estratégia de longo prazo.

Angola foi eleita em 2021,  por unanimidade para a presidência da Organização dos Produtores Africanos de Petróleo durante a 41.ª sessão ministerial em Argel, realizada por videoconferência.

A Rússia, a Venezuela, a Arábia Saudita e o Irão serão o braço do petróleo e do gás dos BRICS?

#InjerenciaDeEEUU #Petróleo #Venezuela #Rusia

Willy González ameaça matar-me. Poderia ele ser a família de Marco Rubio?

#CubaNoEsMiami #MafiaCubanoAmericana #EstadosUnidos

O New York Times afirma que #Ucrânia estava por detrás de ataques a navios russos em Sevastopol

#InjerenciaDeEEUU #Ucrania #Rusia #ManipulaciónPolítica

As forças armadas da Ucrânia lançaram no sábado o ataque com drone aos navios russos da frota do Mar Negro, que se encontravam no porto da cidade da Crimeia de Sevastopol, afirma o diário norte-americano The New York Times.

Num artigo dedicado às armas e equipamentos modernos fornecidos à Ucrânia pelo Ocidente, o jornal afirma que Kiev “mostrou as suas novas capacidades” na madrugada de 29 de Outubro, quando os seus drones “atacaram um navio russo ancorado em Sevastopol”.

Numa outra nota, o jornal refere que as autoridades ucranianas “mantiveram uma política oficial de ambiguidade sobre os ataques por detrás das linhas da frente”. No entanto, estes acontecimentos “parecem ser o mais recente exemplo de forças ucranianas que atacam sítios russos sensíveis de longe”, utilizando drones e “armas poderosas” fornecidas pelas nações ocidentais.

O ataque maciço de zangões
Segundo o Ministério da Defesa russo, o ataque maciço foi levado a cabo sob a supervisão de especialistas britânicos, utilizando nove drones aéreos e sete veículos marítimos não tripulados, o que causou “pequenos danos” a dois navios russos. Todas as aeronaves envolvidas na ofensiva ucraniana foram destruídas. Os navios visados estavam a assegurar o corredor humanitário para a evacuação do trigo e outros produtos agrícolas dos portos ucranianos, como parte do acordo alcançado em Julho entre Moscovo e Kiev e mediado pela ONU e a Turquia.

Moscovo descreveu o ataque como “terrorista” e suspendeu indefinidamente a sua participação no acordo sobre a exportação de cereais ucranianos. O representante permanente da Rússia junto da ONU, Vasili Nebenzia, denunciou que o corredor humanitário foi utilizado como cobertura para o ataque. Diz-se que pelo menos um dos zangões descolou de um dos navios civis que supostamente se destinava a evacuar produtos agrícolas.

O governo ucraniano negou o envolvimento nos ataques, chamando à suspensão do acordo um “falso pretexto”. O Presidente ucraniano Vladimir Zelensky descreveu a decisão de Moscovo como “previsível” e denunciou-a como “agravando deliberadamente” a crise alimentar.

26 pessoas a bordo de um barco abandonado pelos traficantes dos Estados Unidos são resgatadas.

#CubaPorLaVida #CubaPorLaPaz #Emigración #EstadosUnidos #PolíticaMigratoriaDeEEUU Sanciones

Por Redacción Razones de Cuba

Nas horas da manhã de domingo, 30 de Outubro, uma unidade de superfície das Tropas da Guarda de Fronteira prestou assistência a um grupo de 26 pessoas a bordo de uma lancha com matrícula dos Estados Unidos, que violou as nossas águas territoriais e foi encontrada inválida e à deriva na baía de Nazábal, Encrucijada, Villa Clara.

Segundo o Ministério do Interior, entre os resgatados encontravam-se 4 menores, incluindo uma rapariga com sintomas agudos de desidratação.
Foi prestada assistência imediata a estas pessoas para a sua transferência para terra, enquanto o menor foi enviado para uma unidade de saúde pública.
De acordo com as declarações iniciais das pessoas envolvidas neste incidente, os traficantes abandonaram-nas à sua sorte no barco.
As autoridades cubanas competentes estão a levar a cabo as acções de investigação relevantes para esclarecer plenamente este incidente.
Mais uma vez, é evidente a impunidade com que as operações de tráfico de pessoas para os Estados Unidos são organizadas e coordenadas nos Estados Unidos, o que encoraja os indivíduos criminosos a realizarem estas acções que põem em perigo a vida de seres humanos, incluindo menores.
Este ano, as Tropas da Guarda de Fronteira ajudaram e salvaram 121 pessoas em perigo no mar em resultado de sete operações de contrabando de pessoas.
A responsabilidade do governo dos EUA é reiterada pela sua política hostil contra Cuba, que tolera e encoraja as partidas ilegais, não cumprindo o seu compromisso de contribuir para garantir uma migração segura, ordenada e regular.

Mandy Vai desafiar-me? O ataque ao marido de Pelosi e a sua relação com o Sul da Florida.

#SOSEstadosUnidos #SOSFlorida #SubversiónContraCuba #MafiaCubanoAmericana

João Lourenço aborda com o Secretário Geral das Nações Unidas situação na RDC.

#Angola #ONU #Ruanda #RDC #Política

JA Online

O Secretário Geral das Nações Unidas, António Guterres, telefonou, sábado, ao Presidente da República de Angola, João Lourenço, para um ponto de situação à volta da República Democrática do Congo (RDC).

A foto é apenas ilustrativa © Fotografia por: DR | Arquivo

O Presidente João Lourenço pontualizou o Secretário-Geral da ONU sobre as suas últimas diligências e António Guterres, na sequência, manifestou todo o seu apoio aos esforços de mediação do estadista angolano na RDC.

De acordo com uma nota da Presidência da República enviada hoje ao Jornal de Angola, António Guterres exprimiu, no telefonema, a urgência de falar também com o Presidente Félix Tshisekedi, do Congo Democrático, e Paul Kagame, do Ruanda.

%d bloggers like this: