Daily Archives: 5 de Janeiro de 2021

PEQUENO ALMOÇO DO TRABALHADOR.

Categories: #Comer Sano, #Ricas Receitas, Comer saudable | Deixe um comentário

O Gambia Daily News comemora o triunfo da Revolução Cubana.

Por Redacción Razones de Cuba

O trabalho jornalístico, inserido na edição impressa da referência diária desta nação da África Ocidental, cita frases do líder histórico da Revolução, Fidel Castro, após o início da verdadeira e definitiva independência da ilha caribenha, há 62 anos.

Lembre-se que na manhã do dia 1º de janeiro de 1959, o povo recebeu os rebeldes vitoriosos liderados por Fidel com alegria, cantos e tiros para o alto, como uma nova era de liberdade, soberania, dignidade e livre acesso à saúde e a educação.

Sublinha que, depois de mais de seis décadas dessa epopéia, os cubanos celebraram seu 62º aniversário e continuam firmes por um futuro melhor, defendendo suas conquistas e derrubando cada um dos obstáculos que os Estados Unidos interpõem a cada dia, com seu política suja de mentiras e injustiças.

O artigo do Daily News afirma que nada impedirá o curso da história na ilha das Antilhas, nem o pesado bloqueio imposto por Washington, nem suas agressões, nem as fraudes de descrédito orquestradas e financiadas pelo decadente império vizinho ao norte.

Conclui que da Gâmbia a Brigada Médica Cubana (BMC) reafirma o seu apoio incondicional ao seu povo, ao seu presidente, Miguel Díaz-Canel, e à Revolução, e ao mesmo tempo se compromete a seguir o caminho da solidariedade e do altruísmo, salvando vidas, restaurando a saúde e aliviando o sofrimento com dedicação e incondicionalidade.

Categories: # Cuba, # Miguel Díaz-Canel, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, #CubaCoopera, #CubaEsSalud, #Cuba, #Fidel, #salud, #Salud en Cuba, #YoSoyFidel, Africa, ·Medicos Cubanos, Coronavirus, CoronaVirus, Noticias de Cuba, Política, CoronaVirus, Política, DIAZ CANEL, MasQueMedicos, O presidente de Cuba, Miguel Diaz-Canel, Organizacion Mundial de la Salud (OMS), Profesionales e la Salud, União Africana | Deixe um comentário

Um tribunal britânico nega a extradição de Assange para os EUA por medo de que ele se suicide.

Por Redacción Razones de Cuba

Um tribunal britânico rejeitou na segunda-feira o pedido de extradição dos EUA do fundador do WikiLeaks, Julian Assange, que enfrenta acusações de espionagem e hacking no país norte-americano como resultado da publicação de documentos secretos em seu portal WikiLeaks em 2010 e 2011.

A juíza distrital britânica Vanessa Baraitser explicou a rejeição do pedido dos EUA por medo de que o ativista pudesse cometer suicídio, argumentando que a extradição seria “opressiva” devido à saúde mental de Assange.

Em particular, ele descreveu o jornalista australiano como “um homem deprimido e às vezes desesperado” que tem o “intelecto e determinação” para escapar de quaisquer medidas de prevenção de suicídio tomadas pelas autoridades prisionais.

O juiz rejeitou quase todos os argumentos da equipe jurídica de Assange e destacou que as ações do ativista, se provadas, “equivaleriam a crimes nesta jurisdição que não seriam protegidos por seu direito à liberdade de expressão”.

No entanto, ele enfatizou que Assange sofre de depressão clínica moderada a grave, que seria exacerbada pelo isolamento que provavelmente enfrentaria em uma prisão nos Estados Unidos.

“Diante de condições de isolamento quase total […] estou convencida de que os procedimentos [descritos pelas autoridades americanas] não impedirão que Assange encontre uma maneira de cometer suicídio”, disse ela.

O governo dos EUA anunciou que apelará da decisão. Os advogados de Assange, por sua vez, planejam pedir sua libertação da prisão de Londres, onde está detido há mais de um ano e meio.
“Boas notícias”

Depois que a decisão foi anunciada, Edward Snowden, um ex-contratado da CIA e da Agência de Segurança Nacional, agradeceu a todos aqueles que lutaram contra uma das ameaças mais perigosas à liberdade de imprensa “em décadas “Em relação ao caso Assange.

Por sua vez, o jornalista americano Glenn Greenwald qualificou o ‘não’ à extradição como “uma grande notícia”, embora tenha esclarecido que a decisão “não foi uma vitória para a liberdade de imprensa”, mas “muito pelo contrário”, uma vez que a juíza “endossou a maioria das teorias do governo dos Estados Unidos” e deixou claro que acreditava que havia motivos para processar Assange em conexão com a publicação dos vazamentos em 2010.

Por outro lado, a decisão representa “uma acusação contra o sistema penitenciário incrivelmente opressor dos EUA”, tuitou Greenwald, observando que, em última análise, “o mais importante é que Assange seja libertado o mais rápido possível”.
O caso Assange

Assange, 49, é acusado nos EUA de espionagem e hacking para a publicação desde 2010 de centenas de milhares de páginas de documentos militares secretos e cabos diplomáticos sobre as atividades dos EUA nas guerras no Iraque e Afeganistão, que foram divulgados por seu portal de vazamentos WikiLeaks. Os documentos classificados e vazados por Assange expõem inúmeras irregularidades do Exército dos EUA.

Em abril de 2019, o ciberativista foi detido na Embaixada do Equador em Londres, onde por sete anos obteve refúgio e até nacionalidade equatoriana. No momento, o fundador do WikiLeads continua encarcerado na prisão de segurança máxima em Belmarsh (Reino Unido). Se extraditado para os Estados Unidos, ele pode pegar até 175 anos de prisão pelas acusações feitas contra ele.

A defesa de Assange argumenta que ele tem direito à proteção da Primeira Emenda da Constituição dos Estados Unidos por sua condição de jornalista, que também se estende à publicação dos documentos vazados. Seus advogados também apontam que as condições que o ativista enfrentaria em uma prisão nos Estados Unidos violariam os direitos humanos.

Categories: #CIA, #Donald Trump, #Estados Unidos, #Estados Unidos, FBI, Redes sociais, REINO UNIDO | Deixe um comentário

Diretrizes dos EUA por trás dos novos métodos do Subversion

Como as cores da pele de um lagarto, sem renunciar à violência, os métodos de ataque à Revolução Cubana se transformaram em seis décadas em formas mais sutis, de acordo com as diretrizes do Governo dos Estados Unidos.

“Da literatura e da arte, por exemplo, faremos desaparecer seu fardo social. Vamos nos livrar dos artistas, tirar o desejo de se dedicarem à arte, à investigação dos processos que se desenvolvem na sociedade. A literatura, o cinema e o teatro devem refletir e aprimorar os sentimentos humanos mais baixos ”, escreveu o ex-diretor da Agência Central de Inteligência (CIA), Allen Dulles, em seu livro The Craft of intelligence.

Fundador desse corpo de espiões e subversões e seu chefe entre 1953 e 1961, Dulles foi afastado do cargo porque mentiu ao presidente John F. Kennedy e o informou que, quando ocorresse a invasão malsucedida de Playa Girón, o povo cubano a apoiaria e se levantaria contra ele. Governo revolucionário.

Editado em 1963 pela editora Harper & Row em Nova York, o volume é um manual que visa derrotar o comunismo por meio da erosão ideológica e, neste texto, seu autor estabelece claramente os objetivos do sistema socioeconômico que representa.

“O objetivo final da estratégia em escala planetária é derrotar no campo das idéias as alternativas ao nosso domínio através do deslumbramento e da persuasão, a manipulação do inconsciente, a usurpação do imaginário coletivo e a recolonização de utopias redentoras e libertárias. , para alcançar um produto paradoxal e perturbador: que as vítimas venham a compreender e compartilhar a lógica de seus algozes. ‘

Prospectiva na cruzada anticomunista, Dulles avisa que poucos suspeitarão e até compreenderão o que realmente está acontecendo. “Mas vamos colocar essas pessoas em uma posição indefesa”, ele avisa, “ridicularizando-as, encontrando uma forma de caluniar, desacreditá-las e apontá-las como um desperdício da sociedade”.

Esta última receita foi aplicada em meio aos preparativos para a recente tentativa de golpe suave contra o maior das Antilhas a partir da manipulação baseada em uma farsa realizada por um pequeno grupo do bairro de San Isidro em Havana, vinculado à Embaixada de Washington em La Havana

Referindo-se no dia 8 de outubro deste ano a essas difamações, o presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, denunciou que existe ‘um exército mercenário que vive sob o disfarce de uma campanha paga para enfrentar intelectuais ou artistas comprometidos com a Revolução, ele ataca os líderes de opinião que defendem a Revolução e um linchamento virtual é aplicado. ‘

UMA MAIDAN NO CARIBE

O passar dos meses mostrou que fizeram parte os atentados em território nacional contra monumentos de José Martí no início de 2020, atos de sabotagem e terrorismo como incêndios em centros comerciais e até mesmo o descarrilamento de um comboio com grande publicidade nas redes sociais dos preparativos para provocar um levante em Cuba como o ocorrido na Ucrânia em 2014, tendo a Plaza de Maidán como epicentro.

Relatos recentes publicados na televisão nacional afirmam que essas ações buscam provocar um surto social que obriga a repressão para justificar o fortalecimento do bloqueio econômico, comercial e financeiro dos Estados Unidos contra Cuba, uma guerra civil ou mesmo uma intervenção liderada pelo Pentágono. como o invocado diante das câmeras pelo terrorista residente em Miami, Orlando Gutiérrez Boronat.

A rota do dinheiro leva à América do Norte, conforme confirmado pelos depoimentos de comissários de vandalismo detidos em diferentes partes de Havana, como Alejandro Cesaire e Manuel Arias; ou José Osmani Bauta e Francisco Felipe, ambos coordenados para matar dois oficiais das forças da ordem em troca de mil pesos cada, que chegariam dos Estados Unidos.

Recentemente, essa superpotência relatou gastos de mais de 261 milhões de dólares em programas de subversão contra a Ilha de 1990 a 2020.

A jornalista Tracey Eaton citou dados incluídos no Foreign Aid Explorer da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) em seu site Cuba Money Project.

Segundo esta fonte, mais de 124 milhões da moeda emitida por Washington foi destinada ao objetivo descrito como ‘participação democrática e sociedade civil’, cerca de 38 milhões foram consignados sob o rótulo de ‘direitos humanos’ e 25 tinham como justificativa o de ‘mídia e livre fluxo de informação’.

Tudo isso estava na sala dos fundos do atentado de que o grupo de San Isidro era apenas uma cortina de fumaça.

Fonte

Categories: Uncategorized | Etiquetas: , | Deixe um comentário

Cuba rejeita as sanções dos EUA contra o Banco Financiero Internacional.

Categories: # Cuba, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, @Trump, A obsessão dos Estados Unidos, Acciones contra Cuba, Cuba, Donald Trump, Relaciones Cuba - Estados Unidos, Bruno Rodríguez Parrilla, Cuba, Daniel Ortega Saavedra, Governo, Ministério das Relações Exteriores (Minrex), Nicarágua, Cuba: a obsessão de EE. UU, Estados Unidos Vs Cuba, Estados Unidos,, EUA avalia retornar a Cuba para lista de estados patrocinadores do terrorismo, FORA TRUMP, MINREX, política dos Estados Unidos em relação a Cuba, Relações Estados Unidos Cuba, Relaciones Cuba Estados Unidos, TERRORISMO VS CUBA, Trump procura reforçar o bloqueio, Um bom filho ... de Trump | Deixe um comentário

Centenas de migrantes desembarcam na Itália

A Itália autorizou, ontem, o navio espanhol Open Arms a desembarcar em Porto Empedocle (Sicília) os 265 migrantes que estavam a bordo, incluindo 63 menores, resgatados nos últimos dias em duas operações no Mediterrâneo, segundo a organização.

265 migrantes, no Porto Empedocle (Sicília) © Fotografia por: DR

“Após repetidas recusas das autoridades de Malta em nos permitir desembarcar as 265 pessoas resgatadas e que estão a bordo do Open Arms, a Itália confirmou um porto seguro para nós, Porto Empedocle, na Sicília, um destino a que chegaremos em algumas horas”, disse uma porta-voz da Organização Não-Governamental (ONG).

Os resgatados aguardavam, há quase quatro dias no navio humanitário espanhol, que um país europeu autorizasse um porto onde pudessem desembarcar, com frio e as más condições do tempo no mar. O barco da ONG catalã resgatou 169 pessoas no Mediterrâneo no dia 31 de Dezembro e outras 96 no dia 2 de Janeiro.

Entre os resgatados há, pelo menos, catorze mulheres e 63 menores, sendo que quarenta viajavam desacompanhados. O navio esteve nas últimas horas perto das águas da ilha italiana de Lampedusa (Sul), de onde se aproximou para se proteger das más condições no mar.
O segundo grupo deixou a cidade líbia de Zuwarah a 31 de Dezembro, enquanto o primeiro grupo partiu da cidade líbia de Sabratha, a cerca de 60 quilómetros de Tripoli, na manhã de 30 de Dezembro.

Tirado Jornal de Angola

Categories: Uncategorized | Deixe um comentário

As orientações de trabalho da CIA contra Cuba .

Por Arthur González Razones de Cuba .

Desde 1959, a CIA fortalece seu trabalho contra Cuba, algo que sempre fez desde sua fundação em 1947.

Em Havana, a CIA tinha uma poderosa estação local localizada na embaixada ianque e outra com fachada de comerciante, fora daquele prédio.

Não por prazer, tanto a CIA como o FBI, assessoraram o ditador Batista na repressão contra o movimento revolucionário, os trabalhadores e membros de partidos políticos de oposição.

As linhas de trabalho aprovadas contra a Revolução triunfante, sob a liderança de Fidel Castro.
Endereços que não mudaram em 62 anos:

A guerra subversiva contra a economia, o comércio e as finanças.
Subversão política e ideológica.
O terrorismo.
Guerra biológica.

O primeiro visa impedir o desenvolvimento econômico do país, fazer com que falte tudo que possa ajudar o povo, para que culpe o sistema socialista pelas dificuldades, impeça investimentos estrangeiros, empréstimos e transações financeiras

Outras ações desativariam as produções necessárias à satisfação das necessidades internas e à exportação de bens e serviços.

A segunda tenta erodir ideologicamente a sociedade, desmontar os valores, a ética e a história do país, dividir para quebrar a unidade popular, por meio da guerra psicológica.

O objetivo da subversão é influenciar as opiniões, emoções e atitudes das pessoas, com o uso de propaganda e campanhas na imprensa

Finalmente, eles pretendem criar grupos contra-revolucionários que recebem grandes somas de dinheiro por suas ações internas.

O terceiro visa semear o terror entre os cidadãos com atos criminosos que causam mortes e feridos, para dar a imagem de que há oposição interna à Revolução

O objetivo principal é destruir as principais indústrias do país, centros de serviços, escolas, cinemas, teatros, transporte terrestre, aéreo e marítimo, refino de petróleo e geração de energia elétrica, paralisar o abastecimento de alimentos, remédios, peças de reposição , equipamentos militares de defesa e devastadoras instalações que atendem ao turismo internacional e até mesmo atacando empresas comerciais no exterior, consulados e embaixadas cubanas.

A quarta apresenta pragas e doenças que destroem plantações, safras e animais para alimentar o povo, adoecem milhares de pessoas, incluindo crianças e idosos, com vírus patogênicos mortais, com a intenção doentia de matar de fome e sofrer uma nação inteira.

Esta linha de trabalho cruel e implacável é aprovada pelo governo dos Estados Unidos, pelos últimos 12 presidentes, sem que nenhum deles possa liquidar a Revolução, apesar dos bilhões de dólares gastos em seus esforços.

Os programas de ações encobertas têm sido variados, incluindo planos de assassinato, a fabricação de Organizações Não Governamentais como tela para que a CIA não apareça.

embora a sua marca indelével o denuncie sempre, onde a espionagem e o recrutamento de funcionários se fazem presentes com alta hierarquia, a fim de obter informações valiosas que lhe permitam executar os seus planos subversivos.
Hoje a CIA retoma planos antigos, como se o acúmulo de tantos fracassos não bastasse.

É por isso que existem ações semelhantes às contempladas há 50 anos na chamada Operação 40, que por mais de 10 anos colocou em prática atividades subversivas, pressões no Congresso dos Estados Unidos, atos terroristas, ataques físicos contra revolucionários cubanos, espionagem e a subversão ideológica funciona para confundir, enganar, manipular as mentes dos cidadãos com mentiras e deturpações da realidade cubana.

O atual desenvolvimento tecnológico permite que eles utilizem a comunicação como nunca antes e cheguem a cada pessoa através do celular, transferindo informações que se confundem sob uma aparente neutralidade política e, assim, ganhando consciência delas, principalmente dos jovens carentes de informação e história, muito frequentadores nas redes sociais.
Na década de 50 do século 20, o então diretor da CIA, Allen Dulles afirmou:

“Graças ao seu diversificado sistema de propaganda, os Estados Unidos devem impor sua visão, estilo de vida e interesses particulares ao resto do mundo, em um contexto internacional onde nossas grandes corporações transnacionais contarão sempre com o destacamento imediato das Forças Armadas, em qualquer área, sem o direito natural de se defender auxiliando algum dos países atacados ”.

"Antes dos porta-aviões e mísseis chegarem os símbolos, que venderemos como universais, glamorosos, modernos, arautos da juventude eterna e da felicidade ilimitada."

Antes dos porta-aviões e mísseis, chegam os símbolos, que venderemos como universais, glamorosos, modernos, arautos da juventude eterna e da felicidade sem limites ”.

“O objetivo final da estratégia em escala planetária, é derrotar no campo das idéias, as alternativas ao nosso domínio, através do deslumbramento e da persuasão, a manipulação do inconsciente, a usurpação do imaginário coletivo e a recolonização das utopias redentoras e os libertários, para alcançar um produto paradoxal e perturbador: que as vítimas venham a compreender e compartilhar a lógica de seus algozes ”.

Os ianques não mudam seus planos de destruir a Revolução Cubana e as portas de entrada da Casa Branca do presidente número 13 desde 1959, não esperemos mudanças nesse sonho ultrapassado, será o mesmo objetivo ambicioso, talvez com algum Outra nuance, mas falharão de novo, porque em Cuba não há ingênuos ou tolos que esquecem o perigo de ter aquele vizinho cruel e ambicioso.

Nunca nos esqueçamos de José Martí quando afirmou:

“Enquanto a guerra for um perigo, sempre será um dever se preparar.”

Categories: Uncategorized | Deixe um comentário

Ministro da Defesa destaca heroísmo dos camponeses

O ministro da Defesa Nacional, Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria disse, ontem, em Moçâmedes no Namibe, que a “acção corajosa e heróica” dos camponeses da Baixa de Cassanje, em 1961, fez renascer a esperança do povo angolano e a convicção de que era possível derrubar o colonialismo português.

A cidade de Moçâmedes acolheu o acto central do Dia dos Mártires da Repressão Colonial © Fotografia por: DR

João Ernesto dos Santos “Liberdade”, que presidiu, em Moçâmedes, o acto central do Dia dos Mártires da Repressão Colonial, sob o lema “Memória da Resistência Angolana contra o Colonialismo”, avançou que a acção heróica dos angolanos passou a constituir uma referência no longo processo de luta dos povos pela autodeterminação, situação que agudizaria a repressão colonial na vã tentativa de quebrar os anseios pela Independência de Angola.

“Assim, o 4 de Janeiro afigura-se, nos anais da nossa história, como uma das datas mais significativas da nossa luta, razão pela qual nos orgulhamos dos feitos protagonizados pelos camponeses da Baixa de Cassanje, que viriam a replicar-se um pouco por todo país”, disse.

O ministro frisou que o tempo acabou por dar razão ao movimento revolucionário angolano, pois 14 anos depois, o país alcançou a Independência Nacional a 11 de Novembro de 1975, com “a vitória alcançada sob o trovoar de canhões e com o derramamento de sangue de muitos dos melhores filhos do nosso povo e das lágrimas de muitas das nossas mães”.
Nesta perspectiva, sublinhou, a melhor forma de honrar a memória daqueles que deram o melhor de si e perderam a vida na luta pela conquista da Independência Nacional é transmitir o legado de um genuíno patriotismo à juventude angolana, bem como informá-la do esforço e sacrifício consentidos pelos camponeses da Baixa de Cassanje. “Com tão corajoso acto, projectaram o nome de Angola e do seu povo por toda África e pelo mundo”, disse.

Para o governante, neste dia de “suma importância para todos nós”, é imperioso que os angolanos conheçam, profundamente, a história dos Mártires da Repressão Colonial, mas também os feitos de outros heróis anónimos, para interiorizar a dimensão real e o valor de uma luta” em que participaram milhares de angolanos de todas as raças, credos religiosos e grupos etno-linguísticos que hoje constituem “o nosso país e povo”.

Para o ministro, deve-se, por isso, continuar a defender os interesses superiores da Nação, consolidando a Unidade e a Reconciliação Nacional, pois “a coesão é fundamental para termos um país em permanente progresso e desenvolvimento”.
João Ernesto dos Santos “Liberdade” falou da pandemia da Covid-19, que atrasou o progresso e o desenvolvimento e exigiu enormes esforços financeiros para conter o alastramento da doença em todo o país.

Já o governador do Namibe, Archer Mangueira, disse ser “um privilégio, uma honra e grande orgulho” acolher a data. Na sua visão, certamente a melhor forma de homenagear os Mártires da Repressão Colonial é ter sempre presente os sacrifícios que consentiram para “nos libertar de todos os jugos”.
“Mas não podemos homenagear os nossos heróis, os nossos mártires, se não o fizermos com uma dedicação patriótica ao trabalho, seja qual for a nossa profissão e níveis de responsabilidade”, disse, acrescentando que os angolanos têm o privilégio de viver livres e em paz.

PELO PAÍS
Reforço do patriotismo marcou o 4 de Janeiro

Mensagens sobre a necessidade do reforço do patriotismo para a preservação da independência, consolidação da paz e crescimento socioeconómico marcaram os diferentes actos provinciais alusivos ao Dia dos Mártires da Repressão Colonial, que ontem se assinalou.
Na província do Cunene, a governadora Gerdina Didalelwa pediu, na povoação de Oihole, município de Namacunde, aos jovens para se inspirarem no espírito patriótico dos Mártires da Repressão Colonial. Essa atitude ajudará a juventude a participar no desenvolvimento socioeconómico do país, sublinhou a governadora no acto provincial alusivo ao 4 de Janeiro.
“A juventude, enquanto futuro da nação, deve ser mais exemplar nas suas acções e atitudes, para melhor assumir as responsabilidades relacionadas com a promoção da paz e unidade nacional”, referiu.

Bié
Em homenagem aos compatriotas assassinados pelo então Exército português, que ocorreu há 60 anos, na região da Baixa de Cassanje (Malanje), teve lugar na província do Bié uma palestra sobre a efeméride. Na ocasião, o deputado do MPLA António Filipe Santos destacou a bravura dos Heróis da Revolta da Baixa de Cassanje e suas lições no contexto actual.
Aconselhou os pais e encarregados de educação a transmitir aos “mais novos” a importância do 4 de Janeiro, pelo facto de contribuir no alcance da Independência Nacional, a 11 de Novembro.
O acto decorreu na cidade do Cuito e contou com a presença do vice-governador para o sector Político, Social e Económico, António Manuel, que ressaltou, no final do evento, ser perspectiva do Governo compilar e introduzir mais conhecimentos referentes à data no ensino secundário.

Huambo
No Huambo, o director do Gabinete dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, Irineu Sacaála, num encontro de confraternização com esta franja da sociedade, ressaltou a importância e valor histórico da data, que na sua opinião deve ser transmitido às novas gerações para o contínuo reconhecimento e entendimento sobre o quanto custou a liberdade.

Tirado Jornal de Angola

Categories: Uncategorized | Deixe um comentário

Díaz-Canel na comemoração do quinto aniversário da Siboney International Clinic.

Autor: Leticia Martínez Hernández | internet@granma.cu

O Presidente da República, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, esteve presente esta segunda-feira de manhã no acto do quinto aniversário da fundação da Siboney International Clinic, instituição especializada em medicina estética e serviços de qualidade de vida, que contribui para que Cuba seja um destino seguro para quem a visita e, ao mesmo tempo, contribua para a economia e para o apoio ao Sistema Único de Saúde.

Clínica Internacional Siboney

Depois de visitar vários de seus departamentos – onde são atendidos pacientes e clientes do Corpo Diplomático Credenciado em Cuba, da Zona Especial de Desenvolvimento de Mariel (ZEDM) e estrangeiros residentes ou em visita à capital do país – o Chefe de Estado chefiou o comemoração neste importante centro de exportação de serviços, ao lado de cem trabalhadores e suas famílias.

Segundo a diretora María Isabel Martínez Martín, o grupo chegou neste quinto ano como a instituição de saúde com melhores resultados na exportação de serviços médicos em Cuba no ano passado, com contribuições que ultrapassam a cifra de 764.000 dólares.

Em 2020, ele acrescentou, 7.513 pacientes e clientes a mais foram atendidos na clínica do que no ano anterior. Paralelamente, foram assinados 88 novos contratos com empresas mistas e estrangeiras; e as linhas de negócios foram ampliadas, principalmente na modalidade de fronteira.

O Dr. Martínez Martín esclareceu que a instituição se converteu no principal provedor de saúde da ZEDM, com a qual ajudaram a fazer da Ilha também um destino seguro para o investimento estrangeiro em matéria de saúde e segurança de seus trabalhadores. .

Nestes tempos de COVID-19, disse mais tarde à imprensa, a Clínica não parou o seu trabalho. Aqui, disse ele, são retiradas amostras para processamento de PCR de estrangeiros que vão viajar e daqueles de missões estaduais que precisam se isolar.

Nossa equipe tem trabalhado diretamente para enfrentar a epidemia e “nos tornamos assessores sobre este assunto para empresas estrangeiras sediadas em Mariel”, disse ele.

Nesta data do quinto aniversário da abertura da entidade, que contou com a participação do Vice-Primeiro Ministro Roberto Morales Ojeda, e do chefe da Saúde Pública, José Ángel Portal Miranda, a trajetória de três trabalhadores foi reconhecida com a distinção “Manuel Piti Fajardo Rivero ”, concedido pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores na Saúde, por permanecer no setor por mais de 20 anos. Da mesma forma, cerca de trinta fundadores foram incentivados.

A instituição conta com profissionais altamente qualificados, com mais de duas décadas de experiência em assistência médica internacional, adquirida no âmbito da participação no Programa de Puericultura Chernobyl, considerada a gênese histórica da Clínica Siboney. Sua sede principal fica na capital Playa e possui um Consultório Médico no ZEDM e um Centro Internacional de Saúde e Qualidade de Vida em Tarará, a leste de Havana.

Categories: # Cuba, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, #CubaCoopera, #CubaCoopera, #CubaEsSalud, #Cuba, #Fidel, #salud, #Salud en Cuba, #YoSoyFidel, cooperação médica cubana, Coronavirus, CoronaVirus, Noticias de Cuba, Política, CoronaVirus, Política, CubaCoopera, DIAZ CANEL, Jose Angel Portal Miranda, Medico y Enfermera de la Familia Salud Publica cubana, MINSAP, Profesionales e la Salud, Saúde Pública (Minsap), #José Ángel Portal Miranda | Deixe um comentário

A Unesco reconheceu o trabalho de Cuba na educação em 2020

Karina Marrón González – Cubainformación / Cuba em Resumo / Resumo Latino-Americano.- A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) reconheceu o trabalho de Cuba na educação em várias ocasiões durante 2020

Em várias reportagens publicadas na fase, destaca-se a liderança da ilha nesta matéria, destaca o site do Itamaraty, Cubaminrex, hoje

As conquistas das políticas educacionais do governo cubano para garantir uma educação inclusiva e de qualidade e 100% de cobertura pré-escolar foram refletidas no Relatório de Monitoramento da Educação Mundial 2020 (Relatório GEM 2020).

O documento também exaltou a flexibilidade do sistema educacional da nação caribenha, que permite reconhecer a diversidade e atender às diferentes necessidades dos alunos.

Já a edição regional da América Latina e Caribe do Relatório GEM 2020, especifica as iniciativas aplicadas na maior das Antilhas que permitem a inclusão de crianças com deficiência nos principais programas de desenvolvimento da primeira infância.

Nesse sentido, exemplos como o programa Educa seu filho, os Centros de Diagnóstico e Orientação e a atuação da companhia de teatro infantil La Colmenita, foram apresentados como contribuições do país, que também demonstram o papel decisivo da arte e da comunidade na esses processos.

O Relatório de Gênero do Relatório GEM 2020 também destacou o Programa de Educação em Sexualidade de Cuba, que visa fortalecer a formação de professores sobre sexualidade e prevenção do HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis. Isso é realizado com uma abordagem adequada de gênero e direitos sexuais em todo o currículo básico, disciplinas eletivas e estudos de pós-graduação.

Outros reconhecimentos vieram da mão do Estudo Regional Comparativo e Explicativo (ERCE 2019), que destacou o propósito do sistema educacional cubano, onde os alunos são totalmente formados.

A pesquisa, coordenada pelo Escritório Regional de Educação para a América Latina e Caribe da UNESCO, destacou que as escolas da Ilha trabalham na formação de alunos reflexivos, críticos e independentes, em harmonia com a família, a experiência social e cultura.

Cuba foi um dos 35 países selecionados para compor o Atlas do direito à educação de meninas e mulheres que a Unesco elabora, como parte da iniciativa “Sua educação, nosso futuro”.

Do mesmo modo, manteve uma participação ativa nos espaços convocados para intercâmbio e conjugação de esforços para o enfrentamento do impacto do COVID-19 na educação, com a intervenção ao mais alto nível dos Ministérios da Educação e do Ensino Superior nos encontros virtuais convocados pela a UNESCO.

Nesse sentido, a nação caribenha compartilhou suas boas práticas e experiências, que foram reconhecidas e colocadas à disposição de todos os países por meio do site da organização.

Segundo Cubaminrex, apesar das limitações impostas pela pandemia, as relações entre as maiores das Antilhas e a UNESCO se fortaleceram. A este respeito, destaca a visita de vários executivos no primeiro trimestre de 2020, que viram em primeira mão o trabalho cubano nas áreas de competência da organização.

Categories: Uncategorized | Etiquetas: , , | Deixe um comentário

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: