Referendo, um pleno exercício da democracia

No dia 24 de fevereiro, o povo cubano, no exercício da soberania, decidirá sobre uma das questões mais importantes para o país: a aprovação em referendo popular da nova Constituição.

É um exercício de democracia plena, que dá continuidade à aprovação da Assembleia Nacional da Magna Carta, após consulta pupular, onde todas as pessoas podem participar de discussões que alimentaram este texto, que foi modificado em 60% com opiniões expressas em mais de 133.000 reuniões em toda a geografia nacional.

O QUE É UM REFERENDO POPULAR?

O artigo 162 da Lei Eleitoral prevê que “através do referendo convocado pela Assembleia Nacional do Poder Popular, cidadãos com lei eleitoral expressar ou não ratificar os projetos de lei de reforma constitucional” para que eles possam entrar em vigor.

Para realizar o referendo, utilizam-se as urnas nas quais a questão que é consultada ao órgão eleitoral é clara e concretamente expressa. No caso da consulta de 24 de fevereiro, a questão será: “Você ratifica a nova Constituição da República?”, E estará disponível na cédula dois espaços: um para o Sim e outro para o Não, segundo com o que está estabelecido na lei.

PASSOS PARA O REFERENDO POPULAR

A ANPP põe à disposição das pessoas a Constituição que será levada ao referendo popular e tem o dia para isso.

O Conselho de Estado designa os membros da Comissão Nacional Eleitoral.

Comissões provinciais, municipais e distritais, circunscrição e eleitorais especiais são criadas.

A Comissão Eleitoral Nacional, em coordenação com o Ministério das Relações Exteriores, estabelece o que é necessário para garantir o exercício do voto pelos eleitores que se encontram fora do território nacional no dia da realização do referendo.

A Comissão Eleitoral Municipal calcula os votos no município e encaminha o resultado à Comissão Provincial Eleitoral.

A Comissão Eleitoral Provincial calcula os votos emitidos em todos os municípios da província e envia o resultado para a Comissão Nacional Eleitoral, que realiza o cálculo nacional.

As assembleias de voto que estão fora do território nacional, uma vez que o controlo efectuado, comunicar o resultado do referendo para suas respectivas embaixadas, que transmitiu ao Ministério dos Negócios Estrangeiros com a finalidade de que é comunicada à Comissão Nacional Eleitoral.

A Comissão Nacional Eleitoral, uma vez realizada a contagem completa do referendo, informa o Conselho de Estado para que publique seus resultados e relatórios à Assembléia Nacional de Poder Popular para os fins pertinentes.

Fonte: Lei Eleitoral de 1992

(Extraído do Granma)

Anúncios
Categories: 24 de febrero, Asamblea Nacional del Poder Popular, Carta Magna, Comisión Electoral Nacional, cuba, REFERENDO POPULAR, Uncategorized | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: