#ParaísosFiscais, #Lasso, #Piñera e #Abinader, a #CaixaDePandora está aberta ..

#ParaisosFiscais #PapelesDePandora

A extensa investigação do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ) revelou no domingo que 14 líderes mundiais e 21 outros líderes que desde então deixaram o poder esconderam bens e rendimentos no valor de milhares de milhões de dólares para evitar pagar impostos em paraísos fiscais.

Os ficheiros vazados, apelidados de Pandora Papers, incluem 35 líderes mundiais – ainda no poder ou reformados – e mais de 300 funcionários públicos em todo o mundo que detêm bens em ou através de paraísos fiscais.

Os Documentos de Pandora incluem, entre outros estadistas, os três actuais líderes latino-americanos: o Presidente do Equador, Guillermo Lasso, o Presidente do Chile, Sebastián Piñera e o líder da República Dominicana, Luis Abinader. Além disso, as fugas incluem outros altos funcionários latino-americanos: 11 presidentes reformados, 90 políticos de alto nível e um governador de um banco central.

Guillermo Lasso
De acordo com os documentos divulgados, o Presidente equatoriano Guillermo Lasso teve ligações a 10 empresas offshore e trusts no Panamá e nos estados americanos do Dakota do Sul e Delaware: Bretten Trust, Liberty US Trust, Bernini Foundation, Bretten Holdings, Da Vinci Foundation, Fundación Bienes Raíces, Nora Group Investment Corp, Pietro Overseas SA, Positano Trade LLC e Tintoretto International Foundation.

Bretten Trust e Liberty US Trust foram criados em 2017, e a Lasso autorizou a transferência para esses dois trusts de empresas operadas por duas fundações de interesse privado panamenses, denominadas Bernini e Barberini. De acordo com as regras de cada fundação, seriam feitas distribuições mensais aos beneficiários após a morte de Lasso, incluindo $20.000 à sua esposa, $2.000 aos seus filhos e $1.500 ao seu irmão.

Lasso disse ao ICIJ que não tem “nenhuma relação de propriedade, controlo, benefício ou interesse de qualquer tipo” com o Bretten Trust e o Liberty US Trust e que sempre cumpriu a legislação equatoriana que proíbe candidatos e funcionários públicos de deter empresas em paraísos fiscais.

As outras entidades mencionadas foram dissolvidas e, tal como confirmado pelo presidente do país latino-americano, não têm actualmente existência legal, enquanto que a utilização passada de qualquer entidade internacional era legítima.

Luis Abinader
O presidente dominicano está ligado a duas empresas panamenhas: Littlecot Inc. e Padreso SA, criada antes de a Abinader assumir a presidência do país em 2020. Os ficheiros indicam que as acções eram inicialmente “acções ao portador”, um mecanismo que permitia esconder a identidade dos proprietários das acções.

No entanto, em 2015, uma lei panamenha obrigou as empresas a revelar os nomes dos proprietários de tais títulos. Em 2018, um representante da família presidencial enviou um documento ao prestador de serviços offshore Overseas Management Corp. Nele, os irmãos de Abinader foram listados como accionistas da Littlecot Inc e da Padreso SA em vez de “al tenedor”.

Por seu lado, o presidente dominicano esclareceu ao ICIJ que a Littlecot Inc. possui uma propriedade familiar na República Dominicana, enquanto que a Padresso SA detém acções em seis outras entidades com propriedades e extensões da universidade privada propriedade da sua família.

Quanto às acções ao portador, a Abinader esclareceu que as entidades em questão foram criadas “por consultores que contratámos para comprar as empresas nestas jurisdições (neste caso, o Panamá)”. Explicou também que estes tipos de títulos eram utilizados para “facilitar as transacções comerciais com clientes e reduzir os obstáculos administrativos para as empresas durante a constituição”.

Paralelamente, o líder salientou que é proprietário de entidades “offshore”, uma vez que a utilização de entidades dominicanas para “comprar bens ou trocar bens no estrangeiro costumava ser um desafio (e ainda é) devido à falta de reconhecimento que estas empresas têm em jurisdições estrangeiras”.

Entretanto, o porta-voz presidencial Homero Figueroa reagiu aos Pandora Papers na sua conta do Twitter, observando que a informação hoje divulgada reconhece “a transparência do presidente”.

Sebastián Piñera
O inquérito jornalístico aponta para o facto de que o actual presidente chileno Sebastián Piñera esteve envolvido em várias empresas offshore. Os filhos de Piñera detinham 33,3% das acções do projecto mineiro Dominga. Em Dezembro de 2010, quando Piñera já era presidente há nove meses, a sua família vendeu as suas acções na empresa mineira ao empresário Carlos Alberto Délano, um dos amigos de infância de Piñera. A venda foi feita através de duas empresas de fachada registadas nas Ilhas Virgens Britânicas.

A venda foi selada com dois minutos: um assinado no Chile por 14 milhões de dólares e o outro no mesmo paraíso fiscal por 138 milhões de dólares. O pagamento deveria ser feito em três prestações, mas com uma contingência: o último pagamento só seria feito se o governo chileno não declarasse a área de operações do projecto Dominga como um santuário natural. O governo de Piñera decidiu não promover a iniciativa ambiental e assim a terceira parcela foi desembolsada.

Esta decisão do governo Piñera foi precedida por outra: em Março de 2010, o presidente anunciou o cancelamento da construção da central termoeléctrica de Barrancones, após uma onda de protestos de ambientalistas. O projecto foi encerrado apesar de ter as licenças para funcionar. Na altura, não se sabia que Piñera estava envolvido no projecto Dominga, segundo o Centro de Investigación Periodística (CIPER, Chile).

Além disso, os jornais publicados revelam que alguns dias antes de Piñera tomar posse em 2018, a empresa Parque Chiloé Overseas Inc. (Parque Chiloé Overseas Inc.). (registado nas BVI e ligado a ele) fundiu-se com o Parque Chiloé SA do Chile. Esta última foi então absorvida por outra entidade chilena, Inversiones Odisea, onde quatro dos filhos do presidente possuem acções.

Entretanto, o gerente das empresas familiares de Piñera, salientou aos investigadores que o inquilino de La Moneda não participou, nem tinha conhecimento dos detalhes da compra e venda do projecto Dominga. Ao mesmo tempo, ele especificou que nem Piñera, nem nenhum dos seus familiares directos têm controlo sobre empresas registadas nas IVB.

A Presidência chilena já emitiu uma declaração explicando, entre outras coisas, que a venda do projecto Dominga já foi objecto de uma investigação e que o Ministério Público “recomendou que o caso fosse encerrado devido à inexistência de um crime”.

Por seu lado, o jornalista Marco Teruggi salientou que é difícil processar os evasores fiscais, um facto que, na sua opinião, contribui para a desigualdade na América Latina. “Num continente tão desigual, em vez de contribuir para situações de necessidades extraordinárias – como as causadas pela pandemia – estas grandes fortunas decidem fugir para evitar pagar os seus impostos e, portanto, não contribuir para o bem comum”, disse ele.

Tomado de RT

Cuba realiza uma nova redução de voos e implementará o isolamento institucional na chegada de viajantes internacionais.

#CubaPorLaSalud #CubaSalva #Covid-19 #Aerolineas #EstadosUnidos #Mexico #Panama #Bahamas #RepublicaDominicana #Jamaica #Colombia #Haiti #Nicaragua #Guiana #TrinidadETobago #Suriname #Minrex #Mintur #Mincex

Autor: Redacción Digital | internet@granma.cu

Novas medidas para prevenir a propagação da COVID-19 em Cuba, que hoje registra o maior número de casos desde que o primeiro caso no país foi notificado em março de 2020, foram anunciadas pelo Ministério da Saúde Pública.

Em nota publicada no seu site, explica-se que tendo em conta a situação epidemiológica nacional, regional e internacional e a necessidade de aplicação de novas medidas para conter a propagação dos casos de COVID-19 no país, decidiu-se por nova redução nas atuais frequências de voos das companhias aéreas que operam nos Estados Unidos, México, Panamá, Bahamas, República Dominicana, às quais se incorporam a Jamaica e a Colômbia, a partir das 00 horas do dia 6 de fevereiro de 2021.

Se estrechará aún más la vigilancia epidemiológica sobre todos los viajeros que arriben al país

Ao mesmo tempo, o reinício das frequências para a Nicarágua, Guiana, Trinidad e Tobago, Suriname é suspenso e as frequências para o Haiti são suspensas.

A chegada de voos sem passageiros será autorizada apenas para evacuar pessoas retidas no país, estrangeiros ou residentes no exterior.

Da mesma forma, o isolamento institucional será implementado na chegada de viajantes internacionais.

No caso de turistas estrangeiros, empresários, técnicos e cooperadores, bem como diplomáticos estrangeiros credenciados em Cuba, imprensa estrangeira credenciada e delegações oficiais aprovadas para receber no período, serão aplicados os Protocolos aprovados pelo MINTUR, MINCEX., E MINREX respectivamente.

Os profissionais de saúde e os demais OACEs serão isolados nas capacidades criadas em Havana e Matanzas, cumprindo todos os requisitos estabelecidos. Estudantes estrangeiros e bolsistas serão isolados nas instituições designadas para o efeito pelo MINSAP e pelo MES.

O isolamento dos moradores cubanos será em centros instalados nas províncias e será gratuito, assim como o transporte ao centro e o retorno à residência depois de concluído o isolamento.

No caso de estrangeiros não residentes e cubanos que cheguem ao país, ficarão isolados em instalações hoteleiras designadas em cada território, cabendo aos viajantes as despesas de estadia e transporte.

Novas Medidas em Cuba para o Controle Sanitário Internacional.

#Cuba #COVID19 #MINSAP #CubaSiempreSalva #CubaPorLaSalud #Mexico #Panama #Bahamas #RepublicaDominicana #EstadosUnidos #Haiti #Aerolineas

Direitos Humanos nos Estados Unidos: Esterilização Forçada.

#DerechosHumanos #DDHH #EstadosUnidos #DonaldTrumpCulpable #ForaTrump #NoMoreTrump #AmericaLatina #EEUUBloquea #CubaSalva #ElBloqueoEsReal

Autor: Raúl Antonio Capote | internacionales@granma.cu

Um novo crime abala a opinião pública mundial pela dose de insensibilidade que demonstra e pelo caráter desumano e racista de seus executores.

O Serviço de Controle de Imigração e Alfândega dos Estados Unidos, ICE por sua sigla em inglês, foi acusado de remover o útero de imigrantes sob custódia daquela instituição.

A denúncia foi apresentada ao Escritório do Inspetor Geral (OIG) do Departamento de Segurança Interna (DHS) pelo Project South, Georgia Detention Watch, Georgia Latino Alliance for Human Rights e South Georgia Immigrant Support Network.

Os querelantes foram atingidos pelo alto índice de mulheres no Irwin County Detention Center (ICDC) na Geórgia – operado pela La Salle Corrections, uma empresa privada de prisão – submetidas a histerectomia nos últimos meses, cirurgia em aquele que remove todo ou parte do útero.

El Servicio de Control de Inmigración y Aduanas de Estados Unidos, ICE por su sigla en inglés, ha sido acusado por la extirpación del útero a inmigrantes bajo custodia de esa institución

As mulheres imigrantes que se submeteram ao procedimento foram enganadas sob a promessa de receber atendimento médico para resolver diversos problemas de saúde, noticia o jornal The New York Times.

Mas o caso não para por aí. Todos os dias, novos depoimentos de mulheres esterilizadas continuam a aparecer em diferentes centros de detenção, o que constitui uma violação da autonomia do corpo e dos direitos reprodutivos das detidas.

Cerca de 173 legisladores federais dos Estados Unidos enviaram uma carta ao Inspetor Geral do Departamento de Segurança Interna exigindo uma investigação imediata das queixas feitas: “Estamos horrorizados ao ver relatos de histerectomias massivas realizadas em detidos sem consentimento completo e informado.”

Porém, esse tipo de prática não é novidade naquele país. As autoridades norte-americanas em diferentes períodos da história as utilizaram, sobretudo, contra afrodescendentes, mexicanos, indígenas e prisioneiros.

No início do século 20, leis eugênicas foram promovidas em 32 estados, o que permitiu a esterilização de mais de 60.000 mulheres consideradas mentalmente deficientes ou mentalmente fracas e, mais recentemente, nas prisões da Califórnia 150 mulheres foram vítimas dessa prática entre 2006 e 2010.

O US Government Accountability Office publicou um relatório em 1976 sobre esterilizações realizadas em mulheres pertencentes a povos indígenas. Em quatro das 12 regiões investigadas, 3.406 operações foram realizadas entre 1973 e 1976 sem o consentimento das mulheres.

Em 1962, o Corpo de Paz dos Estados Unidos realizou a histerectomia forçada de mulheres indígenas na América Latina, aproveitando a boa fé, a ignorância e a necessidade das populações empobrecidas.

Mulheres guatemaltecas foram utilizadas em experimentos com produtos químicos e outros procedimentos que causam infertilidade permanente, financiados pela organização internacional Population Council, de acordo com o relatório Do controle da natalidade ao genocídio, elaborado pelo médico espanhol Alfredo Embid, coordenador do a Associação de Medicina Alternativa da Espanha.

No relatório do Dr. Embid, afirma-se que essas foram políticas implementadas pelos Estados Unidos em países do terceiro mundo, e detalha casos nas Filipinas, Indonésia, Índia, Bangladesh, Colômbia, República Dominicana, Porto Rico, El Salvador, Panamá, Bolívia, Brasil e Peru.

Essas práticas do governo dos EUA violam não apenas os princípios éticos e morais, mas também os direitos humanos das vítimas.

A imensidão de salvar vidas.

#Cuba #EEUUBloquea #CubaSalva ##CubaEsSolidaridad #SomosContinuidad #VamosPorMas #FakeNewsVSCuba #BloqueoNoSolidaridaSi #BrigadaHenryReeve #Dominicana

Retirado do Jornal Granma .

Autor: Nuria Barbosa León | internet@granma.cu

Em comparação com o enorme número de pessoas que o COVID-19 adoece, ou as mortes que causa diariamente, pode parecer pequeno o número de pacientes tratados e salvos pela pequena brigada de médicos cubanos que voltou neste domingo da Dominica, mas a julgar pelo estado de pequena ilha, pela pequena população e, mais do que isso, pelo que vale uma vida resgatada no serviço altruísta de solidariedade perante o perigo actual, o Presidente da República, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, Ele qualificou o trabalho dos profissionais como exemplar, ao recebê-los virtualmente.

Foto: Ismael Batista Ramírez

Os 35 membros (seis médicos, dois especialistas em imagem, dois graduados em laboratório clínico e 25 em enfermagem) do contingente internacional de médicos especializados em situações de desastres e epidemias graves, Henry Reeve, que contribuíram para o combate à pandemia durante seis meses na ilha caribenha , cuidaram de 4 627 pacientes; Eles salvaram 52 de estágios graves ou críticos, enquanto realizavam quase 24.000 procedimentos de enfermagem.

Foto: Ismael Batista Ramírez

Yoandris Ortiz Domínguez, enfermeira da Artemisa, destacou a grande empatia que o grupo gerou na população local; Enquanto isso, sua colega Iris Merys Zayas Iznaga, que trabalhava nas salas de internação para casos positivos e, posteriormente, nos centros de isolamento, descreveu a experiência como muito enriquecedora em termos do valor do humano e do sensível, e declarou que estava pronta para Ajudar seus conterrâneos do município de Trinidad, no Espírito Santo, agora atingido por um novo surto da doença.

Recibimiento de los colaboradores integrantes de la brigada  de contingente internacional de medicos especialisado en el enfretamiento a desatres y grave epidemias Henry Reeve que laboro en Dominica.

Foto: Ismael Batista Ramírez

Dominica mantém a data das eleições gerais para a próxima sexta-feira

Autor: Redação Internacional | internacional@granma.cu

Apesar da interferência estrangeira, o governo da Dominica confirmou que mantém a data das eleições gerais para a próxima sexta-feira.

Primer ministro de Dominica, Roosevelt Skerrit, ratifica elecciones pese a injerencia de EE. UU. y la OEA.

O primeiro ministro da Dominica, Roosevelt Skerrit, ratifica as eleições apesar da interferência dos EUA. UU. e a OEA. Foto: AFP

Os Estados Unidos e a Organização dos Estados Americanos (OEA) realizaram uma forte campanha para que o candidato da oposição Lennonx Linton, do Partido dos Trabalhadores Unidos (UWP), possa ser eleito e por isso eles usaram um clima de incerteza.

A Prensa Latina relata as alegações feitas pelo primeiro-ministro Roosevelt Skerrit, que instou seus compatriotas a manter a calma e evitar qualquer provocação. “A oposição sabe que está perdendo as eleições e está usando meios ilegais para intimidar as pessoas e usar uma narrativa internacional para deslegitimar os resultados”.

O Tribunal Superior de Justiça da Dominica rejeitou na terça-feira um apelo da oposição para suspender as eleições e disse que as eleições estão de acordo com as leis da Comunidade do Caribe (Caricom).

Em apoio ao governo da Dominica, os ministros das Relações Exteriores Jorge Arreaza, da Venezuela; e Bruno Rodríguez, de Cuba, e os primeiros-ministros Ralph Gonsalves, de São Vicente e Granadinas; e Gaston Browne, de Antígua e Barbuda, questionaram a posição antidemocrática da OEA. A Caricom enviará nas próximas horas uma Missão de Observação Eleitoral para supervisionar as eleições na ilha.

«Hoje estamos celebrando o Caribe»

A companhia aérea Sunrise Airways estreou uma nova rota aérea entre as capitais de Cuba e a República Dominicana ontem.

Aerolínea

Elvire Beauchard responsável pelos negócios do Haiti em Cuba (I), Philippe Bayard Presuntivo da nova companhia aérea (C) e Pascale Hilaire direto do Explore Caribbean (D) momentos após a chegada do avião.

A idéia de um único Caribe une as expectativas da Sunrise Airways ao nosso país, uma companhia aérea que abriu uma nova rota aérea entre as capitais de Cuba e a República Dominicana.

Sua chegada a Havana demonstra outra das potencialidades que unem os países desta área geográfica, que, como destacou, deve se unir a Philippe Bayard, diretor executivo da empresa sediada no Haiti, para fortalecer a integração regional e restaurar a conectividade necessária entre dois países com séculos de história comum.
“Hoje estamos celebrando o Caribe”, disse o presidente, que também se referiu à importância das companhias aéreas como alavancas do crescimento econômico, essencial para os Estados insulares. Continuar a ler “«Hoje estamos celebrando o Caribe»”

Cúpula da Celac finaliza com apelo à integração regional

BÁVARO, República Dominicana. — A 5ª Cúpula da Comunidade dos Estados e Caribenhos (Celac) concluiu em 25 de janeiro com uma declaração final que insta ao avanço na integração e complementariedade das economias da região. Os chefes de Estado e Governo e representantes de países da área assinaram também 20 declarações especiais. No texto principal […]

via

Chegou Raúl à República Dominicana.

O general-de-exército Raúl Castro Ruz, Presidente dos Conselhos de Estados e de Ministros, chegou durante a manhã, terça-feira, 24 de janeiro, a Bávaro, Punta Cana, para participar na 5ª Cúpula de Chefes de Estados e de Governos da Celac, que se realizará o dia 25 de janeiro de 2017 O general-de-exército Raúl Castro Ruz, Presidente […]

 

%d bloggers like this: