Comunidad de Estados Latinoamericanos y Caribeños (CELAC), Cuba, Organización de Estados Americanos (OEA)

Cuba-USA: A indignidade de uns poucos não pode ser contra a boa vontade de muitos.

Autor: Raúl Antonio Capote | internacionales@granma.cu

Um espectáculo anti-cubano, preparado pela Comissão Interamericana dos Direitos Humanos da OEA, o mesmo que não disse uma palavra sobre os crimes dos golpistas que arrebataram a presidência ganha nas sondagens por Evo Morales na Bolívia, em 2019, e que é cego e surdo a todos os crimes cometidos pela ala direita na América Latina, vem juntar-se às tentativas de rarear e paralisar qualquer aproximação entre Cuba e os EUA.

Protagonistas bem conhecidos do negócio da contra-revolução foram convocados para o evento da OEA, um espectáculo deprimente de mentiras e manipulação que se repete, no meio de um clima que tende a forçar e a arrogância como método nas relações internacionais.

As sondagens, com intenções imparciais, promovem resultados desfavoráveis à aproximação, enquanto o povo cubano de ambos os lados do Estreito da Florida sofre as consequências de uma política incerta e perturbada devido às ambições de alguns políticos norte-americanos que se orgulham de continuar a apresentar-se como cubano-americanos.

cuba eeuu - NODAL

Propagam falácias, introduzem facturas contra Cuba, ameaçam, comprometem, compram consciências e fazem uso de todos os truques herdados dos seus antepassados na ilha, quando governavam os destinos do país como uma república das bananas antes de Janeiro de 1959.

Como culminação das indignidades, Marco Rubio e Bob Menendez apresentaram uma resolução bipartidária que presta homenagem aos mercenários da brigada 2506; algo inaudito se não tivesse vindo de tais personagens.

Ninguém no seu perfeito juízo pensaria em prestar homenagem à derrota. Não foi apenas a capitulação de um exército em combate, foi a indignidade de um grupo de mercenários que, se alguma coisa demonstraram, não foi exactamente coragem; a ignomínia de homens que, ao serviço de uma potência estrangeira, atacaram as suas terras em Abril de 1961; pessoas que, no momento amargo da rendição, fingiam ser cozinheiros e sacristas para tentarem esconder o seu papel de apóstatas disfarçados de soldados.

A sementeira intencional de ódio a que um grupo de políticos da máfia anti-cubana se tem dedicado contrasta com a posição demonstrada pelas cidades, organizações e políticos americanos que procuram uma aproximação entre as duas nações. Recentemente, líderes democratas e republicanos no Sul da Florida exortaram o Presidente Joe Biden a retomar o envio de remessas para Cuba.

Numa carta enviada à Casa Branca, os signatários, incluindo o Presidente da Câmara de Coral Gables Raul Valdes-Fauli, dizem que a questão requer “atenção urgente independentemente das tendências políticas” devido aos danos que causa ao povo cubano.

A soma das indignidades e dos ares de ódio soprados de Washington e Miami não pode extinguir a vontade da maioria dos cubanos e milhões de americanos que desejam uma melhoria nas relações entre Cuba e os EUA.

Categories: # yo voto vs bloqueo, #Estados UnidosDerecho InternacionalFulgencio BatistaLey Helms BurtonPrimera Ley de Reforma Agraria, #OEA, #OEA,Luis Almagro, #solidaridadvs bloqueo, Acciones contra Cuba, Bloqueo de Estados Unidos contra Cuba, Cuba, AmericaLatina, bloqueio econômico, BLOQUEIO VS CUBA, bloqueo contra cuba, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Colombia, Cuba, Economía, Ernesto Samper, Estados Unidos, Ministerio de Turismo (MINTUR), Relaciones Cuba Estados Unidos, Turismo, Bloqueo,Cuba,EstadosUnidos,Internet,Trask Force, Comunidad de Estados Latinoamericanos y Caribeños (CELAC), Cuba, Organización de Estados Americanos (OEA), CubavsBloqueo, Derechos Humanos, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, La Unión Europea se posiciona contra el bloqueo, Manipulação Política, Organização dos Estados Americanos (OEA), Venezuela, mentiras construídas em Washington contra Cuba, Organizacion e Estados Americanos (OEA), Trump procura reforçar o bloqueio, Washington | Deixe um comentário

Falsas etapas de uma aliança contra a Venezuela.

Autor: Elson Concepción Pérez | internet@granma.cu

Con un amargo sabor injerencista y una política fracasada y cruel, Estados Unidos, la Unión Europea, el llamado Grupo de Lima y la desprestigiada OEA, continúan asumiendo posiciones contrarias al diálogo político auspiciado por el Gobierno venezolano y sectores opositores, apoyado por la mayoría de a população.

Os últimos passos, longe de contribuir para a paz, a reconciliação e o respeito a um país soberano, fogem de todas as normas internacionais.

Um exemplo da continuidade dessa política de intromissão nos assuntos internos de um Estado foi a mais recente decisão do novo governo de Washington de prorrogar por um ano a emergência nacional declarada pelos Estados Unidos, o que qualifica o país sul-americano como perigoso .

La mayoría de la población apoya el diálogo político auspiciado por el Gobierno venezolano.

O argumento não poderia ser menos crível: «A situação na Venezuela continua a representar uma ameaça incomum e extraordinária à segurança nacional e à política externa dos Estados Unidos, para a qual determinei que é necessário continuar com a emergência nacional declarada em o Decreto Executivo 13692 a respeito da situação na Venezuela “, disse o presidente em nota divulgada pela Casa Branca.

Outro exemplo do prolongamento do uso de uma política de oposição à soberania venezuelana está contido no diálogo telefônico mantido entre o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, e o autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, cujo compromisso transcendeu os eua uu com a “promoção de uma transição democrática e pacífica” naquela nação, ignorando que há um governo e um presidente democraticamente eleito pela maioria do povo e reconhecido por grande parte da comunidade internacional.

Para realizar esse propósito, a Casa Branca publicou um documento no qual fala em “trabalhar com aliados com ideias semelhantes, incluindo a União Europeia, o Grupo de Lima e a OEA”.

É inédito que estas posições sejam tomadas em abertamente contra as regras internacionais de respeito mútuo, uma vez que nem Washington nem a UE mostram qualquer interesse no processo de diálogo que está a decorrer em Caracas. Ao contrário, as receitas continuam sendo as sanções econômicas em meio a uma pandemia sufocante e a intensificação da perseguição econômica e financeira, que inclui o confisco de milhões de dólares de dinheiro venezuelano em bancos americanos e europeus.

O oportuno, claro, seria o que hoje é o mais improvável, que a administração dos Estados Unidos e alguns governos da União Europeia coincidam em favorecer, politicamente, a realização de um diálogo governo-oposição e, economicamente, retirar as sanções arbitrárias e devolver a Caracas os recursos hipotecados que pertencem ao povo bolivariano.

Categories: # Argentina, #Canadá, #Caracas, #Colombia, Grupo de Lima, #Jorge Arreaza, #Perú, #venezuela, # OEA, # Venezuela, #América Latina, #Nicarágua, #Bolívia, #Venezuela, #Cuba, #Caracas, Golpe de Estado, Militar,#Nicolás Maduro Moros, #Venezuela, #Colombia, Ejército de Liberación Nacional (ELN), Guerrilla, Paz, #Venezuela, #Donald Trump, #Estados Unidos, #Estados Unidos, #Estados UnidosGrupo de LimaPalacio de Miraflores, #EUA contra uma possível intervenção militar na# Venezuela, #OEA,Luis Almagro, #Venezuela, A obsessão dos Estados Unidos, Comunidad de Estados Latinoamericanos y Caribeños (CELAC), Cuba, Organización de Estados Americanos (OEA), Dança de máscaras na OEA, Estados Unidos, Golpe de Estado, Injerencia, Lima, Nicolás Maduro Moros, Venezuela, Grupo de Lima, Injerencia De EEUU, Manipulação Política, Organização dos Estados Americanos (OEA), Venezuela, UNION EUROPEA | Deixe um comentário

Por que os EUA estão preocupados com a recente lei aprovada na Nicarágua?

Autor: Elson Concepción Pérez | internet@granma.cu

Poucos dias depois de o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, pisar na poeira e deixar a Casa Branca para trás de Donald Trump, ele ousou exigir que o presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, “mudasse de rumo” em seu país, e afirmou que “Washington não tolerará ameaças à democracia na Nicarágua.”

Esse homem parece esquecer os anos em que a Frente Sandinista e o Comandante Ortega lutaram com armas, até derrotar a ditadura de Anastasio Somoza, e depois, a dura batalha para fazer daquela nação centro-americana um exemplo de independência, com planos sociais que Eles promoveram não apenas o desenvolvimento econômico, mas levaram o país a excelentes taxas de saúde, educação e emprego.

Coronavirus: dónde está Daniel Ortega, el líder de Nicaragua que no aparece  en público - LA NACION

Pompeo poderia dedicar suas “preocupações” a encontrar uma solução para o sistema que representa, doente com metástases e com programa de saúde em coma.

Outros atores americanos atacaram a Nicarágua, como o congressista Albio Sires, que pediu uma “resposta internacional unificada” contra o governo nicaraguense.

Poucos dias antes das ameaças de Pompeo e do pedido do deputado Senhores, o Secretário-Geral da OEA, Luis Almagro, inspirou a campanha de denúncias contra a nação sandinista, chegando a exigir que o Presidente Ortega revogasse a lei recentemente aprovada democraticamente naquele país, com o título de Lei de Defesa dos Direitos dos Povos à Independência, Soberania e Autodeterminação para a Paz.

Especificamente, trata-se de exigir que a Nicarágua renuncie à sua soberania e permita que grupos pagos pelos Estados Unidos e apoiados pela OEA assumam o poder na nação sandinista.

Após o primeiro pronunciamento de Almagro, o embaixador do governo Trump junto à OEA, Carlos Trujillo, “deu todo o apoio de seu governo” à demanda contra Manágua.

A lei que “irritou” Pompeo, Almagro e outros personagens da mesma categoria, foi aprovada pela maioria dos membros da Assembleia Nacional daquele país, e se pronuncia para desqualificar aqueles que “ferem os interesses de supremo da nação, contemplado no ordenamento jurídico.

Daniel Ortega - Noticias, reportajes, vídeos y fotografías - Libertad  Digital

Segundo a Prensa Latina, a legislação, em seu artigo 1º, determina que “os nicaragüenses que liderarem ou financiarem um golpe de Estado, que alterarem a ordem constitucional, perderão o direito político de serem eleitos”.

Da mesma forma, essas limitações terão aquelas que “promovem ou encorajam atos terroristas, que realizam atos que minam a independência, a soberania e a autodeterminação, que incitam a ingerência estrangeira nos assuntos internos”.

Outros sujeitos aos quais o novo corpo jurídico poderá ser aplicado serão aqueles que “solicitarem intervenções militares, e se organizarem com financiamento de potências estrangeiras para realizar atos de terrorismo e desestabilização”.

Por fim, cita, entre os desqualificados, aqueles que “propõem e administram bloqueios de operações econômicas, comerciais e financeiras contra o país e suas instituições, aqueles que exigem, exaltam e aplaudem a imposição de sanções contra o Estado da Nicarágua e seus cidadãos ».

Luis Almagro, el candidato de Pompeo

Almagro, em seu ego servil ao império, encerrou sua declaração dirigida ao presidente da Nicarágua com uma oferta que caracteriza o próprio coração da instituição e de seu chefe: “a OEA está preparada para aconselhar sobre a realização de eleições livres, justas e transparentes”. .

Almagro parece pensar que na região o plano de golpe que a própria OEA, e ele pessoalmente engendrou, contra o governo de Evo Morales e as massas na Bolívia, que causou mortes e feridos e declínio econômico e social para aquela nação que viveu seus melhores anos.

Categories: "Liberdade", "democracia", "racismo" e "direitos humanos", #China#EEUU#Iran#Nicaragua.barco hospital naval Arca de la Paz, #Daniel Ortega Saavedra, #Nicaragua, #USAID, #Donald Trump, #Estados Unidos, #Nicaragua, #OEA, #OEA,Luis Almagro, CIA, CIA Mike Pompeo, Comunidad de Estados Latinoamericanos y Caribeños (CELAC), Cuba, Organización de Estados Americanos (OEA), Dança de máscaras na OEA, Donald Trump liderou um golpe de estado na nação bolivariana, Donald Trump, Estados Unidos, Estados Unidos, Golpe de Estado, Injerencia, Lima, Nicolás Maduro Moros, Venezuela, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, expulsou da aliança o Secretário Geral da OEA, FORA TRUMP, Injerencia De EEUU, Luis Almagro, Nicarágua, Organização dos Estados Americanos (OEA), Nicaragua, Organizacion e Estados Americanos (OEA), relações bilaterais, o governo Donald Trump, Secretário-Geral da OEA,, Trump procura reforçar o bloqueio, Um bom filho ... de Trump | Deixe um comentário

Série de estreia … OS DESPRECIÁVEIS (Capítulo I)

Categories: #Donald Trump, #Estados Unidos, #Estados UnidosGrupo de LimaPalacio de Miraflores, #EstadosUnidos, #FalsosAtaquesAcústicos, Cuba, diplomáticos estadounidenses, Estados Unidos, A guerra dos Estados Unidos, A obsessão dos Estados Unidos, ações subversivas, Acciones contra Cuba, Bloqueo de Estados Unidos contra Cuba, Cuba, Acciones contra Cuba, Cuba, Donald Trump, Relaciones Cuba - Estados Unidos, Ataques, Cuba, EEUU, injerencia, Mafia Anticubana, Política, Radio y TV Martí, subversió, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Casa Blanca, Cuba, Estados Unidos, La Florida, Miami, Relaciones Cuba Estados Unidos, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Colombia, Cuba, Economía, Ernesto Samper, Estados Unidos, Ministerio de Turismo (MINTUR), Relaciones Cuba Estados Unidos, Turismo, Bloqueo,Cuba,EstadosUnidos,Internet,Trask Force, Comunidad de Estados Latinoamericanos y Caribeños (CELAC), Cuba, Organización de Estados Americanos (OEA), CONTRA-REVOLUÇÃO EM MIAMI, CUBA - ESTADOS UNIDOS, Estados Unidos, Golpe de Estado, Injerencia, Lima, Nicolás Maduro Moros, Venezuela, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, EUA avalia retornar a Cuba para lista de estados patrocinadores do terrorismo, Injerencia De EEUU, MIAMI, Os Estados Unidos estão se preparando para subverter a Revolução Cubana através da Internet, Subversão contra Cuba, Subversión, Terrorismo, TERRORISMO VS CUBA | Deixe um comentário

Intervenção do Presidente de Cuba na XVIII Cúpula ALBA-TCP

Categories: # Venezuela, #ALBA, #América Latina, #Nicarágua, #Bolívia, #Venezuela, #Cuba, #America Latina, #colaboracion medica cubana, #Cuba, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, #YoSoyFidel, ALBA, ALBA-TCP, Cuba, Fidel Castro Ruz, Hugo Chávez Frías, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, Nicolás Maduro Moros, Venezuela, ALBA, com a bandeira de Bolívar e Martí, ALBA-TCP, Alianza Bolivariana de los Pueblos de Nuestra América-Tratado de Comercio de los Pueblos (alba-tcp, América Latina e do Caribe como Zona de Paz, América Latina y el Caribe, bolivia, BOLIVIA Evo Morales Fidel Castro Hugo Chávez, CELAC, Comunidad de Estados Latinoamericanos y Caribeños (CELAC), Cuba, Organización de Estados Americanos (OEA), Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), Cuba, fidel castro, Fidel Castro y Hugo Chávez., Hugo Chavez, presidência pró-tempore #Celac, sonhos de Fidel, XVI Cúpula de Chefes de Estado e de Governo da Aliança Bolivariana para os Povos do Nosso Tratado de Comércio dos Povos da América (ALBA-TCP), | Deixe um comentário

Cooperação, o principal desafio do mecanismo CELAC-UE

Autor: Nuria Barbosa León | internet@granma.cu

O apelo para preservar o vínculo entre a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) e a União Europeia (UE), e para evitar a exclusão de qualquer nação, essencialmente a Venezuela, centrou a intervenção do Ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez Parrilla, na Reunião Ministerial informal desse mecanismo multilateral.

De forma virtual, representantes de mais de 50 governos discutiram a necessidade de uma resposta conjunta ao COVID-19, o uso de novas tecnologias de informação e comunicação neste contexto, iniciativas de enfrentamento às mudanças climáticas, e cooperação multilateral na recuperação pós-pandemia.

Bruno Rodriguez celac ue

“As múltiplas crises agravadas pela COVID-19 e seus efeitos devastadores evidenciaram a urgência de intensificar a solidariedade e a cooperação internacional”, disse o Chanceler cubano, e a seguir explicou o grande desafio da ilha para superar os efeitos da pandemia , dada a intensificação do bloqueio econômico, comercial e financeiro dos Estados Unidos.

«Este mecanismo deve ser, a nosso ver, o quadro de coordenação de uma resposta bi-regional aos desafios impostos pela COVID-19, que permite a participação de todos os países da CELAC e da União Europeia, sem exclusões e sem ignorar a nossa diversidade e diferentes níveis de desenvolvimento ”, defendeu o ministro cubano na reunião convocada pela Alemanha, na qualidade de presidente da UE.

Os outros países também pediram apoio à Organização Mundial e Pan-Americana da Saúde, ajuda abnegada e colaboração.

O Ministro das Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard Casaubon, na qualidade de Presidente Pro Tempore da Celac, destacou as múltiplas coincidências entre os valores, prioridades e perspectivas dos participantes diante dos desafios globais; entretanto, o alemão Heiko Maas anunciou a criação de um instituto transnacional de luta contra as doenças infecciosas na América Latina.

Categories: # Cuba, # Venezuela, #ALBA, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, #Fidel, #Nicaragua, #YoSoyFidel, ALBA, ALBA-TCP, Cuba, Fidel Castro Ruz, Hugo Chávez Frías, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, Nicolás Maduro Moros, Venezuela, ALBA, com a bandeira de Bolívar e Martí, ALBA-TCP, ALBA-TP, Alianza Bolivariana de los Pueblos de Nuestra América-Tratado de Comercio de los Pueblos (alba-tcp, América Latina e do Caribe como Zona de Paz, América Latina e do Caribe,, AMERICA LATINA, ·Venezuela, bolivia, BOLIVIA Evo Morales Fidel Castro Hugo Chávez, Caracas, #Estados Unidos, Golpe de Estado, #Mike Pence, Militar, #Nicolás Maduro Moros, #Venezuela, Caribe Sul e Antilhas, Cúpula da ALBA-TCP, Comunidad de Estados Latinoamericanos y Caribeños (CELAC), Cuba, Organización de Estados Americanos (OEA), Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), Fidel Castro Ruz, Fidel Castro Ruz, Historia de Cuba, Fidel Castro y Hugo Chávez., Hugo Chavez, MINREX, Raúl na inauguração da Cúpula ALBA-TCP:, solidariedade, sonhos de Fidel, XVI Cúpula de Chefes de Estado e de Governo da Aliança Bolivariana para os Povos do Nosso Tratado de Comércio dos Povos da América (ALBA-TCP), | Etiquetas: | Deixe um comentário

A #Caricom está interessada em uma cooperação mais estreita com a #Cuba.

O chefe de governo afirmou que a cooperação “tem contribuído de forma eficaz para o crescimento do bem-estar dos povos da Comunidade”.

A esse respeito, disse Browne, expressamos nossa mais sincera gratidão ao Governo de Cuba por seu apoio contínuo e pela extensão de sua boa vontade, em particular para o financiamento da Escola Regional de Artes do Caribe na Jamaica e do Centro de Tratamento de Deficiências físicas para ajudar crianças com deficiências físicas, com sede na Guiana.

Caricom

Também reafirmou o interesse de Antígua e Barbuda em continuar promovendo iniciativas sociais entre nossos países.

O chefe de governo de Antígua e Barbuda destacou a importância para a região de ampliar as relações econômicas e comerciais entre os países integrados ao Caricom e Cuba, e quanto contribuirá para isso a conclusão e implementação do Acordo de Cooperação revisado nessas áreas. ambos os lados.

Realizou-se esta terça-feira a VII Cúpula Caricom-Cuba, reunião na qual, entre outros pontos, se acordou aprofundar a implementação do referido acordo; também mantém cooperação médica, especialmente para a luta contra a Covid-19.

Os países envolvidos também concordaram com a necessidade de promover o turismo sustentável e com múltiplos destinos e de conciliar estratégias para enfrentar os desafios impostos pela mudança climática, especialmente para os pequenos Estados insulares.

CARICOM

Como parte de uma política comum, a entidade regional reiterou sua rejeição ao bloqueio econômico, financeiro e comercial imposto pelos Estados Unidos a Cuba, bem como às medidas extraterritoriais, como a Lei Helms-Burton, voltada para afetar as relações da maior ilha das Antilhas. com outros países. (PL)

Categories: # yo voto vs bloqueo, #Donald Trump, #Estados Unidos, #Estados Unidos, #solidaridadvs bloqueo, 13:00 Conferência "A solidariedade como base para novas relações de cooperação e de complementaridade": Dr. Julio Cesar García Rodríguez. Chefe do escritório de atenção às missões cubanas , A obsessão dos Estados Unidos, Acciones contra Cuba, Bloqueo de Estados Unidos contra Cuba, Cuba, América Latina e do Caribe como Zona de Paz, América Latina e do Caribe,, América Latina y el Caribe, bloqueo contra cuba, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Casa Blanca, Cuba, Estados Unidos, La Florida, Miami, Relaciones Cuba Estados Unidos, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Colombia, Cuba, Economía, Ernesto Samper, Estados Unidos, Ministerio de Turismo (MINTUR), Relaciones Cuba Estados Unidos, Turismo, Bloqueo,Cuba,EstadosUnidos,Internet,Trask Force, Comunidad de Estados Latinoamericanos y Caribeños (CELAC), Cuba, Organización de Estados Americanos (OEA), Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), CubavsBloqueo, La Unión Europea se posiciona contra el bloqueo, solidariedade | Deixe um comentário

Declaração Final da VII Cúpula CARICOM-Cuba.

Retirado da página da embaixada.

Declaração Final da VII Cúpula CARICOM-Cuba

8 de dezembro de 2020

Nós, os Chefes de Estado e de Governo da Comunidade do Caribe (CARICOM) e da República de Cuba, nos reunimos em 8 de dezembro de 2020 por videoconferência, por ocasião da Sétima Cúpula CARICOM-Cuba e em comemoração ao quadragésimo oitavo aniversário o estabelecimento de relações diplomáticas entre os quatro Estados independentes da CARICOM e Cuba e o décimo oitavo aniversário do Dia da CARICOM-Cuba;

Orgulhoso de nossa identidade caribenha e do progressivo desenvolvimento das relações políticas e da cooperação, fortalecida por acordos, intercâmbios e consultas em foros internacionais, em benefício de nossos povos; e pautada pelos princípios da solidariedade e complementaridade;

Reafirmando as Declarações das Cúpulas de Havana de 2002, Bridgetown de 2005, Santiago de Cuba de 2008, Port of Spain de 2011, Havana de 2014 e Saint Mary de 2017;

Cientes da necessidade de trabalharmos juntos para o desenvolvimento sustentável de nossas nações, o que nos permite construir sociedades mais inclusivas, justas e equitativas e enfrentar vulnerabilidades comuns, como pequenos Estados insulares em desenvolvimento e países em áreas costeiras de baixa altitude, especialmente nas esferas econômica e econômica. de Meio Ambiente;

Profundamente comovido pela perda de vidas e preocupado com os devastadores efeitos socioeconômicos causados ​​pela pandemia de COVID-19 e os devastadores eventos climáticos, que agravaram as múltiplas crises que a humanidade enfrenta hoje;

Saudando a assistência médica prestada aos Estados membros da CARICOM pelo Governo de Cuba em resposta à pandemia de COVID-19;

RESSALTANDO a importância de unir forças para melhorar a produtividade, a infraestrutura, a conectividade aérea e marítima em nossos países; bem como expandir os laços econômicos e comerciais por meio da aplicação do Acordo Revisto sobre Comércio e Cooperação Econômica entre a CARICOM e Cuba;

Sublinhando a importância da consolidação da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), como mecanismo de acordo político e promoção da unidade e integração de nossa região, e de defesa de seus interesses nas relações internacionais e com terceiros;

Felicita Presidente Cubano a Caricom por su aniversario Avalanches.com

Reafirmando a validade da Proclamação da América Latina e do Caribe como Zona de Paz, assinada em Havana em janeiro de 2014.

Nós concordamos:

  1. Reiterar que a unidade e integração de nossa região se baseia no respeito irrestrito aos Propósitos e Princípios consagrados na Carta das Nações Unidas e no Direito Internacional, em particular, soberania, autodeterminação, integridade territorial, a não ingerência nos assuntos internos dos Estados, a solução pacífica de controvérsias, a proibição da ameaça ou do uso da força; bem como na promoção e proteção dos direitos humanos para todos.
  2. Sublinhar a importância de defender a unidade regional para preservar a paz e a estabilidade em nossos países;
  3. Saudar os resultados alcançados na Sexta Reunião de Ministros das Relações Exteriores da CARICOM e Cuba, realizada em Georgetown, Guiana, em 14 de junho de 2019, na qual se acordou a necessidade de maior cooperação, bem como de fortalecer a comércio e investimento.
  4. Reafirmamos nossa disposição de fortalecer a cooperação Sul-Sul, como expressão de solidariedade, a fim de promover programas bilaterais e regionais, bem como a cooperação triangular para o desenvolvimento, levando em consideração as prioridades nacionais.
  5. Expressar a vontade de continuar recebendo a cooperação médica que Cuba oferece, reconhecendo sua contribuição para o bem-estar da população caribenha, especialmente os valiosos recursos humanos adicionais proporcionados no combate à COVID-19. Rejeitamos qualquer tentativa de desacreditar, distorcer e obstruir a assistência médica cubana, que é de importante ajuda para a região e para o sistema de saúde do Caribe.
  6. Intercâmbio sobre as melhores experiências na gestão da pandemia COVID-19 e outras situações epidemiológicas comuns ao Caribe e avaliação do uso clínico de medicamentos biotecnológicos cubanos inovadores no tratamento e prevenção da pandemia.
  7. Reconhecer a cooperação sustentada entre Cuba e os países da Comunidade do Caribe em áreas como saúde, desenvolvimento de recursos humanos, construção, esportes, educação, conservação ambiental e redução e mitigação de riscos. desastres naturais, que contribuíram efetivamente para o desenvolvimento e o bem-estar de nossos povos.
  8. Continuar a implantação do Centro de Estímulo ao Desenvolvimento de Crianças, Adolescentes e Jovens com Necessidades Educacionais Especiais, na Guiana.
Díaz-Canel en CARICOM-CUBA: Defendamos la solidaridad y la cooperación |  Cuba Si
  1. Manter intercâmbios para o início da Escola Regional de Artes do Caribe na Jamaica.
  2. Destacar o compromisso de buscar alternativas para promover as relações econômicas e comerciais, identificando nossas fortalezas e possibilidades de complementaridade, bem como a implementação e maior uso do Segundo Protocolo Adicional ao Acordo de Comércio e Cooperação CARICOM-Cuba.
  3. Enfatizam que a atualização do modelo econômico cubano, sua Lei de Investimentos Estrangeiros e a Zona Especial de Desenvolvimento de Mariel oferecem oportunidades adicionais e amplas para acelerar e fortalecer os laços econômicos entre a CARICOM e Cuba.
  4. Reconhecer a promoção do turismo sustentável como um dos elementos fundamentais para o desenvolvimento econômico do Caribe e fortalecer a cooperação nesse sentido, incluindo o turismo com múltiplos destinos, nos termos do Memorando de Entendimento assinado entre o Governo de Cuba e os Estados da CARICOM na Sexta Cúpula Cuba – CARICOM.
  5. Enfatizamos que a mudança climática, pela magnitude de seu impacto, é um dos maiores desafios para nossas nações, afetando em particular os países em desenvolvimento, especialmente os Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento. Por isso, estamos empenhados em fortalecer os intercâmbios, no âmbito da CARICOM e nos organismos internacionais pertinentes, para mitigar seus efeitos negativos.
  6. Sublinha que a adaptação aos impactos das mudanças climáticas representa uma prioridade global imediata e urgente.
  7. Fortalecer a cooperação para a proteção do meio ambiente e o uso sustentável de nossos recursos, especialmente os do Mar do Caribe. Nesse sentido, apoiamos os esforços envidados pela Associação dos Estados do Caribe para declarar o Mar do Caribe como “Zona Especial no contexto do Desenvolvimento Sustentável”, no âmbito das Nações Unidas
  8. Acolhemos com satisfação as ações implementadas em conjunto por nossos países para reduzir o risco de desastres naturais. Destacamos a assinatura de um acordo entre a Defesa Civil de Cuba e a Agência Caribenha de Gestão de Emergências e Desastres para ampliar e integrar os sistemas regionais de alerta precoce. Da mesma forma, ressaltar os esforços conjuntos para a capacitação de diversos órgãos de resgate do Caribe e do pessoal cubano e caribenho especializado na gestão da resposta aos desastres naturais.
  9. Reiterar nosso apelo à revisão e modificação dos atuais critérios de “graduação” para receber Assistência Oficial ao Desenvolvimento, de modo que reflitam adequadamente a realidade e as necessidades específicas dos países de renda média altamente endividados, especialmente os Estados do Caribe, e integrar as diferentes dimensões do desenvolvimento sustentável incluídas na Agenda 2030, levando em consideração que os critérios atuais não refletem os níveis reais de desenvolvimento econômico e social, nem os efeitos multidimensionais da pobreza, da desigualdade e da vulnerabilidade.
  10. Expressam profunda preocupação com a inclusão dos Estados membros da CARICOM nas listas de jurisdições fiscais não cooperativas e pedem uma mudança neste enfoque, que tem consequências negativas para as economias desses países, que demonstraram sua disposição de cooperar e dialogar com a fim de encontrar soluções mutuamente vantajosas para as partes.
  11. Expressam também profunda preocupação e rejeição à redução progressiva das relações de correspondentes bancários com os países em desenvolvimento, especialmente os Estados membros da CARICOM, devido a ações para reduzir o risco em alguns dos mais grandes corporações bancárias internacionais, que ameaçam a estabilidade financeira dos países afetados e limitam seus esforços para alcançar o desenvolvimento e o crescimento socioeconômico.
  12. Destacar a importância da reparação e indenização pelos danos causados ​​pela escravidão, contratos de garantia e genocídio da população nativa do Caribe como um ato de justiça.
  13. Rejeitar a imposição de medidas coercivas unilaterais e, neste contexto, instar pelo fim imediato e incondicional do bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelo governo dos Estados Unidos da América contra Cuba e contra a perseguição de Transações financeiras cubanas, cuja gravidade aumentou. Reiterar a rejeição vigorosa à aplicação de leis e medidas de caráter extraterritorial como a Lei Helms-Burton, que viola flagrantemente o Direito Internacional e mina a soberania e os interesses de terceiros.
  14. Agradecer ao Governo da República de Cuba a organização que realizou para a realização da Sétima Cúpula de Chefes de Estado e de Governo da CARICOM e de Cuba por videoconferência.
  1. Realizar a Oitava Cúpula CARICOM – Cuba em 8 de dezembro de 2022 e, anteriormente, a Sétima Reunião Ministerial na República de Cuba.
  2. Aprovado no dia 8 de dezembro de 2020.

(Cubaminrex)

Categories: #América Latina, #Nicarágua, #Bolívia, #Venezuela, #Cuba, #Cuba, América Latina y el Caribe, Caribe, CELAC, Comunidad de Estados Latinoamericanos y Caribeños (CELAC), Cuba, Organización de Estados Americanos (OEA), Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), Coronavirus, CoronaVirus, Noticias de Cuba, Política, DIAZ CANEL, epidemia, O presidente de Cuba, Miguel Diaz-Canel, presidência pró-tempore #Celac | Deixe um comentário

Cuba e China: unidos na defesa da paz e do multilateralismo .

Autor: Milagros Pichardo | internacionales@granma.cu

Autor: Lisset Chávez | internet@granma.cu

O General do Exército Raúl Castro Ruz, Primeiro Secretário do Comitê Central do Partido, e o Presidente da República de Cuba, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, presidiram o ato político-cultural desta segunda-feira pelos 60 anos das relações diplomáticas entre Cuba e China, fundada em 28 de setembro de 1960.

O primeiro-ministro Manuel Marrero Cruz sublinhou que os laços de amizade entre as duas nações assentam na confiança política, no apoio e na solidariedade mútua. Destacou que as esferas da biotecnologia e das fontes renováveis ​​de energia são pontos fundamentais da cooperação e ratificou o interesse dos dois países em continuar enriquecendo as relações bilaterais e trabalhando juntos na defesa da paz e do multilateralismo.

Raúl y Díaz-Canel presidieron el acto por el aniversario 60 de las relaciones entre Cuba y China.

Raúl y Díaz-Canel presidieron el acto por el aniversario 60 de las relaciones entre Cuba y China. Foto: Estudios Revolución

O Embaixador extraordinário e plenipotenciário da República Popular da China, Chen Xi, transmitiu as cordiais saudações do Presidente e Secretário-Geral do Comité Central do Partido Comunista da China, Xi Jinping, a Raúl Castro e Miguel Díaz-Canel.

Destacou que, diante da situação internacional, Cuba e seu país assumem a responsabilidade de manter altas as bandeiras do socialismo e defendem os canais de diálogo e cooperação para preservar a soberania e a independência de todos os países em desenvolvimento.

Também estiveram presentes à cerimônia, realizada no Palácio da Revolução, membros do Bureau Político, ministros e representantes de organizações e instituições do Estado cubano, funcionários do Ministério das Relações Exteriores de nosso país e diplomatas chineses credenciados na Ilha.

Cuba tornou-se o primeiro país da América Latina e do Caribe a estabelecer relações diplomáticas com a China e lançou as bases para seu posterior intercâmbio com as nações da região. Atualmente, desempenha um papel crucial no fortalecimento do Fórum China-Celac.

Categories: CELAC, China, Comunidad de Estados Latinoamericanos y Caribeños (CELAC), Cuba, Organización de Estados Americanos (OEA), Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), Cooperacion, CubaCoopera, MINREX, presidência pró-tempore #Celac | Deixe um comentário

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: