Eu moro em um país livre

Imagen de Razones de Cuba

Por Domingo Pérez

Os inimigos da Revolução Cubana e seus lacaios insistem em fazer o mundo ver um país em ruínas, ingovernável e um povo desesperado, com o objetivo de demonstrar a inviabilidade do socialismo.

Nosso presidente, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, foi enfático e preciso no encerramento do Ato Central por ocasião do 69º aniversário do assalto ao quartel de Moncada e Carlos Manuel de Céspedes:

“O SOCIALISMO NÃO PODE CONTINUAR A SER DIFAMADO EM NOME DA LIBERDADE, ENQUANTO TODAS AS PORTAS DO COMÉRCIO, FINANÇAS, NEGÓCIOS ESTÃO FECHADAS AOS PAÍSES QUE O EXPERIMENTAM”.

O bloqueio econômico, comercial e financeiro, a furiosa perseguição em que se transformou a política do poderoso império contra uma pequena nação é, neste momento, a melhor prova de que o socialismo funciona, porque mesmo sob o fogo que o bloqueio significa, construímos uma trabalho de justiça social que nos coloca ao nível dos países mais avançados em indicadores chave de desenvolvimento humano, como a mortalidade infantil, esperança de vida, acesso à saúde, educação, cultura e desporto, bem como os níveis de segurança cidadã e proteção.

Por mais que a realidade do país seja ilustrada pela mídia cubana, não é o mesmo que senti-la com os próprios olhos. Tenho essa possibilidade agora, quando desfruto de umas merecidas férias. Viajei pela estrada 10 das províncias cubanas. Isso me permitiu ter uma visão panorâmica geral do que está acontecendo no país, contrariando os esforços macabros dos haters.

O mais significativo foi o grau de tranquilidade e normalidade que prevalece em todos os territórios. Talvez tenha havido mais folia nos territórios rurais de Cienfuegos, pela repercussão da designação como província para sediar o ato central de 26 de julho, e em Camagüey, pela caminhada diária da tarde – noite de alguma conga camagüeyana, com seu ritmo contagiante.

Em todos os casos, destacam-se as iniciativas locais, mas também o reflexo das várias ofertas surgidas, com base nas deficiências impostas pelo bloqueio. Na cidade de Camagüey, destaca-se a vida urbana, mesmo nos feriados e dias de descanso, com todos os centros gastronômicos funcionando, subordinados e atendidos pelo governo local, aplicando novas formas de gestão, mas sem passar para formas privadas. Prevalece a estética, o bom gosto, a qualidade, tanto na oferta como no atendimento, com preços acessíveis à população, bem abaixo dos estabelecimentos privados.

As férias não terminaram, mas estes dias me permitem afirmar, sem medo de duvidar, que mais uma vez vamos avançar, desfrutando da felicidade de viver em um país livre como Cuba.

Contra #Cuba a guerra midiática é total

Imagem de Razões de Cuba

Por Arthur González

A guerra psicológica travada contra Cuba pelo governo dos Estados Unidos começou em 1959 e, longe de diminuir ao longo do tempo, aumentou com o surgimento da Internet, para promover uma corrente ideológica na ilha contrária ao socialismo. Por esta razão, a guerra econômica, comercial e financeira está se intensificando apesar da rejeição mundial.

O objetivo declarado em seus múltiplos documentos desclassificados é fazer com que as pessoas culpem o sistema socialista por suas carências, fiquem desiludidas e desencorajadas, pois não percebem melhorias econômicas.

Um documento da CIA, desclassificado e publicado em junho de 2001, referente à análise da situação cubana no início dos anos 90 do século XX, reflete os propósitos que os ianques propõem com a manutenção dessa cruel e implacável guerra econômica. , que parecem ter sido escritos em 2022, porque nesse documento seus analistas disseram:

“HÁ MAIS DO QUE NUNCA A CHANCE DE QUE O GOVERNO FIDEL CASTRO CAIA NOS PRÓXIMOS ANOS… QUANDO AS CONDIÇÕES NA ILHA SE DETERIOREM AINDA, INCIDENTES VIOLENTOS SÃO MAIS PROVÁVEIS DE SE ESPALHAR DEVIDO À CRESCENTE FRUSTRAÇÃO POR CORTES NA ELETRICIDADE, PROBLEMAS DE TRANSPORTE E ALIMENTAÇÃO ”.

“SE OS ESTADOS UNIDOS LEVANTAM O EMBARGO, UNILATERALMENTE OU COMO RESULTADO DE NEGOCIAÇÕES, CUBA SE TORNARIA SIGNIFICATIVA… OS BENEFÍCIOS PROVAVELMENTE GERARÃO UM CRESCIMENTO ECONÔMICO MÍNIMO, MAS ALIVIAM MUITAS DAS PIORES FALTA E OUTRAS PRESSÕES ENFRENTADAS AO REGIME.”

30 anos depois dessa análise, os cubanos continuam resistindo porque sabem perfeitamente o que podem perder, ao verificar os atuais protestos no Equador, Colômbia, Panamá e outros países do mundo capitalista, para exigir um sistema gratuito de saúde e educação, emprego , igualdade das mulheres com os homens em termos de salários e oportunidades de trabalho, cessação da discriminação racial e de gênero, redução do preço da gasolina, transporte público e outros, que os cubanos têm graças ao socialismo que os Estados Unidos querem demonizar.

A matriz de opinião que os Estados Unidos e seus aliados impõem contra Cuba é brutal e verifica-se simplesmente lendo o que a CNN publica, onde mantém diariamente imagens do dia 11 de julho de 2021 há um ano, com 12 artigos referentes a esses eventos com informações distorcidas, algo que não fazem com os verdadeiros protestos do povo colombiano, a repressão de que foram vítimas e as dezenas de mortes causadas pelas forças policiais, além das centenas de detidos.

A CNN também não guarda fotos ou informações dos 18 dias de manifestações no Equador, contra as más práticas do atual governo e a brutal repressão sofrida por aquele povo, nem diz uma única palavra sobre as contas bancárias do presidente em paraísos fiscais e corrupção que se vive desde o governo de Lenin Moreno.

Em relação aos atuais protestos massivos no Panamá, que duram mais de uma semana, o tratamento é diametralmente oposto ao que fazem contra Cuba por um único dia de protestos e atos de vandalismo estimulados pelos Estados Unidos, com amplo financiamento fornecido pela USAID e pela NED, juntamente com as ações subversivas da embaixada ianque em Havana.

Por que essas organizações de fachada da CIA não financiam povos indígenas no Equador, sindicatos na Colômbia e Panamá, ou oferecem bolsas de estudo para treinar líderes comunitários entre os jovens para reivindicar seus direitos?

Um simples olhar sobre o que os ianques estão fazendo contra Cuba na Internet revela sua determinação em oferecer uma imagem irreal da Revolução, através da subversão política e ideológica, como parte da doutrina de guerra não convencional desenvolvida pelo governo dos Estados Unidos. com seus serviços especiais.

Esta ação pretende provocar o amolecimento do caráter e capacidade de resistência do povo cubano, impor valores e símbolos ianques, e até mesmo modificar a história de Cuba.

Em 2011, a pedido do senador republicano Richard Lugar, da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Carl Meacham, responsável pela América Latina na equipe do referido senador e atualmente diretor do Programa das Américas do think tank norte-americano CSIS (Center for Strategic and International Studies) reuniu-se com funcionários do Departamento de Estado, diplomatas estrangeiros de alto nível e funcionários do setor para investigar como as mídias sociais e a tecnologia podem ser usadas para promover e fortalecer a “democracia” na América Latina.

O relatório de Meacham reconhece as ações e planos subversivos empreendidos pelo governo dos Estados Unidos contra Cuba, afirmando:

“O DEPARTAMENTO DE ESTADO TREINOU JORNALISTAS DE VÁRIOS PAÍSES PARA AUMENTAR SUA CAPACIDADE DE DIVULGAR RÁPIDAMENTE INFORMAÇÕES PRECISAS SOBRE EVENTOS E ASSUNTOS IMPORTANTES. GRANDES ESFORÇOS FORAM INVESTIDOS EM CUBA, O ÚNICO PAÍS QUE NO MOMENTO CENSURA ATIVAMENTE O CONTEÚDO DA POLÍTICA DOS ESTADOS UNIDOS”.

“…NOSSA EQUIPE OBSERVOU O CRESCENTE INTERESSE DOS FUNCIONÁRIOS DO DEPARTAMENTO DE ESTADO EM AUMENTAR AS COMPETÊNCIAS BÁSICAS DE COMPUTADOR E LITERACIA DO POVO CUBANO, COMO MEIO DE CAPACITÁ-LOS PARA FAZER MUDANÇAS POSITIVAS EM SUA PRÓPRIA SOCIEDADE.”

O senador Marco Rubio assegurou em 2012:

O SISTEMA TOTALITÁRIO CUBANO PODERIA CALAR SE TODOS OS CUBANOS TIVESSEM LIVRE ACESSO À INTERNET, POIS CUBA SEGUIRIA O MESMO SORTE DOS PAÍSES QUE PASSARAM DA PRIMAVERA ÁRABE”.

Em 23 de janeiro de 2018, o Departamento de Estado criou o “Grupo Operacional da Internet para Subversão em Cuba”, com o objetivo de alterar a ordem interna, seguindo as diretrizes estabelecidas pelo presidente Donald Trump, em seu memorando presidencial de 16 de junho de 2017.

Este grupo é formado por representantes do governo e entidades “não governamentais” como USAID, Freedom House e o Bureau of Broadcasts to Cuba, responsável pela Rádio e TV Martí.

O que os prejudica é que nenhuma de suas previsões, nem dos grupos de trabalho criados, deu resultado. Cuba continua resistindo, apesar do aumento da guerra econômica e até conseguiu fabricar três vacinas que controlaram a pandemia de Covid-19, como nenhum outro país do mundo.

É por isso que José Martí afirmou:

“Valem mais trincheiras de ideias do que trincheiras de pedras”

MINREX: Cuba reafirma apoio à posição “Uma China”

O Ministério das Relações Exteriores da República de Cuba expressa seu firme repúdio às ações destinadas a prejudicar a integridade territorial e a soberania da República Popular da China, condena a interferência em seus assuntos internos e enfatiza sua preocupação com o aumento das tensões e a agravamento da situação em torno de Taiwan, como resultado direto da política agressiva e alta presença militar dos Estados Unidos e seus aliados no Estreito de Taiwan, contatos militares e venda sistemática de armas, ações que prejudicam a paz e a segurança regional e internacional.

Novas provocações, disfarçadas de contatos oficiais ou visitas de alto nível, criam deliberadamente perigos adicionais.

Cuba reafirma sua adesão irrestrita ao princípio de “uma só China” e ao reconhecimento de Taiwan como parte inalienável do território daquele país.

A Assembléia Geral das Nações Unidas, em sua resolução 2758, adotada em 25 de outubro de 1971, reconheceu o Governo da República Popular da China como o verdadeiro e único representante legítimo do povo chinês. Atualmente, mantém relações diplomáticas com 181 países, com base no reconhecimento do princípio “uma China”.

Os propósitos e princípios da Carta das Nações Unidas e do Direito Internacional devem ser rigorosamente respeitados, sem seletividade ou duplicidade de critérios.

O papel fundamental da China como fator de estabilidade e equilíbrio internacional e a importância de sua cooperação, sem condições políticas, com os países em desenvolvimento não podem ser ignorados.

Havana, 2 de agosto de 2022

Cuba mantém sua política de tolerância zero contra o tráfico de pessoas

Por: Enrique Valdés

O conceito de Tráfico de Pessoas – à parte a politização da questão e a duplicidade de critérios – inclui o comércio de seres humanos para escravizá-los labor, mental, reprodutiva, sexualmente, extrair e vender seus órgãos, entre muitas outras questões denegridoras.

Apesar da clareza da definição, já faz algum tempo que o governo dos Estados Unidos está entregue à infame tarefa, em seu desejo doentio de fortalecer o bloqueio econômico, financeiro e comercial, de perseguir ainda mais ferozmente as missões médicas cubanas.

É impressionante que isso esteja sendo feito em meio à batalha global contra o COVID-19 e a diminuição de recursos para lidar com tal pandemia e quando Cuba, também atingida por essas vicissitudes, se esforça para compartilhar o que tem e envia suas brigadas médicas para salvar vidas onde essa assistência é quase inexistente.

A batalha travada pelo governo dos Estados Unidos contra a colaboração solidária cubana se enquadra nesse ambiente.
Há algum tempo, por iniciativa do senador Bob Menéndez, que preside a Comissão de Relações Exteriores do Senado dos Estados Unidos, ele pediu ao governo Joe Biden que agilizasse a implementação de uma campanha internacional para acabar com o tráfico de pessoas patrocinada e facilitada pelo regime cubano sob um a desculpa de “missões médicas”.

Nessa altura, e sabendo que se alcançasse os seus obscuros propósitos, os países que beneficiam desta ajuda solidária sofreriam as consequências, apelou a uma abordagem multifacetada para colmatar as inevitáveis ​​lacunas que surgiriam e propôs nada mais nada menos que ao desacreditada Organização dos Estados Americanos (a infame OEA), para coordenar esses esforços.

Independentemente dos propósitos espúrios que animam a “iniciativa” e, claro, com a convicção de que as pessoas que se beneficiam da assistência médica cubana são seres descartáveis ​​aos quais o governo dos Estados Unidos nunca prestou atenção, muito menos prestou ajuda, o senador ianque ignorou o zero política de tolerância que as Grandes Antilhas mantém contra o tráfico de seres humanos.

Ressalta-se que após as muitas arestas reais que sustentam o referido tratado, o Senado norte-americano dedica esforços para combater uma ação solidária que visa salvar a vida de milhões de pessoas.

Os Estados Unidos desconhecem que o tráfico de mulheres para forçá-las à prostituição é hoje um fenômeno natural em seu território? O senador desconhece a exploração a que são submetidos os latinos que trabalham em suas áreas? Existe no Senado e no governo ianques a vontade política de combater o tráfico de atletas cubanos para aquele país sob a égide de comerciantes reconhecidos?

Cuba, e é bom lembrar disso para os esquecidos seletivos, tem legislação moderna que ampliou os direitos fundamentais que os cidadãos gozavam na Constituição Socialista de 1976.

Entre estes, como princípios invioláveis, o direito ao trabalho, proteção, segurança e higiene do trabalhador, descanso remunerado em qualquer uma das formas de trabalho aprovadas, acesso à segurança cidadã, previdência e assistência social, saúde e educação gratuita, entre muitos outros. .

Apesar da campanha orquestrada pelo governo dos Estados Unidos contra a colaboração médica cubana, é verdade que a Ilha, como parte da Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional e seu Protocolo para prevenir, reprimir e punir o tráfico humano de pessoas, cumpre a obrigação contratado ao aderir a ele.

Como o presidente cubano expressou recentemente nas Nações Unidas, as conquistas da Saúde são inquestionáveis, e apesar das campanhas de descrédito que fervilham as redes a todo momento sob os auspícios da chamada imprensa independente e dos meios de desinformação de massa subordinados ao dinheiro da Contribuintes norte-americanos, Cuba possui hoje o maior número de médicos de sua história, estando entre os primeiros do mundo em relação médico-habitante, com cobertura médica em todas as cidades e zonas rurais.

E se alguém pudesse ser acusado de Tráfico de Pessoas, seria o próprio governo dos Estados Unidos, que por meio de assédio perene contra profissionais da Ilha, roubo de talentos e incentivo à deserção ou emigração ilegal, entre tantos outros males, priva o país que formou esses talentos gratuitamente, de serviços essenciais para o seu desenvolvimento.

A colaboração médica cubana salvou milhões de vidas em nações do chamado terceiro mundo, esteve diretamente ligada à luta contra o Ebola, ajudou dezenas de países devastados por eventos meteorológicos, inundações, terremotos, e nenhuma campanha maliciosa pode apagar isso. As inúmeras vidas salvas não permitirão.

(Retirado do site da Procuradoria Geral da República)

Puentes de Amor rejeita as acusações do senador anti-cubano dos EUA.

#CubaEsAmor #PuentesDeAmor #CubaNoEstaSola #SolidaridadConCuba #ElCaminoEsLaPaz #AmorYNoOdio #CubaPorLaPaz

O líder do movimento de bloqueio anti-Cuba, Carlos Lazo, rejeitou as acusações do senador norte-americano Marco Rubio, que pediu ao Federal Bureau of Investigation (FBI) para investigar o grupo para determinar se estão a agir como agentes estrangeiros.

3 de Agosto de 2022
CDT00:05 (GMT) -0400

Numa declaração a que a Prensa Latina teve acesso, Lazo disse que a organização e os seus membros agem de forma transparente e esclareceu que não há contradição em ser cubano-americano e querer melhores relações entre Havana e Washington.

O senador acusa-me de me encontrar com o presidente da nação das Caraíbas, Miguel Díaz-Canel, disse o professor e salientou que se reunirá com quem for necessário para exigir o fim das sanções contra o povo cubano.

Recordou que com este objectivo em mente, no passado já tinha falado com a Senadora Mel Martínez, com as Congressistas Ileana Ros Lehtinen e Dan Burton (co-patrocinadora da Lei Helms-Burton, que codifica o bloqueio contra Cuba), e manteve um breve diálogo com outro Senador Republicano, Ted Cruz.

Referiu-se às suas tentativas de diálogo tanto com o ex-presidente Donald Trump (2017-2021), que impôs mais de 240 medidas contra Cuba, como com o actual presidente, Joe Biden, que mantém uma política semelhante à do seu antecessor, mas apenas conseguiu ver um funcionário do Departamento de Estado.

O professor baseado em Seattle e veterano de guerra do Iraque disse que também se encontraria com Rubio para explicar muitas destas questões, porque nunca esteve em Cuba, não conhece a família cubana, nunca andou nas ruas de Havana, disse Lazo.

O legislador republicano da Florida, conhecido pela sua posição anti-cubana, pediu ao FBI uma investigação “imediata” de Puentes de Amor para descobrir se estão a agir como um agente estrangeiro não registado do governo da ilha.

Lazo pergunta-se qual tem sido o seu crime “Transportar leite em pó para hospitais pediátricos? Transportar seringas para vacinações pandémicas? Transportar Custodiol para operações de transplante de fígado para crianças cubanas que precisam dele? Isto é o que fazemos e o que muitas, muitas outras organizações fazem”.

O pedido de Rubio surge após a organização ter realizado caravanas em Miami e outras cidades do país no domingo contra o bloqueio económico, comercial e financeiro que tem sufocado as famílias cubanas há mais de seis décadas.

Espero que o FBI tome medidas e investigue”, diz o coordenador da Puentes de Amor, “porque muitas coisas sairão, mas não precisamente do movimento e dos seus membros, mas de detratores que tentam constantemente sabotar qualquer entendimento entre os nossos povos.

The Washington Post: A verdadeira crise poderia começar após o regresso de Pelosi.

#China #Taiwan #InjerenciaDeEEUU #NancyPelosi #Democracia #GolpeDeEstado

Inicio

A verdadeira crise sobre Taiwan poderia começar depois de a Presidente da Câmara dos EUA Nancy Pelosi regressar aos EUA, escreve o colunista do Washington Post Josh Rogin.

“O maior impacto da visita de Pelosi virá depois de ela regressar a casa, semanas, meses e anos depois”, prevê ele. Rogin disse, citando várias fontes familiarizadas com o assunto, que embora seja provável que os militares chineses tomem uma série de medidas agressivas, tais como lançar mísseis ou voar aviões perto de Taiwan, a liderança chinesa tentará evitar um confronto militar, pelo menos por enquanto.

Assim, o ritmo e a intensidade da rivalidade EUA-China vai aumentar, mudando para sempre a sua relação, com Taiwan no centro do conflito, observa o artigo.

Segundo Rogin, a longo prazo, Pequim poderia usar a visita de Pelosi como desculpa para introduzir mudanças na sua postura militar em relação a Taipé, aumentando a vantagem de guerra da China no Estreito de Taiwan. A China poderia também intensificar os seus ataques à ilha noutras áreas, tais como a guerra cibernética e a guerra de informação.

“O que aprendemos ao longo dos anos é que quando a China vê um passo em falso do seu adversário, tende a intervir agressivamente para tirar partido dele”, disse um dos informadores, que acrescentou que “a China tem uma vasta gama de ferramentas para prejudicar Taiwan”.

Pelosi chegou a Taiwan na terça-feira, o que provocou grande raiva no governo chinês. Pequim denunciou a viagem do alto funcionário, a terceira maior autoridade política dos EUA, como uma violação da soberania e integridade territorial do país, ao mesmo tempo que representa “uma violação grave” do princípio de uma China e dos três comunicados conjuntos entre Washington e Pequim.

Ministro dos Negócios Estrangeiros russo critica a visita de Nancy Pelosi a Taiwan.

#China #Taiwan #InjerenciaDeEEUU #NancyPelosi #GolpeBlando #Democracia #GolpeDeEstado

teleSUR

Os EUA estão a utilizar a visita de Pelosi a Taiwan para desviar a atenção da Ucrânia e dos seus problemas económicos e internos.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros russo Sergey Lavrov disse na quarta-feira que a chegada da Presidente da Câmara dos EUA Nancy Pelosi a Taiwan é um sinal do desejo dos EUA de demonstrar a sua impunidade.

Sergey Lavrov critica a atitude dos EUA em relação à política externa.
Foto: RT – Photothek / Legion-Media

Os EUA estão a utilizar a visita de Pelosi a Taiwan para desviar a atenção da Ucrânia e dos seus problemas económicos e internos.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros russo Sergey Lavrov disse na quarta-feira que a chegada da Presidente da Câmara dos EUA Nancy Pelosi a Taiwan é um sinal do desejo dos EUA de demonstrar a sua impunidade.

“Eles têm o hábito de anunciar coisas no microfone e depois esquecê-las. Não nos foi pedido que retomássemos as negociações”, disse Lavrov, aludindo à inconsistência da política externa dos EUA.

A porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova, disse à Radio Sputnik que a visita de Pelosi está a acontecer porque “os Estados Unidos querem introduzir uma chamada novidade para actualizar a agenda, desviando a atenção das questões internas. As provocações americanas tornaram-se insensatas e desenfreadas”.

“Penso que foi claro para todos: os Estados Unidos não querem saber de nenhum dos seus parceiros, se são aliados próximos, aliados estratégicos, se são parceiros, se são países com os quais as relações se estão a desenvolver em várias direcções. Não importa”, disse ela.

Prosseguiu afirmando: “Se sobrou alguma coisa pelo menos da categoria de ‘interesses dos EUA’, particularmente na região asiática, esta foi destruída ontem (2 de Agosto).

Entretanto, a China insiste que a viagem de Pelosi viola a soberania e a integridade territorial da China e constitui, portanto, uma violação flagrante do princípio de uma só pátria e dos três comunicados conjuntos entre Pequim e Washington.

Os analistas também questionam porque é que esta é a primeira visita de um político americano de alto nível à ilha em 25 anos.

A China rejeita o encontro entre Nancy Pelosi e o presidente de Taiwan.

#China #Taiwan #InjerenciaDeEEUU #Democracia #GolpeDeEstado

tleSUR

O Conselheiro de Estado da China e Ministro dos Negócios Estrangeiros Wang Yi condenou na quarta-feira a reunião entre a Presidente da Câmara dos EUA Nancy Pelosi e o Presidente de Taiwan Tsai Ing-wen, afirmando que a visita dos EUA representa uma intromissão dos EUA na soberania da China.

O alto funcionário chinês disse que a visita de Pelosi a Taiwan é um sinal de que alguns políticos americanos se tornaram “desordeiros” nas relações sino-americanas.

O Presidente da Câmara dos Representantes encontrou-se com o Presidente de Taiwan e proclamou que o seu país “não abandonará Taiwan” …. | Foto: EFE

Wang Yi disse que os EUA se tornaram o “maior destruidor” da paz e estabilidade regional no Estreito de Taiwan.

Nancy Pelosi chegou a Taiwan na terça-feira sem ter em conta as representações solenes da China, o que constitui uma grave violação do princípio de uma só China e uma violação maliciosa da soberania da China, disse Wang.

O decisor político norte-americano aterrou em Taipé numa viagem não oficialmente anunciada que ultrajou o governo chinês, que respondeu com um destacamento militar no Estreito de Taiwan e sanções comerciais na ilha.

A oradora da Câmara dos Representantes dos EUA encontrou-se com o presidente de Taiwan e proclamou que os EUA “não abandonarão Taiwan”, uma ilha que ela descreveu como um “exemplo” para o mundo.

“Hoje a nossa delegação (…) chegou a Taiwan para tornar inequivocamente claro que não vamos abandonar o nosso compromisso com Taiwan e que estamos orgulhosos da nossa amizade duradoura”, disse Pelosi.

Como parte das acções de rejeição da visita de Nancy Pelosi a Pequim, o Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês convocou o embaixador dos EUA na China, Nicholas Burns, para protestar contra a visita de Pelosi a Taiwan na véspera da sua visita.

A Vice-Ministra Xie Feng transmitiu o descontentamento de Pequim na visita de Pelosi ao Embaixador Burns.

Xie disse que a visita constituiu uma grave violação do princípio “uma só China”, prejudicando a base da relação bilateral e atacando seriamente a soberania e integridade territorial do seu país, bem como minando a paz e estabilidade no Estreito de Taiwan.

O Ministério do Comércio da China anunciou na quarta-feira a suspensão do fornecimento de areia natural a Taiwan.

A medida correspondente entrará em vigor a 3 de Agosto”, disse um porta-voz da agência.

As importações de citrinos, vieiras brancas refrigeradas e cavala congelada de Taiwan para o continente também serão suspensas a partir de quarta-feira, informou a Administração Geral das Alfândegas da China.

As decisões vêm no meio de tensões provocadas pela Presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, visita à ilha.

Antibióticos injectáveis vitais para os cuidados intensivos a serem produzidos em Cuba.

#CubaPorLaSalud #Medicamentos #SaludEnCuba #CubaViveYTrabaja #CubaNoEstaSola

CUBADEBATE

Uma fábrica de cefalosporina injectável, que deverá estar concluída até ao final deste ano, permitirá a produção em Cuba de um grupo de antibióticos beta-lactâmicos injectáveis, amplamente utilizados nos cuidados intensivos, que são actualmente importados a custos elevados.

Estes são os antimicrobianos Meropenem 500 mg e 1 mg, Ceftriaxona (Rocephin) 1 g, Cefotaxima 1 g, Cefazolina 500 mg e 1 g, Cefuroxima 750 mg, Ceftazidima 1 g, e Cefepime 1 g.

Será o único produtor deste tipo de antibiótico no país.
Foto: Yaimí Ravelo/ Granma

Durante uma visita de imprensa ao investimento, que está em construção na Empresa Farmacéutica 8 de Marzo, a directora geral da empresa, Xenia Madrazo Sagre, disse que a fábrica deveria estar em produção antes do final de 2022.

Será o único produtor deste tipo de antibiótico no país, e 90% do equipamento a ser utilizado já se encontra em Cuba, acrescentou ela.

O Dr Eduardo Martínez Díaz, presidente da BioCubaFarma, salientou que a importação destes antibióticos custa ao país entre sete e oito milhões de dólares por ano, pelo que a sua produção interna irá reduzir os custos.

Injectáveis como Meropenem, Rocephin e Cefotaxime são antibióticos essenciais para uso hospitalar em cuidados intensivos, com um amplo espectro de tratamento para infecções bacterianas, pneumonia e meningite, entre outras doenças.

Esta nova fábrica será a terceira a operar na Empresa Farmacéutica 8 de Marzo, que já tem duas outras fábricas: uma para cefalosporinas orais e outra para penicilinas.

Segundo uma reportagem do jornal Granma, os fármacos são Meropenem 500mg e 1mg, Ceftriaxona (Rocephin) 1g, Cefotaxima 1g, Cefazolina 500mg e 1g, Cefuroxima 750mg, Ceftazidima 1g, e Cefepime 1g.

A fábrica, que funcionará na Empresa Farmacéutica 8 de Marzo, será o único produtor deste tipo de antibiótico no país, e 90% do equipamento a ser utilizado já se encontra em Cuba, salientou a directora geral da entidade, Xenia Madrazo Sagre.

O Dr. Eduardo Martínez Díaz, presidente da BioCubaFarma, salientou que a importação destes antibióticos custa ao país entre sete e oito milhões de dólares por ano, razão pela qual a sua produção em Cuba irá reduzir os custos.

Injectáveis como Meropenem, Rocephin e Cefotaxime são antibióticos essenciais para uso hospitalar em cuidados intensivos, com um amplo espectro de tratamento para infecções bacterianas, pneumonia e meningite, entre outras doenças.

A nova fábrica será a terceira a operar na Empresa Farmacéutica 8 de Marzo, que já possui uma fábrica de cefalosporina oral e uma fábrica de penicilina.

(Extraído de Granma e ACN)

Comissão da Carteira e Ética exige equidistância dos partidos.

#EleccionesPresidenciales #Angola #Partidos #ComissãoDaCarteiraEÉtica

Jornal de Angola

A presidente da Comissão da Carteira e Ética (CCE), Luísa Rogério,defendeu esta terça-feira no Lubango uma postura equidistante dos jornalistas em relação aos partidos políticos e actividades incompatíveis com o exercício da profissão, sobretudo nesta fase da campanha eleitoral.

Luísa Rogério apela ao respeito das normas e observância de princípios éticos e deontológicos © Fotografia por: Maria Augusta|Edições Novembro

Luísa Rogério, que falava no fim da visita de constatação das condições dos órgãos de comunicação social públicos e privados da Huíla, defendeu a observância de princípios éticos e deontológicos constantes do código e do estatuto dos jornalistas durante o exercício da profissão.

A presidente da Comissão da Carteira e Ética disse que os jornalistas devem-se limitar a reportar factos por meio da produção de notícias e reportagens, para que “não se confundam com os protagonistas partidários”. A líder da instituição que fiscaliza o desempenho e conduta dos profissionais de informação disse que é fundamental os jornalistas se despirem da militância partidária sob pena de ser sancionados ou verem a carteira profissional suspensa. Luísa Rogério advertiu que todos os profissionais que violam os código de conduta e o estatuto dos jornalistas vão  doravante sentir “a mão pesada” da comissão, cujo primeiro sinal de alerta foram as advertências recentes a profissionais de vários órgãos de comunicação social públicos e privados. “Temos visto muitos jornalistas a usar as suas imagens nas redes sociais por exemplo a apelarem ao voto neste ou naquele partido. Isso é complementarmente errado e não faz sentido, ou outros a exercerem atividades incompatíveis com a profissão. É claro que o jornalista, enquanto cidadão, tem o direito a ter preferência e goza do direito de voto, no entanto essa preferência não deve ficar lá nas redacções”, disse.

Informou que nesta senda a comissão aplicou multas a vários órgãos de comunicação social pelo facto de manterem jornalistas a exercerem a profissão sem carteira.

“Nas redacções os jornalistas devem obediência ao código de ética e deontologia. Devem respeitar a legislação angolana relativamente ao sector. O jornalista tem a prerrogativa de invocar a cláusula de consciência, estabelecida na lei”, disse. Apelou à denúncia de jornalistas que violam o código de ética e deontologia profissional. “Se alguém souber de práticas lesivas ao exercício da profissão com incompatibilidade, deve denunciar.É uma questão de dignificação da classe e do respeito ao código”, exortou. A Comissão da Carteira e Ética (CC) já emitiu até ao momento mais de 2800 carteiras. Luísa Rogério disse que todos os profissionais que prestaram falsas declarações para obter o documento vão ser autuados e encaminhados para as instâncias judiciais.

%d bloggers like this: