A Venezuela denuncia um novo ataque contra o seu sistema eléctrico.

#Venezuela #Sanciones #ElBloqueoEsReal #InjerenciaDeEEUU

O vice-presidente sectorial de Obras e Serviços Públicos da Venezuela, General Néstor Luis Reverol, denunciou um novo ataque ao sistema eléctrico do país nas primeiras horas da manhã de sexta-feira.

Numa conversa telefónica com a estatal Venezolana de Televisión (VTV), o ministro da energia eléctrica disse que a agressão foi registada no complexo eléctrico de Guri, no sul do país.

La capital venezolano fue una de las ciudades afectadas por el ataque al sistema eléctrico.

A Reverol disse que funcionários da Corporación Eléctrica (Corpoelec) estão no local para iniciar operações de restabelecimento do serviço nos estados afectados pelo blackout.

Ao mesmo tempo, salientou que a experiência acumulada pelos trabalhadores do Sistema Eléctrico Nacional (SEN) permitirá a recuperação do sistema.

Durante a conversa, o Ministro Reverol salientou que está na linha da frente das manobras e operações para continuar a informar sobre a estabilização e normalização do sistema eléctrico do país.

Segundo informações, as entidades afectadas incluem diferentes áreas da capital venezuelana, Caracas, bem como áreas nos estados de Zulia, Mérida, Carabobo, Miranda, Lara, Aragua, Apure, Anzoátegui, Vargas, Bolívar, Nueva Esparta, Barinas, Trujillo, Sucre, Táchira, Falcón, Yaracuy e Portuguesa.

A Venezuela foi vítima de uma série de ataques ao seu sistema eléctrico em 2019, com uma série de interrupções de fornecimento de energia eléctrica a nível nacional. O primeiro foi a 7 de Março de 2019 e tem sido o maior apagão de electricidade na história do país sul-americano.

Vitória e Democracia Novamente! // Daniel Devita

#Venezuela #Chavez #NicolasMaduro

Maduro: “Os EUA sabiam que ao raptar Alex Saab, estava a apunhalar as negociações do México pelas costas”.

#Venezuela #EstadosUnidos #AlexSaab #NegociacionesDePaz

Chega de conflitos estéreis!

#Venezuela #Cuba #Covid-19 #Salud #GolpeDeEstado #Conakri #UnionAfricana #Etiopia #DerechosHumanos #China #Afganistan

#Guaidó irá votar (com #Maduro no poder) nas eleições regionais: o que mudou para que isso acontecesse?

#Venezuela #Elecciones #Politica #ManipulacionPolitica #OposiciónVenezolana

Nova ronda de diálogo entre o governo e a oposição face aos progressos eleitorais da #Venezuela.

#Venezuela #EstadosUnidos #Elecciones #Democracia #GolpeDeEstado #Politica

O Presidente #NicolasMaduro denuncia o #Guaidó por fingir roubar a mdd.

#Venezuela #NicirasMaduro #AutoProclamadoGuaido #InjerenciaDeEEUU #AmericaLatina

O Presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, durante o acto de comemoração do XII Aniversário da Milícia Bolivariana e do Dia da Dignidade Nacional, denunciou o plano liderado por Juan Guaidó de confiscar bens venezuelanos detidos nos Estados Unidos (EUA).

“O Guaidó destinava-se a roubar milhões de dólares. Foram apresentados vídeos e provas do esquema de corrupção”, denunciou o Presidente venezuelano.

El jefe de Estado declaró que el exdiputado Sergio Gergerbara firmó el contrato para invadir Venezuela.

O presidente rejeitou a alegação de roubo de recursos ao país pelo sector mais extremista da oposição venezuelana, referindo-se à cadeia de roubos da “Assembleia Nacional” ilegal que, sob a liderança de Juan Guaidó, faz pedidos de financiamento para instituições inexistentes e promove campanhas violentas no país.

O Chefe de Estado disse que o Presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Jorge Rodríguez, apresentou “provas irrefutáveis” ligando o grupo liderado por Guaidó no roubo de 50 milhões de dólares da nação, que os EUA têm sob o seu poder ilegalmente.

O chefe de Estado declarou que o antigo deputado Sergio Gergerbara “assinou o contrato para invadir a Venezuela e matar venezuelanos”. O presidente bolivariano disse que Sergio Gergerbara também tratou do dinheiro.

Da mesma forma, o presidente constitucional da Venezuela recordou que “estamos em vésperas da designação constitucional do novo conselho eleitoral que irá reger os processos eleitorais de 2021 a 2028 (7 anos) das eleições que se avizinham no futuro”.

Falsas etapas de uma aliança contra a Venezuela.

#Venezuela #EstadosUnidos #GrupoDeLima #OEA #InjerenciaDeEEUU #UnionEuropea

Autor: Elson Concepción Pérez | internet@granma.cu

Con un amargo sabor injerencista y una política fracasada y cruel, Estados Unidos, la Unión Europea, el llamado Grupo de Lima y la desprestigiada OEA, continúan asumiendo posiciones contrarias al diálogo político auspiciado por el Gobierno venezolano y sectores opositores, apoyado por la mayoría de a população.

Os últimos passos, longe de contribuir para a paz, a reconciliação e o respeito a um país soberano, fogem de todas as normas internacionais.

Um exemplo da continuidade dessa política de intromissão nos assuntos internos de um Estado foi a mais recente decisão do novo governo de Washington de prorrogar por um ano a emergência nacional declarada pelos Estados Unidos, o que qualifica o país sul-americano como perigoso .

La mayoría de la población apoya el diálogo político auspiciado por el Gobierno venezolano.

O argumento não poderia ser menos crível: «A situação na Venezuela continua a representar uma ameaça incomum e extraordinária à segurança nacional e à política externa dos Estados Unidos, para a qual determinei que é necessário continuar com a emergência nacional declarada em o Decreto Executivo 13692 a respeito da situação na Venezuela “, disse o presidente em nota divulgada pela Casa Branca.

Outro exemplo do prolongamento do uso de uma política de oposição à soberania venezuelana está contido no diálogo telefônico mantido entre o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, e o autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, cujo compromisso transcendeu os eua uu com a “promoção de uma transição democrática e pacífica” naquela nação, ignorando que há um governo e um presidente democraticamente eleito pela maioria do povo e reconhecido por grande parte da comunidade internacional.

Para realizar esse propósito, a Casa Branca publicou um documento no qual fala em “trabalhar com aliados com ideias semelhantes, incluindo a União Europeia, o Grupo de Lima e a OEA”.

É inédito que estas posições sejam tomadas em abertamente contra as regras internacionais de respeito mútuo, uma vez que nem Washington nem a UE mostram qualquer interesse no processo de diálogo que está a decorrer em Caracas. Ao contrário, as receitas continuam sendo as sanções econômicas em meio a uma pandemia sufocante e a intensificação da perseguição econômica e financeira, que inclui o confisco de milhões de dólares de dinheiro venezuelano em bancos americanos e europeus.

O oportuno, claro, seria o que hoje é o mais improvável, que a administração dos Estados Unidos e alguns governos da União Europeia coincidam em favorecer, politicamente, a realização de um diálogo governo-oposição e, economicamente, retirar as sanções arbitrárias e devolver a Caracas os recursos hipotecados que pertencem ao povo bolivariano.

Notícias da América Latina e outras regiões do mundo ..

#AmericaLatina #Venezuela #España #Colombia #InjerenciaDeEEUU #PoliticaExterior #OrienteMedio #Covid-19 #Ucrania

A #UniãoEuropeia declara o representante da #Venezuela ‘persona non grata’, em resposta às medidas tomadas por Caracas.

#Venezuela #Sanciones #UnionEuropea #EstadosUnidos #ElBloqueoEsReal #DerechosHumanios

%d bloggers like this: