A OWG Airlines iniciou voos directos entre o Canadá e Holguín.

#Cuba #Sanciones #VuelosDirectos #Aerolíneas #BoqueoEconómico

(Com informação de ¡Ahora! e PL)

A companhia aérea canadiana OWG começou a operar voos directos entre Toronto e Montreal e o Aeroporto Internacional Frank País, de Holguín, a 30 de Junho. O serviço será prolongado até Outubro próximo.

Depois das 15h45, o avião OWG aterrou no terminal aéreo de Holguin com mais de 150 passageiros a bordo, na sua maioria turistas cujo destino são hotéis na costa norte de Holguin, tais como o Gran Muthu Almirante e o Brisas Guardalavaca.

Até Outubro, a companhia aérea OWG irá oferecer voos directos de Toronto e Montreal para o aeroporto internacional de Holguín. Foto: Tirada de ¡Ahora!

Todas as quintas-feiras, a companhia aérea canadiana irá operar itinerários desde Montreal e Toronto até Holguín através da agência de viagens Hola Sun Holidays & Caribe Sol da Havanatur.

Elizabeth García Oro, directora da filial Havanatur T&T Oriente Norte, disse que os dois primeiros voos da OWG, com as suas capacidades quase esgotadas, reafirmam a preferência pelo destino Holguín no mercado canadiano.

García Oro acrescentou que este primeiro voo da OWG abre uma nova rota para o país, à qual se juntarão outros destinos turísticos importantes como Villa Clara, Cayo Coco e Varadero.

Off We Go (OWG), recentemente criado, pertence ao consórcio Nolinor Aviation e irá operar com uma frota de três Boeing 737-400, adquiridos no início de 2020.

Cada semana, a companhia aérea transportará mais de 360 viajantes que ficarão em instalações localizadas principalmente nas praias de Guardalavaca, Pesquero, Esmeralda e Estero.

Com estes dois novos voos do Canadá, o número sobe para oito a partir desse mercado que, juntamente com os da Itália, Alemanha, Bahamas e Cancun e os nove voos charter de Miami, trazem para 23 as chegadas semanais de aviões estrangeiros a Frank País.

Yoel Hechavarría, coordenador geral do terminal aéreo de Holguín, anunciou que até à segunda quinzena de Julho as operações deverão aumentar nesse aeródromo com mais seis viagens anunciadas a partir dos Estados Unidos, e que os voos regulares da American Airlines deverão recomeçar em Novembro.

TAAG reajusta horário de voos entre Luanda-Lisboa e São Paulo.

#Angola #TAAG #Brasil #Lisboa

Jornal de Angola.

A TAAG anunciou esta quinta-feira a alteração dos horários dos voos de ligação entre Luanda-Lisboa, São Paulo e Lagos, devido às obras de melhoria na pista do Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro.

© Fotografia por: DR | Arquivo

Segundo uma nota de imprensa da companhia aérea, as alterações afectaram o horário de partida do voo DT 650 (Luanda-Lisboa), e de chegada do voo DT 748 (São Paulo-Luanda), bem como o DT 565 (Lagos-Luanda), ajuste que será temporário.

Nesse sentido, o horário do voo DT 650, que faz diariamente a ligação entre Luanda e Lisboa no período nocturno, partirá da capital angolana às 22:30, com chegada prevista para as 06:20 (hora local).

Já o voo DT 748 proveniente de São Paulo (Brasil), que parte do território brasileiro às 18:15 (hora local) passa a ter como horário de chegada matinal 05:35, segunda, quarta e sexta-feira.

O voo DT 565 proveniente de Lagos (Nigéria) parte às 03:00 (hora local) e chega a Luanda às 06:00, na quinta-feira e no domingo.

O documento esclarece ainda que a programação de voos TAAG terá, a partir de hoje, apenas os voos DT 650, DT 748 e DT 565 com impacto no horário habitual.

No comunicado, a TAAG solicita aos passageiros dos voos mencionados “especial cuidado” na preparação da viagem, nomeadamente, com ‘check-in’, ‘drop-off’ de bagagem e apresentação ao aeroporto, face aos novos horários estipulados.

A companhia aérea nacional compromete-se a fazer esta comunicação aos passageiros através do envio de SMS/email, bem como, publicação nas plataformas online da TAAG, além da uma nota enviada à imprensa.

“A TAAG está a acompanhar esta operação de forma permanente junto da Sociedade Gestora de Aeroportos (SGA) no sentido de prestar novas informações aos seus passageiros sempre que se justifique, pelo que, lamentamos qualquer transtorno causado e reforçamos sobre os cuidados a ter na preparação da viagem e voos de ligação”, sublinha o comunicado citado pela Lusa.

Os primeiros pedaços de um Boeing despenhados na China foram encontrados.

#BoeingAccidentadoEnChina #Aerolinea #Desastre

O incêndio foi extinto e as operações de salvamento estão em curso, disse Chen Jie, um funcionário do departamento regional de gestão de emergências.

Os bombeiros encontraram partes dos Boeing 737 MU5735 que se despenharam na região autónoma da etnia Zhuangxi, no sul da China, na segunda-feira, enquanto decorriam os trabalhos de salvamento na zona da catástrofe.

#Desas

Os bombeiros de Wuzhou despacharam 117 profissionais a bordo de 23 bombeiros para o local. Outros 538 de outras partes de Guangxi foram enviados para apoiar o trabalho de salvamento, disse o serviço regional de bombeiros na sua conta Weibo social media.

A província vizinha de Guangdong enviou 505 bombeiros e 97 veículos para ajudar na operação de salvamento, e a primeira equipa chegou ao local.

A comissão regional de saúde de Guangxi enviou 12 peritos médicos ao local, enquanto mais de 80 trabalhadores médicos e 36 ambulâncias enviadas pelas autoridades sanitárias da cidade de Wuzhou chegaram ao local.

Um avião de passageiros com 132 pessoas a bordo despenhou-se na região autónoma de Guangxi, de etnia Zhuang, no sul da China, na segunda-feira à tarde, informou o departamento regional de gestão de emergências.

O avião, um Boeing 737 da China Eastern Airlines que descolara de Kunming e se dirigia para Guangzhou, despenhou-se no solo por volta das 14:38 (hora de Pequim) numa zona montanhosa perto da aldeia de Molang no distrito de Tengxian na cidade de Wuzhou, provocando um incêndio, de acordo com o departamento.

A bordo do voo MU5735 havia 123 passageiros e nove membros da tripulação, disse a Administração da Aviação Civil da China no seu website. A agência disse que, assim que tomou conhecimento do incidente, activou os respectivos protocolos de resposta de emergência e enviou uma equipa para o local.

TAAG é a empresa que mais recebe reclamações de clientes .

#Aerolineas #TAAG #Angola

A transportadora aérea de bandeira nacional, TAAG, é a empresa que mais “dor de cabeça” dá aos consumidores no país, revelou o director-adjunto do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC).

Wassamba Neto, que falava por ocasião do Dia Mundial do Consumidor, que hoje se assinala, disse que as reclamações estão relacionadas com os reembolsos dos bilhetes de passagem. “Apelamos à direcção da TAAG no sentido de reunir connosco para resolver essa situação o mais breve possível”, apelou.

Depois da TAAG, acrescentou, seguem-se os bancos comerciais, devido à retirada indevida de valores das contas dos clientes, e as redes sociais, onde têm ocorrido vários casos de burla.

Este ano, Angola assinala a data com o lema “a vulnerabilidade e hipossuficiência do consumidor”, devido ao elevado número de reclamações registadas no país. Wassamba Neto revelou que, desde 2021, foram notificadas 4.424 reclamações, das quais 2.037 resolvidas.

No mesmo período, referiu, foram realizadas 1.089 acções de mediação, 51 de formações, 12 palestras e 1.232 de sensibilização. Como resultado desse trabalho, mais de 158 milhões de kwanzas foram restituídos aos consumidores lesados.

O director-adjunto do INADEC mostrou-se satisfeito pelo facto de o legislador ter tipificado os crimes contra o consumidor no artigo 452 do novo Código Penal, que destaca, de forma específica, matérias que vieram dar dignidade às questões ligadas ao consumo, tendo em conta a complexidade e a importância do mercado de consumo na vida do cidadão.

Wassamba Neto adiantou que o INADEC tem trabalhado numa nova proposta de Lei de Defesa do Consumidor, por considerar que a actual não corresponde aos anseios dos consumidores. “Precisa ser actualizada para ser um verdadeiro instrumento jurídico que possa defendê-los melhor”, disse.

Segundo Wassamba Neto, “exigir os seus direitos é um dever de cidadania”, por isso foi instituído o Dia Internacional do Consumidor, para protegê-los e lembrar às empresas o cumprimento de todas as leis que protegem os clientes.

Pela data que hoje se assinala, Wassamba Neto desejou aos consumidores “um dia de muita reflexão” e garantiu a disponibilidade total dos serviços do INADEC. “Enquanto existirmos, estaremos disponíveis para prestar todo o contributo, porque, de forma directa ou indirecta, todos somos consumidores”, sublinhou. 

 AADIC regista 364 reclamações

Já a Associação Angolana dos Direitos do Consumidor (AADIC) registou, de Janeiro de 2021 até ontem, 364 casos de clientes insatisfeitos com serviços prestados por algumas instituições públicas e privadas.

O presidente da AADIC, Lourenço Texe, disse que, comparativamente ao ano anterior, houve aumento de reclamações, na medida em que, em 2020, a instituição registou 492 casos, dos quais 312 resolvidos e os restantes, pela sua complexidade, continuam a correr os seus trâmites.

Lourenço Texe apontou os sectores imobiliário, saúde, educação, banca, hotelaria, transportes e comércio como os que mais reclamações recebem dos consumidores. Segundo o presidente da AADIC, as principais queixas estão ligadas a incumprimentos de contratos, por parte dos fornecedores de bens e serviços, falta de informação, informação insuficiente, alteração dos contratos de forma unilateral, publicidade enganosa, contratos abusivos, alteração de preços com actos em contraposição à lei, entre outros.

“Só este ano, fomos contactados por 78 cidadãos que reclamaram dos serviços prestados pelos sectores acima referidos”, frisou.

 Data histórica

O Dia Mundial do Consumidor foi instituído pela primeira vez no ano de 1962, pelo Presidente dos Estados Unidos John Kennedy, como uma forma de dar protecção aos interesses dos consumidores americanos.

O então Presidente norte-americano ofereceu quatro direitos fundamentais aos consumidores, concretamente, direito à segurança, à informação, à escolha e de ser ouvido. Depois de 23 anos da acção de Kennedy, em 1985, a Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) adoptou o 15 de Março como o Dia Mundial do Consumidor, tendo como base as Directrizes das Nações Unidas, dando legitimidade e reconhecimento internacional para a data criada por John Kennedy.

  Preços elevados preocupam consumidores

 Apesar de algumas medidas adoptadas pelo Executivo, em relação à regulamentação dos preços dos produtos da cesta básica, o poder de compra dos cidadãos ainda está longe de ser alcançado.

À reportagem do Jornal de Angola, consumidores reclamaram dos altos preços e qualidade de alguns produtos. Comprar o básico continua cada vez mais difícil para Jorge Manuel, que reconhece uma ligeira redução no preço da caixa de coxa.

“Mas outros produtos, como óleo de soja e carne, continuam com os preços muito altos”, queixou-se o funcionário público, que revelou ser a única fonte de sustento da família, constituída pela esposa e quatro filhos. “Além do sustento da família, pago a propina do colégio dos meus quatro filhos”, conta.

Com a situação “insustentável”, Jorge Manuel tem feito serviço de táxi com a sua viatura, cujo valor junta ao baixo salário que aufere, para sobreviverem. “O Governo tem de ser mais rigoroso com a política de preços, não é normal que não consigamos comprar a cesta básica. O leite nem entra nessa equação, porque tornou-se um luxo, o mesmo acontece com o queijo e fiambre”, lamentou.

Estudante do curso superior de Arquitectura e Urbanismo, Vimara Fernandes é uma mulher insatisfeita com os serviços prestados no sector do comércio. Agastada com a especulação de preços dos materiais escolares no sector formal da economia, a estudante universitária, vezes sem conta, viu-se obrigada a desembolsar entre 15 e 20 mil kwanzas pelo material de trabalho.

Sem poder de compra, Vimara Fernandes tem tido o mercado informal como alternativa para conseguir o material do curso, indicando que o cartão cinza, para maqueta, no mercado informal, custa 700 kwanzas, enquanto no formal o preço varia entre 1.500 e 2000 kwanzas, ao passo que o frasco mais pequeno de cola custa 900 kwanzas no mercado informal e 1.200 kwanzas no formal. “É muita diferença de preços e para quem depende dos pais é mais complicado, já que somos três irmãos a frequentar a universidade”, lamentou.

Outra situação que inquieta Vimara Fernandes é a subida das propinas e o preço estabelecido para as refeições no refeitório da instituição onde estuda. Para a propina, paga 52 mil kwanzas, por isso de-fende que as refeições deviam ter um preço mais razoável, para que os estudantes deixem de recorrer às vendedeiras de rua para comprar comida a preço baixo, mas, muitas vezes, sem qualidade.

A empresária Ana Paula de Carvalho também mostrou-se agastada com os preços dos produtos no mercado nacional, que, na sua opinião, já deviam ser mais atractivos, devido à subida do preço do petróleo, nos últimos dias.

Há 27 anos no sector da restauração, Ana Paula de Carvalho defende que “quando o preço do barril do petróleo sobe, o câmbio tende a baixar, e quando isso acontece, outros produtos também baixam”.

“Adquiro os produtos em grandes superfícies comerciais e noto que os operadores económicos continuam a especular os preços. Apelo ao INADEC e às entidades competentes a fazerem maior fiscalização”.

Fonte: JA

A companhia aérea russa Nordwind anuncia o horário dos voos para Cuba.

#AerolineaRusa #Turismo #Cuba

Moscovo, Mar 1 (Prensa Latina) A companhia aérea russa Nordwind anunciou hoje o horário dos voos de e para Cuba para o transporte de passageiros entre os dois países após o encerramento do espaço aéreo.

Segundo a entidade, os passageiros cubanos serão aceites da Rússia para Cuba, enquanto na ilha, os viajantes insulares só serão recebidos quando as formalidades com os turistas russos tiverem sido concluídas.

Nordwind especificou que os voos são organizados com o objectivo prioritário de evacuar os cidadãos russos.

Até ao momento, a companhia aérea continuará a operar com as seguintes frequências durante o mês de Março:

Aeroporto Internacional Juan Gualberto (Varadero):

-Wednesdays e sábados a partir de Moscovo.

Aeroporto Internacional Jardines del Rey (Cayo Coco)

-Terças-feiras e sextas-feiras a partir de Moscovo.

Por outro lado, a Associação de Operadores Turísticos da Rússia informou que as companhias aéreas russas começaram a operar voos de repatriamento a partir de outros destinos, tais como o México e a República Dominicana.

A Aeroflot anunciou também anteriormente a suspensão das operações para as Caraíbas.

oda/tdd

TAAG aumenta número de voos comerciais e internacionais.

#Angola #TAAG #Aerolínea #EconomíaNacional #PCA

Jornal de Angola Jornalista: Ana Paulo

As Linhas Aéreas de Angola – TAAG aumentou, nos últimos 100 dias, o registo de voos domésticos de 20 para 44 frequências semanais e os internacionais de 13 para 29 se- manais.

O anúncio foi feito,segunda-feira (07), em Luanda, pela  presidente do Conselho de Administração, Ana da Silva Major, durante uma conferência de imprensa de balanço.

De acordo com a PCA da TAAG, o aumento de voos representa um ganho para a companhia, atendendo também o actual contexto, significando uma retoma da actividade em crescimento.

Ana da Silva Major fez saber que o aumento de voos inclui a abertura de novas rotas e que, ao longo do trimestre em referência, algumas províncias viram subir as frequências regionais, enquanto outras deverão beneficiar dos mesmos pacotes em próximas ocasiões. Conforme detalhou, a intenção da companhia é chegar aos 73 voos domésticos e a 51 internacionais semanais, isso até ao final do corrente ano.

Relativamente à frota, a TAAG incorporou dois novos aparelhos  ” Dash 8″, já em operação, reforçando as rotas nacionais. Estes trouxeram mais voos domésticos e mais comodidade para os passageiros. “Um bom exemplo é a província de Cabinda, onde reagimos imediatamente ao aumento da procura, acrescentando mais voos quase todos os meses”, sublinhou.

Ana da Silva Major garantiu que se está a trabalhar  para melhorar ainda mais os serviços, começando com o acesso para a compra de bilhetes e a imagem online.

“Do ponto de vista comercial e operacional, apesar dos constrangimentos e limitações impostas pela pandemia, sobretudo, com o aparecimento da variante “Ómicron”, foi possível em pouco tempo assegurarmos a realização de vários voos de repatriamento, durante o período de fecho do espaço aéreo”, disse.

Quanto à novas conexões regionais, está previsto para antes do final do ano a abertura dos voos para Acra (Ghana) e Abidjan ( Côte d’Ivoire). Está ainda a ser estudada uma nova rota intercontinental.

Contexto financeiro

Relativamente à gestão e controlo de custos, a nível de tesouraria, a companhia saiu de seis dias para 180 dias de caixa.
Ana da Silva Major afirma que pese embora a empresa não possa assegurar ainda uma viragem dos resultados financeiros, contando com a pandemia que não desapareceu em 2022, ela se encontra, actualmente, numa curva ascendente de recuperação de 40 a 60 por cento das operações se comparados ao ano de 2019.

Por outro lado, o novo conselho de administração da TAAG, fez  pequenas mudanças pontuais, tendo em vista a implementação de medidas que permitissem garantir a solvabilidade da companhia e ganhar controlo de gestão.
Neste processo, disse, a direcção da cadeia de aprovisionamento, desdobrada em quatro áreas, foi concentrada num único centro de compras e contratos, além da aplicação de uma nova política de controlo de custos, permitindo a empresa ver os primeiros resultados com poupanças de cerca 20 por cento nas três da empresa.

Está-se também a maximizar os espaços no interior das instalações, que vai permitir também poupanças com alugueres. “É necessário encontrar formas de poupar e trazer receitas, para a companhia ganhar autonomia e não depender do suporte financeiro do Governo. Temos que trabalhar e dar um novo quadro na empresa, senão estaremos entre as 700 empresas de aviação que desaparecerão, frisou.

%d bloggers like this: