Internet gratuita, um novo pacote ao estilo americano .

#MafiaCubanoAmericana #MercenariosYDelincuentes #CubaNoEsMiami #Internet #RedesSociales #ManipulacionMediatica

Por Francisco Grass

Desde os acontecimentos de 11 de Julho, uma ideia absurda, ilógica e interferente foi apresentada pela extrema direita de Miami e pelos seus representantes mais fiéis, María Elvira Zalazar e o Senador Marcos Rubio. Esta ideia é a de internet “gratuita” para os cubanos em nome do governo dos EUA. A ideia é um pouco estranha, pense nisso, os Estados Unidos são uma sociedade baseada na propriedade privada, que até abandonou a concepção clássica do Estado de direito capitalista, é uma sociedade em que lhe cobram até por sorrir. Quais são as motivações por detrás desta Internet “livre”? Até à data, o mundo tem estado à espera que os Estados Unidos façam algo de bom para alguma nação ou grupo de pessoas, e do conhecimento geral, que é bastante, o número é de benevolência zero.

O 11 de Julho é um dia conhecido pela materialização de uma escalada mediática contra Cuba por operadores políticos sediados na Florida, com o apoio do governo dos EUA e do seu Departamento de Estado. Todos sabemos que a campanha mediática levada a cabo através dos hashtags #SOSCuba #SOSMatanzas, que se transformou em diferentes formas portadoras do sinal de socorro “SOS”, desencadeou um plano de desestabilização social com o objectivo de provocar uma mudança de regime na ilha.

A atitude dos Estados Unidos é vergonhosa. Que tipo de pessoas, se assim se pode chamar, constituem o governo da nação mais rica e mais influente do mundo. O governo dos Estados Unidos mantém há mais de 60 anos um bloqueio económico e financeiro da nossa ilha, um método de asfixia económica que afecta diariamente a vida quotidiana dos cubanos comuns e impede o desenvolvimento harmonioso da nação.

As acções dos Estados Unidos levaram à intensificação desta política, que para a comunidade internacional é considerada um crime contra a humanidade. O bloqueio dos EUA priva o povo cubano de uma infinidade de serviços que são normais em qualquer parte do mundo, um desses serviços é o acesso à Internet.

O descaramento do império não conhece limites, o seu mal não acredita em crianças, idosos, mulheres ou homens inocentes que sofrem diariamente dificuldades cuidadosamente engendradas pelos seus laboratórios de mudança de regime na região da América Latina e Caraíbas.

Poder-se-ia pensar que o governo dos EUA seria condescendente ou suavizente com a sua política criminosa contra Cuba no meio da pandemia de Covid-19. Mas para surpresa de ninguém, decidiram, sem qualquer consciência, utilizar a vulnerabilidade social de Cuba em seu proveito, a fim de realizar o seu sonho de tornar Cuba novamente no seu centro privado de ossos, casinos, máfias, drogas e prostituição.

O jogo macabro da Internet “livre” é a continuação do seu plano falhado de 11 de Julho. O que esperavam eles? Que nós revolucionários lhes íamos entregar facilmente o país. Que Cuba não se defenderia e que a Revolução não tem capacidade para responder a tais acontecimentos, o povo saiu em defesa do seu projecto social, do socialismo.

É lógico que o governo limitou a conectividade durante os ciberataques, que já se sabe como foram realizados, utilizando explorações de bot, trolls, contas falsas, com o apoio de utilizadores residentes principalmente nos Estados Unidos, tudo de acordo com os seus interesses e a Máfia Anti-Cubana da Florida.

Já passaram dois meses desde os acontecimentos, durante todo este tempo María Elvira Zalazar, congressista e representante federal republicana do 27º distrito da Florida, bem como os senadores Marco Rubio e Rick Scott tentaram pressionar a Administração Biden com o absurdo da Internet “livre” para o povo de Cuba.

A este respeito, Maria Elvira e uma dúzia de republicanos frustrados introduziram a Lei Americana da Liberdade e Acesso à Internet (HR5123). Segundo esta senhora, é um “plano estratégico para fornecer acesso às comunicações sem fios no estrangeiro quando há apagões, uma catástrofe ou quando regimes desonestos encerram o acesso à Internet”.

Por outro lado, Marco Rubio, juntamente com outros senadores, introduziu a alteração (#3097) à resolução orçamental do Senado que exige que a Administração Biden proporcione acesso livre, aberto e sem censura à Internet ao povo de Cuba.

Quem pensam estes senadores americanos que são? É a arrogância do império encarnada nestes políticos desprezíveis e mesquinhos. É óbvio que não estão interessados no bem-estar do povo de Cuba, de qualquer povo, apenas em continuar a viver segundo uma política obsoleta e prejudicial que afecta principalmente as famílias que estão envolvidas nos seus interesses políticos.

Autor: tudoparaminhacuba

Adiamos nossas vozes hoje e sempre por Cuba. Faz da tua vida sino que toque o sulco, que floresça e frutifique a árvore luminoso da ideia. Levanta a tua voz sobre a voz sem nome dos outros, e faz com que se veja junto ao poeta o homem. Encha todo o teu espírito de lume, procura o empenamento da cume, e se o apoio rugoso do teu bastão, embate algum obstáculo ao teu desejo, ¡ ABANA A ASA DO ATREVIMENTO, PERANTE O ATREVIMENTO DO OBSTÁCULO ! (Palavras Fundamentais, Nicolás Guillen)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s