Marcha da Tocha em comemoração ao nascimento de José Martí

A atividade foi liderada pelo primeiro secretário do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba, Raúl Castro, e pelo presidente da República, Miguel Díaz-Canel.

Atrás deles foram seguidos por milhares de jovens nas ruas. A marcha começou na escadaria histórica da Universidade de Havana e terminou na Marti Forge, onde Marti cumpriu uma sentença de trabalho forçado em 1869 por suas idéias de independência.

Miles de jóvenes conmemoraron el 167 aniversario del natalicio del Héroe Nacional cubano.

Também é lembrado o comandante em chefe Fidel Castro, quando em 27 de janeiro de 1953 liderou esta marcha.

O presidente da Federação de Estudantes Universitários (FEU), José Alejandro Fernández, lembrou que a primeira marcha das Tochas foi realizada em 1953, quando foi liderada por Fidel Castro, que seis meses depois participou – junto com um grupo de jovens – no assalto ao quartel de Moncada, o início da insurreição contra Fulgencio Batista, que culminaria no triunfo da Revolução em 1959.

Enquanto isso, o presidente Díaz-Canel pediu para fazer história com a mais maciça marcha de homenagem ao Herói Nacional Cubano.

“Hoje vamos esperar o 167º aniversário do # Martí com nossas tochas acesas, da Escadaria da Universidade. Vamos fazer história com a marcha mais massiva do #Homenage até o apóstolo e condenar aqueles que fingiram profaná-la”, escreveu o presidente segunda-feira em sua conta Twitter

#Cuba destaca presidente cubano @DiazCanelB impressão do Herói Nacional José Martí

Fonte:Mi Cuba Por Siempre

O presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, destacou hoje a marca do Herói Nacional, José Martí, no esforço da nação caribenha para consolidar seu modelo de desenvolvimento próprio e independente.

Em sua conta no Twitter, o presidente cubano expressou: O legado marciano sempre presente e indispensável como premissa e referência em nossas aspirações e realizações.

O chefe de Estado vinculou um artigo ao jornal Juventud Rebelde que, sob o título Esse mistério muito claro e intocável se refere à transcendência do considerado o cubano mais universal.

José Julián Martí Pérez, criou o Partido Revolucionário Cubano e organizou a Guerra da 95ª ou Guerra Necessária, em homenagem à luta pela Independência de Cuba.

Por causa de sua projeção universal, esse escritor, político, pensador, jornalista, filósofo e poeta ultrapassou as fronteiras de seu país e o tempo que viveu para se tornar o maior pensador político hispano-americano do século XIX.

Por Martí, a noite será feita neste domingo

María Elena Álvarez Ponce

A noite será dia no próximo domingo, com a Marcha das Tochas que vai estrelar os “novos pinheiros” de San Antonio a Maisí – sem esquecer, claro, a Ilha da Juventude -, em homenagem ao Herói Nacional, José Martí.
“Eu trago no coração as doutrinas do Mestre” será o lema da mobilização, queremos estar com todos, para em Cuba aguardar a chegada de 28 de janeiro e homenagear o apóstolo no 166º aniversário de seu nascimento, disse José Ángel Fernández vice-presidente da Federação de Estudantes Universitários (FEU).

0121--marcha_de_las_antorcha.j3pg.jpg Continuar a ler “Por Martí, a noite será feita neste domingo”

%d bloggers like this: