As medidas para conter a Covid-19 na Alemanha são alargadas.

#Covid-19 #Salud #Alemania

Os ministérios da saúde e da justiça anunciaram que os meios de protecção, já obrigatórios nos transportes públicos e nos lares para idosos, serão também obrigatórios nas viagens aéreas.

Karl Lauterbach e Marco Buschmann, os respectivos chefes destes ministérios, anunciaram que nos hospitais, lares para idosos e locais semelhantes, o teste será também obrigatório, excepto para os pacientes.

Berlim, 3 de Agosto (Prensa Latina) A chegada do Outono prevê um aumento da Covid-19 na Alemanha e a utilização de máscaras faciais será o principal instrumento para a conter, de acordo com um plano de saúde apresentado hoje.

Estão também isentos deste requisito aqueles que foram recentemente vacinados ou que superaram a doença.

A disposição dá aos Länder o poder de prescrever a utilização de máscaras noutros espaços fechados, embora estejam previstas excepções no desporto, nas actividades culturais e no comércio de hotelaria e restauração.

Na educação, os governos regionais só poderão introduzir o uso obrigatório de máscaras faciais se esta for a única forma de manter a educação essencial.

Estes regulamentos irão substituir a Lei da Infecção, que expira em Setembro, e se aprovada pelo Parlamento estará em vigor a partir de 1 de Outubro.

O Instituto Robert Koch de Virologia (RKI) relatou hoje que com 87.681 casos de Covid-19 relatados nas últimas 24 horas, o país ultrapassou o limiar de 31 milhões de casos de infecção por Covid-19.

Este último número representa mais de um terço da população nacional e é o pior da Europa depois da França, apesar da elevada taxa de vacinação do continente.

O RKI, responsável pelo controlo de doenças infecciosas na Alemanha, também comunicou a morte de mais 210 pessoas, elevando o número total de pessoas que morreram da doença para 144.360.

A maioria das infecções encontra-se na Renânia do Norte-Vestefália, Baviera, Baden-Württemberg e Niedersachsen.

A Alemanha é o quinto país mais atingido pela crise Covid-19 a nível mundial, de acordo com o RKI.

mgt/ehl

Grupo alemão promete investimento de 5 mil milhões de euros para Angola.

#Angola #EconomíaNacional #Alemania

Jornalista: Ana Paulo

Um grupo empresarial alemão quer, numa primeira fase, investir no mercado angolano cinco mil milhões de euros, de acordo com Klause Schreiber, presidente do grupo BiocareGreen Manager Development, que expressou a intenção em nome da delegação de dez empresários germânicos que prospectam Angola até ao próximo dia 10, que esta segunda-feira, chegou a Luanda.

Empresários arrancam com projectos num espaço de 6 meses © Fotografia por: Paulo Mulaza | edições novembro

A empresa BiocareGreen, Manager Development está virada para a produção de fertilizantes, suplementos alimentares, entre outros complementos e desenvolvimentos da cadeia produtiva industrial. Em Angola, os dez representantes alemães vão obter informações sobre investimentos nos sectores da Energia Solar, Construção de Hospitais e empresas de resíduos sólidos, além da forte aposta na habilitação de quadros nacionais com novas técnicas sobre medicina local.

O chefe da delegação empresarial alemã garantiu o início da implementação dos projectos num período de seis meses. Para o grupo, “os resíduos sólidos são uma prioridade e, para que tal se concretize, temos um capital reservado para investir em tecnologias alemãs de transformação de matéria-prima”, frisou Klause Schreiber, que se mostrou satisfeito com a nova Lei de Investimento Privado, sobretudo no campo dos incentivos fiscais demonstrados pelo presidente do Conselho de Administração da AIPEX (Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações).

A embaixadora de Angola acreditada na República Federal da Alemanha, Balbina Dias da Silva, disse que com o reforço da parceria comercial entre os dois países é uma mais-valia  para Angola, já que a Alemanha, sendo um país muito industrializado, pode bem contribuir na indústria angolana, sector que se encontra em plena revitalização.

“Com esta aposta haverá no país mais postos de trabalho e o fortalecimento do sector industrial com tecnologias de ponta Alemã”, frisou, acrescentando que, a relação comercial entre os dois países “é positiva e pela frente está prevista a vinda de mais duas delegações empresariais”.

Balança comercial     

A balança comercial entre Angola e a Alemanha ronda 200 milhões de dólares com registos que mostra uma tendência de importação de produtos da Alemanha, em 2019, na ordem dos 153 milhões de dólares, enquanto em 2021 cresceu para 187 milhões.

Os dados foram avançados pelo presidente da AIPEX, António Henriques da Silva, que realçou que este resultado para Angola ainda tem um pendor negativo, por registar mais importação que exportação.

Enquanto isso, a AIPEX controla 39 projectos alemãs em Angola, dos quais 32 distribuídos na província de Luanda, dois em Benguela, dois no Bengo, um em Ma-lanje e outro no Uíge. Destes, um total de 12 projectos são de prestação de serviços, oito da indústria, nove do comércio, seis da construção civil, enquanto a hotelaria e a agricultura têm apenas um projecto, cada.

Impunidade Neo-Nazi na Ucrânia – invenção russa ou verdade inconveniente?

#Rusia #Ucrania #EstadosUnidos #UniónEuropea #Nazismo

O Ocidente arma a Ucrânia “contra a Rússia”: o que está por detrás disto e porque pode não ser o que parece?

#Ucrania #EstadosUnidos #Rusia China #Economía #Gasoducto #NordTream2 #Alemania #OTAN

Cubano se nace.

#CubanoSeNace #CubaEsCultura #ComunidadCubana

Os preços do gás sobem “por causa da Rússia” (e depois esvaziam): o que se passa?

#AhiLesVa #Gas #Russia

%d bloggers like this: