Newsweek: Enquanto os #EUA consideram a primeira vacina #COVID-19 para crianças até aos 5 anos de idade, #Cuba oferece-a a crianças de 2 anos.

#CienciaEnCuba #VacunasCubanas #CubaPorLaSalud #Covid-19 #ElBloqueoEsReal #XCubaYo

medida que os debates sobre saúde pública prosseguem nos EUA, pelo menos um fabricante da vacina COVID-19 apresentou um pedido de licenciamento do jab para crianças, um desenvolvimento que desencadeou mais discussões sobre segurança e eficácia.

Um funcionário da FDA confirmou à Newsweek na quinta-feira que a Pfizer “apresentou um pedido à FDA para alterar a sua autorização de utilização de emergência (EUA) para a vacina Pfizer-BioNTech COVID-19 para a prevenção da COVID-19 em crianças dos 5 aos 11 anos de idade. . “

“A agência realizará uma reunião do seu Comité Consultivo de Vacinas e Biologia Relacionada no dia 26 de Outubro para solicitar a contribuição dos seus cientistas independentes e peritos de saúde pública sobre os dados e informações constantes do pedido”, disse o funcionário da FDA.

O funcionário da FDA disse que o cronograma para o cumprimento desse pedido dependeria da revisão por peritos, mas foi previsto um resultado antes do final do mês.

“Embora a FDA não possa prever quanto tempo levará a sua avaliação dos dados e informações”, disse o funcionário da FDA, “a agência irá rever a aplicação dos EUA o mais rapidamente possível utilizando a sua abordagem abrangente e baseada na ciência, e espera que esta avaliação demore cerca de semanas em vez de meses.

Entretanto, em Cuba, uma fervorosa campanha para inocular a ilha de cerca de 11,3 milhões de pessoas contra a doença permitiu a vacinação de crianças com apenas 2 anos de idade, desde o mês passado.

Até agora parece estar a funcionar. E os funcionários em Havana já estabeleceram o seu objectivo de expandir a campanha de modo a incluir também as idades mais jovens.

“O nosso programa de vacinação está a ser implementado desde os dois anos de idade e já estamos a fazer testes em crianças menores de dois anos”, disse Carlos Fernandez de Cossio, director-geral para os Estados Unidos no Ministério dos Negócios Estrangeiros cubano, à Newsweek.

O objectivo, argumentou Fernandez de Cossio, era eventualmente adicionar a injecção COVID-19 à lista padrão de vacinas oferecidas aos bebés.

Cuba já atingiu uma taxa líder de cerca de 55 por cento da população totalmente vacinada contra a COVID-19, e cerca de 85 por cento recebeu pelo menos uma dose. O país espera chegar a 92 por cento totalmente vacinado em algum momento do próximo mês.

Cuba foi o primeiro país do mundo a iniciar a vacinação em massa de crianças contra a COVID-19 e é também o país mais pequeno a desenvolver a sua própria vacina, da qual foram desenvolvidos cinco tipos diferentes.

Fernández de Cossío atribuiu este avanço a uma ambiciosa missão lançada há anos atrás a medicamentos avançados pioneiros, incluindo aplicações sanitárias da biotecnologia, num país com poucos recursos e sujeito a um embargo americano de décadas.

“Em Cuba temos tido bastante sucesso há anos no campo da biotecnologia”, disse ele.

Depois, quando a extensão da propagação global da COVID-19 se tornou aparente e o embargo dos EUA só se tornou mais rigoroso devido a medidas tomadas pelo antigo Presidente Donald Trump , Fernández de Cossío disse que os funcionários se propuseram desde cedo a desenvolver uma vacina que pudesse ser administrada com segurança numa idade jovem. .

“Desde o início, os nossos cientistas disseram que precisamos de desenvolver uma vacina que possa ser usada com crianças”, disse ele.

Apesar das suas diferenças políticas, o sucesso de Cuba pode ser um bom presságio para o esforço dos EUA para vacinar as crianças. A vacina Pfizer-BioNTech foi a primeira no país a receber a aprovação da Food and Drug Administration em Agosto para idades a partir dos 16 anos, e a vacina também tem aprovação de utilização de emergência para idades a partir dos 12 anos.

A Newsweek oficial da FDA fez referência a uma declaração no mês passado na qual a FDA se comprometeu a tomar medidas adicionais “para garantir a segurança e eficácia destes produtos para as crianças” e a adoptar uma abordagem científica do problema.

“Além disso, os ensaios clínicos são realizados de acordo com planos que reflectem a considerável experiência da FDA na concepção de ensaios clínicos; estes planos são chamados ‘protocolos'”, disse o funcionário da FDA. “As vacinas destinadas a crianças são geralmente testadas primeiro em adultos, com um calendário de desenvolvimento clínico escalonado para crianças e bebés”.

A questão da vacinação de crianças suscitou alguma controvérsia nos EUA, onde uma comunidade relativamente grande é céptica em receber a vacina em geral e ainda mais quando se trata de crianças.

O falso pacifismo de Yunior García está enterrado em Miami .

#ElBloqueoEsReal #VacunasCubanas #CubaPorLaSalud # CienciaEnCuba #MafiaCubanoAmericana #MercenariosYDelincuentes

#Cuba reúne-se com a #OMS para iniciar a certificação das suas vacinas.

#CubaEsSalud #Soberana #Abdala #Covid-19 #VacunasCubanas #OMS

#Cuba e a #China colaboram para criar “uma #Vacina de largo espectro contra muitos #Coronavírus”.

#CubaSalva #EEUUBloquea #CubaPorLaSalud 3VacunasCubanas #CienciaEnCuba #Covid-19 #China #CooperacionCubana

A mídia internacional destaca as #VacinasCubanas contra #Covid-19.

#Cuba #CienciaEnCuba #CubaSalva #VacunasCubanas #CubaCoopera #VamosPorMas #Soberana02 #Abdala #Covid-19 #AmericaLatina

COVID-19 no mundo: Venezuela criará um fundo com a OMS e OPAS para comprar vacinas.

#Venezuela #Covid-19 #Politica #OMS #OPS #ONU #SaludMundial

Retirado do CUBADEBATE .

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou que seu país busca “um acordo prático e efetivo” com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), para a criação de um fundo de 300 milhões de dólares. compra de vacinas contra COVID-19.

El mandatario destacó que su gobierno sostiene un "buen nivel de programación y coordinación" con el sistema de Naciones Unidas. Foto: Reuters.
Maduro destacou que seu governo mantém "um bom nível de programação e coordenação" com o sistema das Nações Unidas. “Estamos trabalhando com o plano alimentar mundial para fazer avançar novos programas. Também com a UNESCO no fortalecimento de nosso sistema educacional, cultural e patrimonial na Venezuela”, disse ele.

Segundo Maduro, o Executivo também mantém contactos permanentes com o Secretário-Geral da ONU, António Guterres, para tratar de questões nacionais e regionais. A esse respeito, afirmou: “Sabemos que as conexões com os diversos escritórios das Nações Unidas podem às vezes ser tensas devido à situação com a Venezuela, mas sempre buscamos o caminho da verdade e do diálogo”.

Na mesma linha, ele fez alusão ao encontro que teve anteriormente com a Relatora Especial para os Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), Alena Douha, para avaliar o impacto das sanções americanas sobre a população.

“Tivemos uma reunião de quase uma hora e meia com o Relator Especial sobre o tema das medidas coercivas unilaterais contra a Venezuela. Uma hora e meia de trabalho. Isso é precisamente parte do bom estado das relações entre o governo da Venezuela e todo o Sistema das Nações Unidas. Devemos continuar com essas tarefas ”, enfatizou Maduro.

(Com informações da Rússia hoje)

Copa Airlines e Sunrise Airways reduziram frequências de voos para Cuba.

#Aerolineas #Panama #Haiti #Cuba #Coronavirus #Epidemia #CubaSalva #SaludEnCuba #PCR

Autor: Redacción Nacional | internet@granma.cu

A partir do primeiro. Janeiro Copa Airlines reduziu a três seus voos semanais na rota Panamá-Havana e vice-versa, e a partir de 6 de janeiro a companhia aérea haitiana Sunrise Airways operará um único voo semanal para Cuba, devido às novas medidas anunciadas pela Ilha para conter o aumento da incidência de COVID-19 no país, associada a viajantes internacionais, informou PL.

As frequências dos voos da Copa Airlines são terça, quarta e quinta-feira, entre os aeroportos José Martí e Tocumen, nas capitais cubana e panamenha, respectivamente. Entretanto, os voos que ligam os terminais aéreos cubanos de Santa Clara e Holguín em ambas as direcções foram cancelados até novo aviso.

Ver Artigo

Aeropuerto Internacional José Martí: Llegadas de vuelos - Aeropuertos.Net

Durante as primeiras semanas de janeiro, informa uma nota publicada no site corporativo da Copa Airlines, serão realizados voos especiais para que os passageiros que se encontrem nas Grandes Antilhas possam retornar ao seu ponto de origem. Para o retorno de cubanos, é obrigatório comunicar-se previamente com o consulado cubano no Panamá, caso necessitem retornar ao país de origem.

Por outro lado, os viajantes que concluíram a primeira parte de seu itinerário de ida e volta devem entrar em contato com a central de reservas ou com as agências aéreas.

A companhia aérea haitiana Sunrise Airways, por meio de nota, informou que, a partir de 6 de janeiro, conectará sua capital com a província oriental de Santiago de Cuba às quartas-feiras, com permanência mínima de uma semana.

Copa Airlines volverá a volar el Boeing 737 MAX en enero del 2021

Passageiros de Havana, Camagüey e Holguín que tenham seu vôo de volta a Cuba afetado, podem ser protegidos somente até Santiago de Cuba, sujeito a disponibilidade. Quanto aos que têm viagem programada de ou para Cuba em algum vôo cancelado, podem fazer uma nova reserva sem penalidades e sem limite de tempo, assim que a Sunrise Airways reajuste seu horário.

Além do Panamá e do Haiti, as autoridades cubanas de saúde e transporte anunciaram no dia 28 de dezembro a redução de visitantes a Cuba dos Estados Unidos, México, Bahamas e República Dominicana, devido à grave situação sanitária desses países.

Mercedes Vázquez, diretora de Transporte Aéreo e Relações Internacionais do Instituto de Aeronáutica Civil de Cuba, explicou neste contexto que as companhias aéreas foram notificadas, ambas da entrada em vigor, a partir de 10 de janeiro, da obrigação de transportar o resultado negativa do teste de PCR, a partir do reajuste dos voos das referidas origens.

A brigada médica cubana no Peru retorna à ilha.

#BrigadaHenryReeve #Peru #MedicosCubanos #Covid-19 #SaludMundial #OPS #OMS #EEUUBloquea #CubaSalva #BrigadaMedicaCubana #CubaPorLaSalud #Cuba

Retirado do teleSUR.

O embaixador cubano no Peru, Sergio González, se despediu neste domingo em Lima (capital) da Brigada Médica Cubana que atuava no Peru, em apoio à luta para conter o coronavírus.

El acto de despedida se realizó en el frontis del Colegio Médico de Perú.

“Os profissionais de saúde cubanos cavalgam para sua pátria com a satisfação de ter cumprido seu dever”, declarou o diplomata em seu discurso de despedida, acrescentando que o pessoal da saúde caribenho soube enfrentar os “ataques do homem das cavernas a serviço do governo dos Estados Unidos. ”.

Somando-se a isso, González lembrou que os médicos trataram 115.849 pacientes, realizaram 239.720 cirurgias de enfermagem e salvaram a vida de 627 “vidas da irmã nação andina”.

Imagen
Imagen
Imagen

Por sua vez, o chefe da brigada de saúde cubana, Raudel Vargas, lembrou os médicos peruanos que morreram na batalha contra a Covid-19, especialmente os médicos do país sul-americano formados em Cuba, Hilber Montoya, José Paredes e Pavel Cervantes.

Ao final do ato de despedida, realizado em frente ao Colégio Médico do Peru, os moradores da cidade saíram para saudar e agradecer espontaneamente os médicos cubanos.

Imagen

Por sua vez, o Ministério da Saúde do Peru informou neste domingo que foram notificados no país um total de 995.899 pessoas infectadas pelo coronavírus, das quais 37.034 pacientes morreram em decorrência da citada doença.

Ao mesmo tempo, o Ministério da Saúde cubano anunciou neste dia que a nação caribenha acumula 10.127 casos positivos para Covid-19, registrando 137 mortes causadas pelo coronavírus.

Não é a primeira vez que Cuba solidária chega a Honduras.

#Honduras #CubaPorLaSalud #CubaCoopera #SolidaridadCubana #MasQueMedicos #IdeasQueSonBanderas #SomosContinuidad #CubaSalva #EEUUBloquea

Autor: Nuria Barbosa León | internet@granma.cu

Coerente com uma cooperação ininterrupta que, desde a devastação causada pelo Furacão Mitch em 1998, tem estado presente em todas as situações, inclusive na pandemia COVID-19, uma brigada de 25 profissionais de saúde partiu para Honduras nesta quarta-feira, com o objetivo de ajudar as vítimas dos ciclones Eta e Iota.

Parte Brigada Médica del Contingente Henry Reeve para Honduras

Na cerimônia de despedida, Ana Teresa González Fraga, Primeira Vice-Ministra do Ministério de Comércio Exterior e Investimentos Estrangeiros, destacou o caráter humanístico e solidário da cooperação cubana, mesmo quando se intensifica o bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos. ., e o governo daquele país está fazendo campanha para desacreditar a ajuda.

Os 11 médicos, cinco graduados em enfermagem, cinco especialistas em Higiene e Epidemiologia e quatro logísticos, compõem o grupo que vai trabalhar nas comunidades mais atingidas pelos meteoros, que deixaram 3,4 milhões de pessoas afetadas, 91 mortos, 189 604 evacuados e 128 127 em condições abrigadas.

Ao chegarem a Honduras, grupos de solidariedade saudaram os médicos, que seguiram viagem até uma das áreas mais devastadas, onde instalarão um hospital de campanha, informou a Prensa Latina.

OPAS alerta sobre aumento de casos por Covid-19 na América.

#AmericaCentral #Nicaragua #Belize #ElSalvador #Panama #Honduras #Guatemala #EstadosUnidos #Canada #Coronavirus #SaludMundial #Politica

Retirado do teleSUR.

A diretora da Organização Pan-Americana da Saúde, Carissa Etienne, anunciou em entrevista coletiva virtual que a região das Américas registrou 5 milhões de infecções por coronavírus nesta semana, tendência impulsionada principalmente pelo avanço da epidemia no Canadá e nos Estados Unidos. Unidos.

En América Central, la representante de la OPS indicó que Panamá y Belice están registrando un alza de los casos.

A manchete resumia que, desde o início da pandemia, a região registrou quase 31 milhões de infectados e 787.000 mortes, o que representa quase metade de todas as infecções e mortes no mundo. Durante a entrevista coletiva Carissa Etienne alertou que as hospitalizações no Canadá estão aumentando, especialmente nas regiões centrais do país.

Na América Central, o representante da OPAS indicou que o Panamá e Belize estão registrando um aumento de casos. Em contraste, Honduras, El Salvador, Guatemala e Nicarágua estão relatando relativamente poucas infecções.

O ministro regional da saúde alertou que essa tendência deve ser observada com cautela porque os furacões Eta e Iota podem ter impactado os sistemas de registro e também pode haver muitos deslocados.

Finalmente, o diretor da OPAS insistiu que a América Latina também pode experimentar uma segunda onda de infecções semelhante à da Europa e que “não existe uma fórmula única, mas a mensagem geral não é relaxar as medidas”.