Chapeando: Eles estão mentindo em nome de #Deus! (+podcast)

Por: Arleen Rodríguez Derivet

“Não invocarás o nome de Deus em vão”, diz um dos primeiros mandamentos dos chamados escritos sagrados.

É por isso que o som com que abrimos hoje Soa tão anticristão Chapeando na transmissão de rádio: um jovem sem nome postou um vídeo alarmante nas redes onde se apresenta como um mensageiro de Deus, que teria enviado raios a zona industrial de Matanzas, e graças a essa ordem divina, mais de 100.000 pessoas morreriam em breve.

Numa espécie de remake extemporâneo de A Guerra dos Mundos, com o qual um muito jovem Orson Welles desencadeou uma histeria em massa nos Estados Unidos em 1938, o irresponsável e imberbe internauta lança alarmes sobre uma população já alarmada. Para que propósitos?

Reintegrado ao programa, o analista Reinier Duardo alertou que este é apenas mais uma das dezenas de vídeos que são lançados no YouTube e outras plataformas para desencadear o pânico e o caos correspondente, em meio à complexidade que uma população estressada vem enfrentando há quatro dias. Matanzas. Infelizmente, não faltam pessoas que levam a sério e replicam a mensagem perversa.

Os objetivos por trás dessas transmissões, em tempos de emergência nacional como os que agora se experimentam em Matanzas, são conhecidos da literatura militar e das experiências históricas. E as estratégias criminosas desses alvos foram aplicadas com custos dolorosos em outras nações como parte da guerra não convencional ou de quarta geração. Por isso, tal irresponsabilidade é fortemente sancionada em qualquer país, inclusive em Cuba.

Bárbara Betancourt chamou a atenção para os erros cometidos no material, perfeitamente perceptíveis se você ouvir com atenção: depois de pedir ao seu público que “mande o vídeo para Cuba”, o que significa que está fora do país, esse jovem “mensageiro de Deus” declara que ele está a duas milhas de distância (esqueceu que nós cubanos não medimos distâncias em milhas) e o Messias é coroado, convocando o povo de Matanzas a fugir da província, em busca do leste.

Determinado a substituir as autoridades locais, o alarmista de plantão nos lembra W. Bush, aquele presidente americano que conversava com Deus todas as noites e ao amanhecer mandava bombardear os lugares míticos das Mil e Uma Noites.

Nessa mesma linguagem, carregada de malandragem, outro pregador da rede previu o pior para ontem porque, segundo ele, coincidia com o dia do bombardeio de Nagasaki em 1945. Que escola ele iria, que esqueceu uma data tão dolorosamente memorável como o 9 de agosto, dia do bombardeio genocida daquela cidade japonesa, apenas três dias depois de Hiroshima? Ele saberá que esses são dois massacres dos quais o império odeia ser lembrado?

Os analistas comentaram então dois assuntos mais sérios: as últimas mensagens falsas creditadas a Díaz-Canel, em capturas de tela de seu próprio perfil no Twitter, dizendo que estão chegando apagões de 18 horas e que o país está prestes a entrar em colapso. MENTIRA!, como diria o guerreiro cubano.

Quem conhece um pouco de comunicação sabe que são estratégias de guerra não convencionais, muito antes do surgimento das redes sociais. Trata-se de explodir a confiança no Estado e suas estruturas, gerando caos e pânico que impossibilitam o controle da situação.
Outro som, retirado do canal Cuban Warrior, mostra um hater furioso pedindo que tudo queime em Cuba.

Mas a cereja no topo do bolo é ao mesmo tempo a prova do maior cinismo político e é fornecida pela mensagem comentada da embaixada norte-americana em Havana, que parece pedir papel carbono, carimbo e certidão notarial ao pedido de ajudar a apagar o fogo em Matanzas, enquanto através de canais informais é desencadeada uma campanha sugerindo que Cuba não aceita.

Distorcer a verdade, criminalizar a vítima e pressionar por condições parece ser o propósito, se formos guiados pela história. É o que eles sempre fizeram, não importa o quanto a vida tenha provado que não importa o quanto os outros mudem, eles nunca mudam.

Nunca é demais reiterar que a mídia oficial é a única através da qual as decisões de evacuação seriam relatadas, se necessário.

Até agora, o que é realmente certo é que vários especialistas enviados pelo Citma monitoram o meio ambiente in loco e que a Defesa Civil, o Conselho de Defesa e todos aqueles que têm o dever e a responsabilidade de fazê-lo, estão presentes no local dos eventos para tomar decisões oportunas. Eles não estão especulando a 90 milhas. Vamos continuar lascando.

Mais da saga de ÓDIOS, ANEXIONISTAS, TRAITORES e A$3$IN0S. #FuerzaMatanzas

#RedesSociales #ManipulaciónMediática #MafiaCubanoAmericana

.Missão de peritos eleitorais da União Europeia recebida em Luanda

#EleccionesPresidenciales #Angola #Partidos

Jornal de Angola.

Com o objectivo de conhecer o papel do Tribunal Constitucional (TC) na condução do Processo Eleitoral em curso no país, uma missão de peritos eleitorais da União Europeia foi recebida ontem, em audiência, pela veneranda juíza presidente da instituição, Laurinda Monteiro Cardoso.

Embaixadora Jeannette Seppen © Fotografia por: DR

De acordo com a página oficial do TC no Facebook, durante a audiência, a missão europeia, que se encontra em Angola desde 4 deste mês, recebeu da presidente do Tribunal Constitucional e da sua equipa explicações sobre as tarefas já realizadas, no quadro das atribuições respeitantes ao processo eleitoral angolano.

A missão de peritos europeus, chefiada pela embaixadora da União Europeia em Angola, Jeannette Seppen, contou, igualmente, com a presença de Tânia Maria Magalhães Marques e de Alexandre Gray, ambos responsáveis do Serviço Europeu para a Acção Externa (SEAE).

Os juízes conselheiros Gilberto Magalhães e Conceição Sango, bem como outros responsáveis do Tribunal Constitucional, também estiveram no encontro.

O Celac expressa apoio a Cuba após os incêndios em Matanzas.

#FuerzaMatanza #FuerzaCuba #CELAC #SolidaridadConCuba

teleSUR

A Comunidade dos Estados da América Latina e Caraíbas (CELAC) mostrou o seu apoio a Cuba na segunda-feira depois de os tanques se terem incendiado num depósito de combustível na base da cidade de Matanzas, localizada na parte ocidental da ilha das Caraíbas.

Um total de 22 pessoas feridas no incidente permanecem hospitalizadas, das quais cinco se encontram em estado crítico, duas estão em estado grave e 15 estão sob cuidados. | Foto: Boémia/Vladimir Zayas Varona

“Celac estende o seu total apoio ao povo e ao governo de Cuba por ocasião da tragédia causada pela queima de tanques de combustível na província de Matanzas”, escreveu a organização na sua conta no Twitter.

Também expressou a sua solidariedade com as famílias das vítimas e com o pessoal que está hospitalizado.

Bombeiros, socorristas e peritos de Cuba, México e Venezuela continuam o seu trabalho para tentar controlar o fogo que começou num dos tanques após uma descarga eléctrica ter atingido a base de armazenamento e distribuição de combustível na sexta-feira passada.

Nas primeiras horas da manhã de sábado, um segundo tanque pegou fogo e ruiu por volta da meia-noite de domingo.

A explosão do segundo tanque causou um derramamento de combustível que resultou no terceiro tanque de uma bateria de quatro tanques a ser comprometida.

Até à data, foram comunicadas mais de 100 pessoas feridas e pelo menos 16 pessoas continuam desaparecidas em resultado do incidente, no qual quase 100 toneladas de combustível foram incineradas.

Um membro dos bombeiros da província de Cienfuegos, no centro-sul do arquipélago, que perdeu a sua vida durante os combates nas instalações danificadas, foi enterrado no domingo.

Cruz Vermelha Chinesa doa fundos a Cuba para combater incêndio

Pequim, 9 de agosto (Prensa Latina) A Cruz Vermelha da China doou 150.000 dólares ao seu homólogo em Cuba para apoiar o resgate e recuperação do mega-incêndio que atinge hoje a província de Matanzas (oeste).

Essa entidade detalhou em seu site que é uma assistência humanitária e vai apoiar a emergência causada pelo incidente, que ocorreu exatamente em uma base de combustível.

Na véspera, Wang Wenbin, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, disse à Prensa Latina que a China forneceria ajuda humanitária a Cuba por meio de sua Cruz Vermelha.

Ele lembrou que ambos os países são bons amigos e irmãos, expressando solidariedade com o povo e o governo da ilha.

O presidente chinês Xi Jinping expressou solidariedade ao seu homólogo cubano, Miguel Díaz-Canel, expressou profundas condolências às famílias e aos feridos durante o evento e ratificou a disposição de Pequim de ajudar a nação caribenha.

Hua Chunying, outra porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, falou em termos semelhantes sobre o incidente, chamando-o de doloroso.

Desta forma, a China se junta a outros países do mundo, personalidades e organizações que mostram apoio a um evento que chocou todo o povo da nação caribenha.

O fogo começou na sexta-feira durante uma forte tempestade quando um raio atingiu um dos gigantescos tanques de petróleo bruto e desencadeou o fogo na base do superpetroleiro na zona industrial de Matanzas.

A situação é cada vez mais complexa e até agora há relatos de pelo menos um morto, 125 feridos e 15 bombeiros desaparecidos, além de milhares de pessoas evacuadas.

As autoridades solicitaram ajuda internacional e já receberam equipes de especialistas do México e da Venezuela, enquanto Rússia, Nicarágua, Argentina e Chile também ofereceram assistência para combater o incidente.

Da mesma forma, o governo dos Estados Unidos prestou assessoria técnica, que está nas mãos de especialistas cubanos para a devida coordenação.

acl/ymr

Sindicatos argentinos rejeitam a detenção de companhia aérea venezuelana.

#Venezuela #InjerenciaDeEEUU #ElBloqueoEsReal #Argentina #Colombia #Sanciones

teleSUR

A Central de Trabajadores y Trabajadoras de la Argentina Autónoma (CTA Autónoma) realizou uma manifestação na Praça de Maio na segunda-feira para exigir a libertação dos trabalhadores venezuelanos e iranianos que foram injustificadamente detidos, e cujo avião está a ser mantido naquele país.

Segundo a confederação, as organizações exprimem o seu repúdio absoluto pela operação política, mediática e judicial que apoia a detenção arbitrária de trabalhadores iranianos e venezuelanos na Argentina, bem como a retenção do avião que os transportava.

A decisão do governo argentino de aderir ao bloqueio dos EUA à Venezuela tem de ser uma afronta a todos os argentinos. | Foto: @CTAAutonoma

Neste sentido, o presidente da Confederação Latino-americana e Caribenha de Trabalhadores Estatais 5M, Julio Fuentes, disse que os protestos procuram expressar a necessidade de tomar medidas positivas a favor do processo venezuelano face a um acontecimento vergonhoso para o povo argentino.

“É lamentável que não tenha havido uma resolução rápida para a exigência da libertação desta aeronave propriedade do povo e do governo da Venezuela, e que esteja a ser realizada aqui por prejudicar o processo e por fazer parte da campanha do bloco internacional levada a cabo pelos Estados Unidos contra a nação bolivariana”, disse o líder.

O avião de carga Emtrasur, uma subsidiária da companhia aérea estatal venezuelana Conviasa, sancionada por Washington, foi detido em Junho passado após ter chegado ao aeroporto de Ezeiza vindo do México com uma tripulação de 14 venezuelanos e cinco iranianos, bem como uma carga de peças de automóvel.

Note-se que a 2 de Agosto, os EUA pediram à Argentina para apreender o avião após um tribunal no Distrito de Columbia ter emitido uma ordem em Julho, com base no facto de alegadamente ter violado as leis de exportação dos EUA.

Em resposta, o Presidente venezuelano Nicolás Maduro interrogou o poder judicial argentino sobre a apreensão do avião venezuelano Emtrasur.

“Vamos confrontá-los com tudo se a perseguição criminosa da Casa Branca contra Conviasa continuar, não temos medo de sanções, agressões ou imperialismo dos EUA”, disse o chefe de Estado.

Justifica-se o investimento na expansão da capacidade hoteleira?

#CubaViveYTrabaja #ElBloqueoEsReal #CubaPorLaPaz #CubaEsAmor

Por Rafael Montejo Véliz

 LA PUPILA INSOMNE

Justifica-se porque temos um défice de capacidade hoteleira em primeiro lugar, especialmente em hotéis de cinco estrelas. Em segundo lugar, os recursos financeiros não são sacos de dinheiro à espera de oportunidades se não forem convertidos em recursos financeiros temporariamente gratuitos, que estão melhor colocados nos bancos para ganharem juros. Um cálculo da procura, oportunidade e ritmo de construção coloca os investimentos hoteleiros no momento certo, nunca mais certo, agora que há uma pausa e muitos podem ser reparados e reabilitados.

O terceiro argumento é que a eficiência hoteleira não é medida apenas microeconómicamente pela linearidade da ocupação, mas como é feito em todo o lado, pelo que contribui para o fluxo total de divisas ou dinheiro para o balanço global do negócio, que por sinal não é apenas a actividade hoteleira, como se pretende em análises simples, mas pela indústria como um todo: operadores turísticos, transportes aéreos, terrestres e marítimos, casas financeiras, logística de abastecimento e manutenção, bases, obras induzidas, manutenção e investimento ambiental, indústria cultural, recuperação de praias, agências de viagens, publicidade, indústria eléctrica, abastecimento de água, indústria ligeira e de mobiliário, geração de emprego, etc. Portanto, como sector, é muito mais.

O hotel é um pretexto, que gera um ambiente produtivo e um elevado retorno do investimento. A eficiência tem como colimador o custo por sala, que é o padrão da indústria, e só por esta razão, a expectativa razoável de recuperação é de dois a cinco anos, o que é bom para uma indústria que tem uma taxa média de crescimento de 11% por ano. E em Cuba (pandemia e sanções à parte) o fluxo de turistas está a crescer mais rapidamente do que a taxa de construção de hotéis. Há cerca de 20% da unidade hoteleira que permanece em manutenção, pelo que é necessário trabalhar com reservas. E nesta análise é necessário incorporar o sector privado, que tem um número considerável de quartos e, curiosamente, muitos têm continuado a investir na capacidade de alojamento, manutenção e restaurantes, que em Cuba estão directamente relacionados com os lucros do turismo.

Na Europa, em muitos países a unidade hoteleira está fechada durante uma boa parte do ano e continuam a construir em áreas mesmo aparentemente saturadas. Concentrarmo-nos apenas no aspecto micro leva a conclusões erradas que se concentram em apontar o erro ocasional, ou coisas “transcendentais”, tais como que não há fruta num hotel, ou que não devemos investir em hotéis até termos cinco milhões de turistas à nossa porta, algo, a propósito, que os investidores capitalistas não fazem, eles investem quando o mercado está em baixo, se não, perguntam a Soros, ou Musk, ou Buffet.

Foi criada uma falácia sem sentido económico em torno da construção de uma unidade hoteleira em Cuba. Onde é que isso deixa a ideia de investir onde o investimento é mais rapidamente recuperado? E quem detém o capital de investimento? De quem são os critérios técnicos, desenhos, estudos de mercado? De quem são os riscos e a sua gestão? Quem são os fornecedores e os credores? A quem são as enormes gruas alugadas no caso de serem utilizadas? Há muitas pessoas perdidas, nacionais e estrangeiros, que não sabem o que estão a fazer? Eles estão colectivamente errados. Podemos dar-lhes o benefício, não só da dúvida, mas também da esperança. E sim, algumas empresas hoteleiras não continuarão e fecharão, no sector público e privado, e outras serão retomadas e reabertas sob outros nomes, marcas e proprietários. Por outras palavras, a marcha de sempre, mas a marcha de todo o conjunto vai continuar.

(Extraído do Facebook)

Roger Waters chuta o conselho sobre Rússia, Ucrânia, China e #Taiwan: “Os Estados Unidos não têm papel como libertador”

Roger Waters siempre sorprende por sus posiciones políticas.. Imagen: AFP

Durante seus shows, o músico britânico Roger Waters, cofundador do Pink Floyd, mostra uma lista de “criminosos de guerra” em uma tela gigante, incluindo o presidente dos EUA, Joe Biden. Esta semana, em entrevista à CNN, explicou os motivos que o levaram a adicionar o presidente à lista, que inclui também o ex-presidente Donald Trump.

“Bem, para começar, (Biden) está colocando lenha na fogueira na Ucrânia, o que é um grande crime. Por que os Estados Unidos não encorajam (o presidente ucraniano Volodymyr) Zelensky a negociar, eliminando a necessidade dessa guerra horrível, horrível? não sabemos quantos ucranianos e russos?” Waters perguntou ao entrevistador Michael Smerconish, que lhe perguntou sobre a “lista de criminosos” que o músico mostra nos shows de sua turnê norte-americana com o show ” This Is Not A Drill” (Isto não é um exercício).

Após a reprovação do jornalista por “acusar injustamente o partido que foi invadido”, o rock star discordou: “Em qualquer guerra, o que você tem que fazer é olhar para a história. E você pode dizer ‘Bem, esse dia começou’. se diz ter começado em 2008” já que “esta guerra se deve basicamente à ação e reação da OTAN, avançando para a fronteira russa, o que eles prometeram que não fariam quando (o último líder soviético Mikhail) Gorbachev negociou a retirada da URSS de toda a Europa Oriental”, explicou.

Nesse contexto, o ex-líder do Pink Floyd apontou contra o fato de os Estados Unidos se apresentarem como “libertadores”. “Eles não têm papel de libertadores. Do que estão falando?”, questionou Waters, que também lembrou o papel de Washington na Segunda Guerra Mundial, que se apegou a princípios “isolacionistas” até o bombardeio de Pearl Harbor pelo Japão, em dezembro de 1941.

“Graças a Deus os russos quase venceram a maldita guerra até então. Não se esqueça que 23 milhões de russos morreram protegendo você e eu da ameaça nazista”, acrescentou.

China e Taiwan

Na entrevista, o músico também falou sobre a tensão em torno de Taiwan, agravada pela visita que a presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, fez à ilha na semana passada.

“(Os chineses) não estão cercando Taiwan: Taiwan faz parte da China. E isso tem sido absolutamente aceito por toda a comunidade internacional desde 1948, e se você não sabe disso, você não está lendo o suficiente. Vá e leia sobre você está acreditando na propaganda em seu site”, disse ele.

Quando o entrevistador argumentou que Pequim encabeça “a lista de infratores” quando se trata de direitos humanos, Waters reiterou que não se pode falar de Taiwan sem conhecer a história. “Os chineses invadiram o Iraque e mataram um milhão de pessoas em 2003? A menos que eu me lembre… espere um minuto, foi a China que matou, massacrou (no Iraque)?”, perguntou o músico ironicamente.

Pagina/12

O Presidente Maduro anuncia uma campanha para recuperar bens venezuelanos no estrangeiro.

#Venezuela #InjerenciaDeEEUU #OroVenezolano #Argentina #ReinoUnido #ElBloqueoEsReal

teleSUR

O Presidente venezuelano Nicolas Maduro anunciou na segunda-feira o lançamento de uma campanha para salvar o ouro do país roubado pelos tribunais britânicos e a devolução do avião Conviasa desviado na Argentina, acções que correspondem às sanções ilegais impostas à nação pelos Estados Unidos (EUA).

O presidente venezuelano disse: “Vamos confrontá-los com tudo se a perseguição criminosa dos Estados Unidos contra Conviasa continuar”, disse ele.

“Vamos articular uma grande campanha, da Venezuela, contra as sanções, contra a perseguição criminosa, pelo resgate do ouro em Londres, e pelo resgate dos pilotos e do avião que foi sequestrado na Argentina”, disse o Presidente Maduro.

O dignitário acrescentou que a sua nação não teme novas medidas ou agressões por parte dos EUA e, ao mesmo tempo, salientou que se a perseguição comercial contra a Venezuela continuar, será confrontada pelas autoridades constitucionais do país.

“Vamos confrontá-los com tudo se a perseguição criminosa por parte dos Estados Unidos contra Conviasa continuar. Não temos medo de sanções, agressões ou imperialismo dos EUA”, disse o chefe de Estado.

O presidente fez um apelo especial aos movimentos sociais e sindicais argentinos para acompanharem a luta venezuelana pelo resgate do avião e pela libertação dos pilotos.

“Estamos indignados com o que está a acontecer na Argentina”, disse, acrescentando que será formado um grupo de peritos para “travar a batalha pela Venezuela”.

Por outro lado, o presidente venezuelano, aludindo ao incidente ocorrido na base do superpetroleiro na província cubana de Matanzas, salientou que a ajuda à ilha chegou com 18 horas de atraso porque não tinham disponível o avião que sequestraram na Argentina, o que é especial para este tipo de situação.

“Perdemos 18 horas para responder à emergência porque não temos o super avião que foi sequestrado na Argentina”, concluiu o Presidente Maduro.

%d bloggers like this: